Mimivírus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMimivirus
Mimivirus 01 FR.jpg
Classificação científica
Grupo: Grupo I (dsDNA)
Família: Mimiviridae
Género: Mimivirus
Espécie: Acanthamoeba polyphaga mimivirus

Mimivirus é uma espécie de vírus singular, parasita obrigatório do protozoário (Classe Rhyzopoda ou Sarcodina) Acanthamoeba polyphaga, por isso seu nome científico é Acanthamoeba polyphaga mimivirus (APMV). Popularmente o APMV é mais conhecido apenas como “mimivírus”.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

Foi descoberto em 1992 na Acanthamoeba polyphaga, porém, na época, acreditava-se ser uma bactéria do gênero Legionella. O vírus foi observado através de coloração do tipo Gram, por isso foi erradamente considerado uma bactéria gram-positiva. A consequência deste erro foi o nome que lhe deram, "Bradfordcoccus", devido ao distrito onde foi recolhido a ameba (Bradford na Inglaterra). Em 2003, pesquisas da Université de la Méditerranée em Marseille, França, publicaram uma página na revista Science identificando este microrganismo como sendo um vírus.[1]

O mimivírus já foi considerado um possível causador de algumas formas de pneumonia, já que foram encontrados anticorpos para este vírus em alguns indivíduos com pneumonia.[2] Atualmente acredita-se que ele infecta apenas as amebas, e estas causam a pneumonia.[carece de fontes?]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Reconstituição do Mimivirus

O mimivírus tem um capsídeo protéico no tamanho de 390 nm (nanômetros) e os filamentos protéicos de 100 nm, totalizando 600 nm, é um dos maiores vírus conhecidos (ficando atrás dos mamavirus e do Megavirus chilensis), sendo maior que algumas bactérias (que possuem 400 nm).

Através de microscopia eletrônica, nota-se que ele tem forma hexagonal, portanto seu capsídeo tem simetria icosaédrica,[3] o que sugere que o vírus não sai da célula parasitada através de exocitose.[4]

Material genético[editar | editar código-fonte]

Mimivirus

O sequenciamento do seu genoma foi feita pelo grupo de Jean-Michel Claverie e, através deste estudo, características inéditas foram vistas neste vírus.

O mimivírus contém tanto o DNA quanto RNA, ao contrário dos vírus "normais". O tamanho do genoma é de 1 181 404 pares de bases,[5] maior do que o de muitas bactérias (algumas bactérias têm apenas 400 genes), ele contém 911 genes codificadores de proteínas, muito acima do número mínimo de 4 genes necessários para um vírus existir.[6] Análises do seu genoma identificaram genes nunca antes vistos em outros vírus, inclusive genes responsáveis pelo metabolismo de açúcares, lípidos e aminoácidos, inclusive genes responsáveis pela produção de sintetizadores de RNAt.[4]

Peculiaridades[editar | editar código-fonte]

O mimivírus tem a capacidade de produzir proteínas pelos seus próprios meios e a capacidade de reparação do seu próprio genoma, sendo que todas estas propriedades nunca foram vistas em outros vírus. No mimivirus 90% de seus genes são utilizáveis, apenas 10% é Homeobox (Arquivo Genético, Passado Génico, ou "Entulho Genético"), ao contrário da maioria dos organismos.

O gigantesco Mimivírus se defende de invasores utilizando semelhante ao sistema CRISPR implementado por bactérias e outros microorganismos.[7] O sistema de defesa do Mimivírus pode levar a descoberta de novas ferramentas de edição de genoma[8].

Referências

  1. La Scola B, Audic S, Robert C, Jungang L, de Lamballerie X, Drancourt M, Birtles R, Claverie JM, Raoult D. (2003). «A giant virus in amoebae». Science. 299 (5615). 2033 páginas. PMID 12663918. doi:10.1126/science.1081867 
  2. La Scola B, Marrie T, Auffray J, Raoult D (2005). «Mimivirus in pneumonia patients». Emerg Infect Dis. 11 (3): 449–52. PMID 15757563 
  3. Xiao C, Kuznetsov YG, Sun S, Hafenstein SL, Kostyuchenko VA, Chipman PR, Suzan-Monti M, Raoult D, McPherson A, Rossmann MG (28 de abril de 2009). «Structural studies of the giant mimivirus». PLoS Biol. 7 (4): e92. PMID 19402750. doi:10.1371/journal.pbio.1000092 
  4. a b Suzan-Monti M, La Scola B, Raoult D (2006). «Genomic and evolutionary aspects of Mimivirus». Virus Research. 117 (1): 145–155. PMID 16181700. doi:10.1016/j.virusres.2005.07.011 
  5. «Acanthamoeba polyphaga mimivirus, complete genome». NCBI 
  6. Prescott, Lansing M. (1993). Microbiology 2ª ed. Dubuque, IA: Wm. C. Brown Publishers. ISBN 0697013723 
  7. «MIMIVIRE is a defence system in mimivirus that confers resistance to virophage». www.nature.com  por Anthony Levasseur, Meriem Bekliz, Eric Chabrière, Pierre Pontarotti, Bernard La Scola & Didier Raoult, publicado em "Nature" (2016) doi:10.1038/nature17146
  8. «CRISPR-like 'immune' system discovered in giant virus - Mimivirus defence system might lead to new genome-editing tools». www.nature.com ] por Ewen Callaway "Nature" (2016)


Ícone de esboço Este artigo sobre vírus é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.