More cowbell!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"O Bruce Dickinson" (Christopher Walken) exige o uso de "mais cowbells"

More cowbell (more do ingl. “mais” e cowbellcaneca” (instrumento musical) “sino de vaca” (literalmente); “mais caneca”) é um bordão usado na cultura popular estado-unidense, derivado de um esquete humorístico, que satiriza a gravação de estúdio da faixa “(Don't Fear) The Reaper” da banda Blue Öyster Cult.

O esquete conta com a presença do convidado especial Christopher Walken, representando "O Bruce Dickinson" (produtor) — a não ser confundido com o cantor britânico Bruce Dickinson da banda Iron Maiden — e também do autor do skript e protagonista do show, Will Ferrell, atuando como o percussionista fictício, Gene Frenkle, que tocava a caneca.

O esquete foi apresentado originalmente dia 8 de abril de 2000 no programa de auditório Saturday Night Live, da rede televisiva norte-americana NBC. A convidada musical no dia foi a cantora Christina Aguilera.[carece de fontes?]

Sinopse e enredo[editar | editar código-fonte]

A encenação seria parte de episódio da série Behind the Music (canal VH1), documentário da banda Blue Öyster Cult. Esta começa se apresentando como sendo a gravação do maior sucesso da banda “(Don't Fear) The Reaper” do álbum de estúdio Agents of Fortune, que ocorreu no ano de 1976. O produtor Bruce Dickinson (representado por Christopher Walken) introduz sua pessoa como sendo "O Bruce Dickinson" e acrescentando que a banda tem um "som que aparenta ser bombástico".

Dickinson logo dá o comando para iniciar a sessão de gravações e a banda começa a tocar, mas interrompe então a execução da música dentro de pouco porquê o volume do som da caneca (em inglês "cowbell"), tocada pelo personagem Gene Frenkle (Will Ferrell), é demasiadamente irritante e distrai os músicos. Dickinson vem tirar satisfação e, para a surpresa do resto da banda, ele demanda que a canção necessita de "more cowbell!" ("mais caneca!").

As gravações são interrompidas mais algumas vezes pelo mesmo motivo e Dickinson continua a insistir na sua teoria de que o instrumento realça a música. Após vários takes a insatisfação se generaliza na banda gerando hostilidades perante o percussionista Frenkle. A situação se escala tornando as discussões cada vez mais infantis.

Frenkle também se decepciona e faz então um apelo para poder gravar sua parte em separado. Por final os músicos se reconciliam e insistem para fazerem a gravação em conjunto, num ato de tolerância para com Frenkle. A banda recomeça a tocar e o esquete termina congelando a imagem no músico tocando a caneca com a mensagem sobreposta: "In Memoriam: Gene Frenkle: 1950–2000." ("Em memória a Gene Frenkle: 1950–2000."), numa alusão fictícia, como em homenagem ao músico.

Fantasia e fatos reais[editar | editar código-fonte]

  • A caneca é de facto usada na canção "(Don't Fear) The Reaper". No entanto o seu som é praticamente inaudível em meio aos outros instrumentos.[1]
  • O esquete conseguiu reconstruir com precisão o visual da banda durante os anos 70. No entanto omitiu alguns detalhes das gravações[1]
  • O vocalista de "Don't Fear the Reaper" foi Donald Roeser e não Eric Bloom.[1]
  • Gene Frenkle é um personagem fictivo. Apesar disso alguns fans da banda parecem ocasionalmente expressar condolências pela sua morte.[1]
  • O renomado Bruce Dickinson[2] não produziu "(Don't Fear) The Reaper". Os verdadeiros produtores são respectivamente David Lucas, Sandy Pearlman e Murray Krugman.[3][4]
  • Há controversas sobre quem realmente tocou a caneca na música. Três pessoas reclamam a fama para si: o produtor David Lucas,[5][6][7] o guitarrista/vocalista Eric Bloom[8] (mas a ideia original teria vindo de David Lucas),[3] Albert Bouchard (o irmão do baixista Joe Bouchard) através de overdub pós-gravação.[1]
  • O baterista era Albert Bouchard, e não Bobby Rondinelli, que só entrou no grupo no fim dos anos 90.

Créditos do sketch[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Farhi, Paul (29 de janeiro de 2005). «Blue Oyster Cult, Playing Along With 'More Cowbell'». Washington Post (em inglês): C01. Consultado em 17 de outubro de 2013 
  2. «Bruce Dickinson (profile)» (em inglês). "Discogs.com". Consultado em 17 de outubro de 2013 
  3. a b Sauro, Tony (17 de septembro 2009). «Blue Oyster Cult's innovative use of a cowbell will never be forgotten». The Record (Stockton) (em inglês). Consultado em 17 de outubro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. «Blue Öyster Cult, 'Don't Fear the Reaper'». 500 Greatest Songs of All Time (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 17 de outubro de 2013. Cópia arquivada em 2 de maio de 2013 
  5. «David Lucas Music – Biography» (em inglês). DavidLucasMusic.com. Consultado em 17 de outubro de 2013. Lucas sings the background vocals and is the one who played the now famous cowbell 
  6. George, Eli (30 de junho de 2011). «Blue Oyster Cult cowbell ringer honored» (texto e clip de vídeo) (em inglês). WIVB-TV. Consultado em 17 de outubro de 2013 
  7. «He Really Did Want That Cowbell» (em inglês). Just my Show: Retro Pop Culture Podcast. 15 de julho de 2011. Consultado em 17 de outubro de 2013 
  8. Galipault, Gerry (7 de julho de 2001). «A cowbell salute to Blue Öyster Cult» (em inglês). Pause & Play. Consultado em 17 de outubro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]