Museu Regional de Arqueologia Dom Diogo de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Museu Regional de Arqueologia Dom Diogo de Sousa
Tipo museu de arqueologia
Inauguração 1918 (100 anos)
Website oficial
Geografia
Coordenadas 41° 32' 46.68" N 8° 25' 38.89" O
Localidade Braga
Logradouro Rua dos Bombeiros Voluntários
País Portugal

O Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa é um museu de arqueologia localizado em Braga, Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

O museu foi criado em 28 de Março de 1918, então a cargo da Câmara Municipal e instalado no Paço Episcopal Bracarense.

Até aos anos 80 do século XX nunca conseguiu assegurar um funcionamento regular.

Em 1980 foi finalmente decidido revitalizar o Museu tendo sido nomeada uma Comissão Instaladora do projecto (Decreto-Lei nº 409/80, de 27 de Dezembro).

Mais tarde, Teresa Patrício Gouveia, secretária de Estado da Cultura do XI Governo lançou a obra de construção do museu, tendo sido erguida a estrutura de betão.

Em 1989 a Secretária de Estado, seria substituída por Pedro Santana Lopes, que procede a uma profunda reorganização dos serviços sob a sua dependência. Extingue o IPPC e cria em 1992 o IPPAR e o IPM (Instituto Português de Museus). Os então presidentes do IPM, Simonetta Luz Afonso, e do IPPAR, Nuno dos Santos Pinheiro, consideram o projecto do museu "O elefante branco da museologia", tendo congelado as obras.

A construção seria apenas retomada em 2001, tendo o museu aberto ao público em 29 de Junho de 2007.

Acervo[editar | editar código-fonte]

O seu acervo compreende colecções de arqueologia, da região Norte de Portugal, com particular incidência em torno de Braga, cuja cronologia se estende do Paleolítico à época Medieval.

O museu possui a que é considerada a “melhor colecção de miliários de toda a Europa”. Os do Inventário Capela foram classificados como Monumento Nacional em 1910.

Possui ainda milhares de moedas do Alto Império e dezenas de milhar de numismas do Baixo Império, grande parte delas por catalogar.

Um outro espólio diz respeito ao arquivo fotográfico, imagens relativas a monumentos arquitectónicos e arqueológicos desaparecidos.

Marcos milenares romanos no exterior do museu.

Também se pode visitar um mosaico romano, no preciso local onde foi encontrado.

Em 23 de Fevereiro de 2018 o museu recebeu, por doação, a colecção particular de Marion Buehler-Brockhaus e Hans Peter Buehler.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Museu Regional de Arqueologia Dom Diogo de Sousa

Referências[editar | editar código-fonte]