Museu do Fado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Museu do Fado
Tipo Museu de música
Inauguração 25 de setembro de 1998 (18 anos)
Visitantes 71 901 (2012)
168 877 (2013)[1]
Diretor Sara Pereira
Website www.museudofado.pt
Geografia
País  Portugal
Cidade Lisboa
Localidade Alfama
Taberna típica fadista no museu

O Museu do Fado foi inaugurado a 25 de Setembro de 1998 e é um museu consagrado ao universo do fado e da guitarra. O museu localiza-se no bairro de Alfama em Lisboa, Portugal.

Este espaço cultural conta com uma exposição permanente, um espaço de exposições temporárias, um centro de documentação, uma loja temática, um auditório, um restaurante e a Escola do Museu, onde são ministrados cursos de guitarra portuguesa e de viola de Fado, e onde é possível frequentar um seminário para letristas. A Escola disponibiliza igualmente um gabinete de ensaios para intérpretes.

Desde 2016 os museu disponibiliza, através da Internet, um Arquivo Sonoro Digital com acesso a milhares de registos sonoros desde o início do século XX, via pesquisa por intérprete e repertório.[2]

A reabilitação[editar | editar código-fonte]

Reaberto ao público[quando?] depois de uma renovação da sua exposição permanente, o Museu do Fado oferece uma leitura multidisciplinar da história da canção urbana de Lisboa desde a sua génese até à actualidade. Em exposição o visitante poderá encontrar, a par de uma multiplicidade de objectos ligados à canção de Lisboa (instrumentos, troféus, discos, partituras), o célebre quadro “O Fado”, de José Malhoa bem como obras de Rafael Bordalo Pinheiro, Constantino Fernandes, Cândido Costa Pinto, João Rodrigues Vieira, Júlio Pomar, entre outros artistas portugueses.

Um conjunto de postos de consulta interactiva documentando a história do Fado, possibilitam a consulta das biografias de centenas de personalidades ligadas ao Fado. Ao longo do percurso museológico, o audioguia permite a audição de várias dezenas de fados.

Edifício[editar | editar código-fonte]

O museu está instalado na a "Estação Elevatória de Águas de Alfama"[3], um dos mais importantes edifícios de equipamento lisboetas do século XIX, estndo em vias de classificação como Imóvel de Interesse Municipal. O edifício, uma obra de engenharia de Joaquim Pires de Sousa Gomes e de Paiva Couceiro, começou a ser construído em 1868. Entre várias funções funcionou, entre 1974 e 1990, também como Centro de Trabalho do Partido Comunista Português. Entre 1995 e 1998 foi alvo de remodelação e ampliação, da autoria dos arquitetos João e José Daniel Santa-Rita, para acolher o Museu do Fado e da Guitarra Portuguesa.[4][5]

Horário[editar | editar código-fonte]

O Museu do Fado encontra-se aberto ao público de terça a domingo, entre as 10:00 e as 18:00 (últimas admissões às 17:30).

Referências

  1. EGEAC (18 de junho de 2014). «EGEAC Relatório de Contas 2013» (PDF). Lisboa: Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural. p. 14 (17). Consultado em 1 de agosto de 2015. Arquivado do original (PDF) em 15 de setembro de 2015 
  2. Nuno Morais (21 de junho de 2016). «Museu do Fado disponibiliza Arquivo Sonoro Digital e cria Editora discográfica.». Antena 1. Consultado em 23 de março de 2017 
  3. Ou Estação Elevatória de Águas do Recinto da Praia.
  4. Edifício da Antiga Estação Elevatória de Águas de Alfama na base de dados da Direção-Geral do Património Cultural. Consultado em 23 de março de 2017
  5. Estação Elevatória da Praia na Sistema de Informação para o Património Arquitetónico (SIPA) do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana Presume-se que se refere a este "Paiva Couceiro. Consultado em 6 de abril de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Museu do Fado
Ícone de esboço Este artigo sobre um museu é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.