Museu Copta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Museu Copta
Tipo museu
Inauguração 1908 (111 anos)
Website oficial
Geografia
Coordenadas 30° 0' 22" N 31° 13' 52" E
Localidade Cairo
Localização Cairo
País Egito
Museu Copta

O Museu Copta é um museu na parte copta da cidade do Cairo, no Egito, e que aloja a maior coleção de artefatos Cristãos Egípcios do mundo[1]. Foi fundado por Marcus Simaika Paşa em 1910 para alojar antiguidades Coptas[2]. O museu segue a história da Cristianismo no Egito desde os primórdios até hoje. O prédio foi erguido num terreno de 8.000m2 oferecido pela Igreja Ortodoxa Copta de Alexandria sob a guarda do Patriarca (ou Papa) Cirilo V.

História[editar | editar código-fonte]

Dr. Pahor Labib mostrando um dos manuscritos de Nag Hammadi a Henri Kissinger

Em 1908, após ter recebido a aprovação e uma quantidade de antiguidades de prata do Patriarca Cirilo V; e levantado fundos por subscrição pública, Marcus Simaika Paşa construiu o Museu Copta e o inaugurou em 14 de Março de 1910[3]. A comunidade Copta foi generosa no apoio ao museu, doando numerosas vestimentas, afrescos e ícones. Em 1931, o Museu Copta se tornou um museu estatal sob a jurisdição do Conselho Supremo de Antiguidades (Departamento de Antiguidades na época) e, em 1939, a coleção de antiguidades Cristãs no Museu Egípcio foi movida para lá[4]. Elas foram alojadas na Nova Ala, completada em 1944. Por causa de danos estruturais, a Ala Antiga foi fechada em 1966, culminando numa reforma geral entre 1983 e 1984. As fundações do museu foram reforçadas entre 1986 e 1988, o que ajudou o edifício sobreviver ao terremoto de 1992[5].

Marcus Simaika Paşa foi sucedido pelo Dr. Togo Mina e, em seguida, pelo Dr. Pahor Labib, o primeiro a receber o título de Diretor do Museu Copta.

Coleção[editar | editar código-fonte]

Livro de Salmos Mudil, do acervo do Museu Copta

O Museu Copta é detentor da maior coleção de objetos de arte copta e artefatos Coptas do mundo. Os monumentos apresentam uma rica mistura de tradições Egípcias, Gregas, Romanas, Bizantinas e Otomanas[6] ligando o Egito Antigo ao Islâmico[7]. Os objetos estão agrupados pelos diferentes meios, como escultura em pedra, em madeira, metalurgia, têxteis e manuscritos[8]. O número total de objetos em exposição é de aproximadamente 15.000[9].

Biblioteca de Nag Hammadi[editar | editar código-fonte]

O Museu Copta também é o lar dos 1.200 manuscritos da Biblioteca de Nag Hammadi, alojados numa biblioteca especial aberta apenas a pesquisadores especializados[10].

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lastminute Arquivado em 14 de fevereiro de 2007, no Wayback Machine., em inglês
  2. Breve história do Museu Copta Arquivado em 3 de junho de 2004, no Wayback Machine., em inglês
  3. Gabra & Eaton-Krauss, Gawdat & Marianne. The Illustrated Guide to the Coptic Museum (em inglês). [S.l.: s.n.] , página 17.
  4. Zaki, Isis. History of the Coptic Museum. [S.l.: s.n.]  Parâmetro desconhecido |língu= ignorado (ajuda)
  5. Gabra & Eaton-Krauss, Gawdat & Marianne. The Illustrated Guide to the Coptic Museum (em inglês). [S.l.: s.n.] , página 21.
  6. Museu Copta, em Tour Egipt, em inglês
  7. Museu Copta Arquivado em 19 de agosto de 2007, no Wayback Machine. em Sacred Destinations, em inglês
  8. Kamil, Jill (1990). Coptic Egypt: History and a Guide (em inglês) 2 ed. Cairo: American University in Cairo. ISBN 9-7742-4242-4  , pág. 93
  9. Daily Star Egypt Arquivado em 25 de outubro de 2008, no Wayback Machine., em inglês
  10. Nag Hammadi Library Arquivado em 31 de março de 2005, no Wayback Machine., em inglês

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Meinardus, Otto F. A. (1999). Two Thousand Years of Coptic Christianity 2 ed. Cairo: American University in Cairo. ISBN 977-424-511-3