Musócio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Musócio
Principais trabalhos
Título
  • Líder[nt 1] dos esclavenos
  • Príncipe dos eslavos[3]
Religião Mitologia eslava

Musócio[nt 2] ou Mužok[5] foi um monarca do século VI dos esclavenos durante as campanhas de Maurício nos Bálcãs. Ele enviou em 585 seu general Ardagasto no comando de um exército contra a Trácia bizantina. Anos depois, em 593, novamente enviou Ardagasto contra os bizantinos, mas na ocasião foi vítima duma emboscada liderada pelo tenente bizantino Alexandre durante uma cerimônia funeral para seu irmão.

História[editar | editar código-fonte]

Soldo de Maurício I (r. 582–602)
Mapa dos Bálcãs no século VI.

Ardagasto, um comandante de Musócio, fez raide na Trácia em 585,[6] mas foi derrotado pelo comandante Comencíolo.[7] Anos depois, em 593, ele novamente foi enviado para invadir os domínios bizantinos, forçando o imperador Maurício I (r. 582–602) a enviar um exército sob o comandante-em-chefe Prisco e o comandante da infantaria Gentzono para cruzar o Danúbio e então Durostoro (atual Silistra) e fazer um raide surpresa no território inimigo. O ataque ao acampamento inimigo foi bem-sucedido[8] e os bizantinos, com ajuda dum gépida cristão, conseguiram interceptam aqueles que, segundo ele, seriam espiões enviados pelo rei Musócio que acabara de ouvir sobre o ataque contra Ardagasto.[9]

Quando Alexandre retornou com o gépida e os cativos, o gépida recebeu presentes e organizou uma estratégia para trazer Musócio e seu exército para as mãos dos bizantinos. O gépida contactou Musócio e pediu para que enviasse um transporte através do rio Paspírio para o exército remanescente de Ardagasto. Musócio montou 150 monóxilos [nt 3] e 30 remadores para cruzar o rio. No meio tempo, Prisco aproximou-se das margens e encontrou-se com o gépida e organizou uma emboscada com 200 homens sob ordens de Alexandre.[9]

Na noite seguinte, os barqueiros foram pesadamente embriagados com vinho e caíram adormecidos. O gépida deu o sinal e a colônia eslava foi abatida, com os barcos levados em posse bizantina e preenchidos com 300 soldados caminhando em direção a Musócio.[9] Uma cerimônia funerária do irmão de Musócio estava em curso com as pessoas fortemente embriagadas. Musócio foi surpreendido e levado vivo, porém os bizantinos realizaram um massacre até o amanhecer. Alguns eslavos escaparam e retornaram para matar alguns do soldados. Como resultado, Prisco enforcou os guardas negligentes.[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Mezamiro
Líder dos esclavenos
fl. 592
Sucedido por
Desconhecido

Notas

  1. Ele é mencionado como rei nas obras contemporâneas,[1] mas é mencionado como um "líder" nas fontes modernas.[2]
  2. Seu nome é transliterado como Musokios, Musukios ou Musócio do trabalho do historiador bizantino Menandro Protetor (meados do século VI)[4]
  3. Os monóxilos (monoxyla) são embarcações cujo casco é constituído por uma só peça de madeira, como acontece com muitas canoas e pirogas primitivas.[10]

Referências

  1. Filip 1970, p. 1085.
  2. Whitby 1988, p. 82.
  3. Calmet 1740, p. 475.
  4. Ziemann 2007, p. 116.
  5. Šafárik 1828, p. 25.
  6. Hidryma Meletōn Chersonēsou tou Haimou 1996, p. 48.
  7. Martindale 1992, p. 106.
  8. Bury 1923, p. 128.
  9. a b c Bury 1923, p. 129.
  10. Lello Universal 1974, p. 276.
  11. Bury 1923, p. 130.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bury, John Begnell (1923). History of the Later Roman Empire: From Arcadius to Irene (395 A.D. to 800 A.D.). Nova Iorque e Londres: Macmillan & Company Limited 
  • Calmet, Augustinus (1740). Histoire universelle, sacrée et profane, depuis le commencement du monde jusqu'à nos jours. 6. [S.l.]: Jean Renauld Doulssecker 
  • Filip, Jan (1970). «Actes Du VIIe Congrès International Des Sciences Préhistoriques Et Protohistoriques, Prague, 21-27 Août 1966». Praga: Academia 
  • Hidryma Meletōn Chersonēsou tou Haimou (1996). «Balkan Studies». Universidade de Michigan: The Institute. 37 
  • Lello Universal (1974). Dicionário Enciclopédico Luso-Brasileiro. 2. [S.l.]: Lello Universal 
  • Martindale, John Robert; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1992). The Prosopography of the Later Roman Empire - Volume III, AD 527–641. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20160-8 
  • Šafárik, Pavel Jozef (1828). Über die Abkunft der Slawen nach Lorenz Surowiecki. [S.l.]: Buda 
  • Whitby, Michael (1988). The Emperor Maurice and his Historian – Theophylact Simocatta on Persian and Balkan Warfare. Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-822945-3 
  • Ziemann, Daniel (2007). Vom Wandervolk zur Grossmacht:die Entstehung Bulgariens im frühen Mittelalter (7.-9. Jahrhundert). [S.l.: s.n.]