Neodermata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaNeodermata
Fasciola hepatica, um Neodermata
Fasciola hepatica, um Neodermata
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Platyhelminthes
Clado: Neodermata
Ehlers, 1985
Classe: Rhabditophora
Ordens

Neodermata é a denominação dada a um táxon que reúne as seguintes classes de Platelmintos: Trematoda, Monogenea e Cestoda. Os membros dessas classes são todos parasitas e herdaram a faringe bulbosa e sugadora dos Turbellaria e evoluíram um novo carácter que lhes permitiu adaptarem-se ao endoparasitismo. Esse caráter é a neoderme que é a cobertura corpórea presente na fase adulta que surge em substituição da epiderme embrionária.

Neoderme[editar | editar código-fonte]

Durante o desenvolvimento, a epiderme embrionária é descartada e substituída por baixo por extensões na forma de projeções do neoblasto do parênquima que penetram a lâmina basal da epiderme, espalham-se sobre sua superfície externa e se fundem lateralmente com outros neoblastos para formar a neoderme sincicial. O corpo celular dos neoblastos contém um núcleo cada e situam-se abaixo da lâmina basal do parênquima. Desse modo, a neoderme encerra o corpo em um sincício, que se estende para dentro do parênquima por intermédio de seus corpos celulares.

Vantagens da neoderme[editar | editar código-fonte]

Os atributos funcionais de um sincício estão relacionados com sua estrutura. Uma camada sincicial, sendo uma célula multinucleada, não possui divisões citoplasmáticas e, portanto, não possui espaços intercelulares. Isso significa que qualquer substância que "deseje" atravessas a parede do corpo deve passar intracelularmente através do sincício, tendo que sofrer regulação entre células para entrar ou sair do corpo. Assim, uma epiderme sincicial possibilita uma melhor regulação pelo organismo do que entra e sai de seu corpo, restringindo algumas substâncias e acelerando o transporte de outras. A neoderme também pode possibilitar que o parasita suporte os diferentes desafios osmóticos encontrados durante seu ciclo de vida, que pode incluir uma fase em água doce e um ou mais hospedeiros.

Sistemática[editar | editar código-fonte]

O seguinte cladograma mostra a posição sistemática do grupo (de acordo com o Dyntaxa):[1]

Plathelminthes

Catenulida


Rhabditophora
Macrostomorpha

Haplopharyngida



Macrostomida



Trepaxonemata

Polycladida


Neoophora

Bothrioplanida



Lecithoepitheliata



Proseriata


Eulecithophora
Rhabdocoela

Dalyellioida



Endoaxonemata



Kalyptorhynchia



Typhloplanoida



Temnocephalida



Adiaphanida

Prolecithophora



Fecampiida



Tricladida



Neodermata

Polyopisthocotylea



Monopisthocotylea


Cestoda

Cestodaria



Eucestoda



Trematoda

Aspidogastrea



Digenea









Notas

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Hickman Jr., Cleveland P.; Roberts, Larry S.; Larson, Allan Princípios Integrados de Zoologia. Rio de Janeiro, 2004.
  • Ruppert, Edward E.; Fox, Richard S.; Barnes, Robert D. Zoologia dos Invertebrados: Uma Abordagem Funcional-evolutiva. São Paulo, 2005.