O poeta que fingia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O poeta que fingia é um romance do escritor brasileiro Álvaro Cardoso Gomes publicado em 2010 pelaFTD Educação e ilustrado por Alexandre Camanho. Nessa história, o poeta Fernando Pessoa torna-se um personagem por meio da imaginação do menino João Fernando, que o garoto vê o poeta como um "pai espiritual", que abre seus olhos para vida e o insere no mundo da poesia. [1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O romance fala de João Fernando que tem uma relação muito ruim com o pai,imagina o poeta Fernando Pessoa como um segundo pai que o entende, que coloco-o no mundo das poesias.

Grande parte das falas de Fernando Pessoa na história são criadas pelo autor, sendo algumas baseadas em registro em cartas ou em diários, outras são retiradas de poesias. Assim, o livro não somente estuda do poeta, mas também, revela sua importância na literatura mundial. [2][3]

Título[4][editar | editar código-fonte]

Fernando Pessoa no livro, fala a João Fernando uma coisa curiosa sobre os poetas, que é:

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

Ele diz neste poema que o poeta finge tudo, até um sentimento e uma emoção. O importante para o poeta não é expressar um sentimento real, e sim convencer o leitor que é real.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em 2011, O poeta que fingia ganhou no segundo lugar, o Prêmio Jabuti na categoria Juvenil, pois em primeiro lugar ficou Antes de virar gigante e outras histórias, e em terceiro lugar Sortes de Villamor.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.