Organização Latino-Americana de Solidariedade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Organização Latino-Americana de Solidariedade ou OLAS foi uma organização criada em agosto de 1967 em Cuba, composta por diversos movimentos revolucionários e anti-imperialistas da América Latina que, em maior ou menor medida, compartilhavam as propostas estratégicas da Revolução Cubana. A proposta de criação da OLAS se realizou depois do sucesso da Primera Conferencia Tricontinental de Solidaridad Revolucionaria, na qual se reuniram mais de quinhentos delegados de organizações revolucionárias da Ásia, África e América Latina. A conferência ocorria em meio à crise dos mísseis cubana, e o objetivo era ampliar a luta contra o imperialismo norte americano e expandir a revolução.[1]

Em sua primeira declaração a OLAS realizou um balanço sobre as estratégias aplicadas até o momento e apostou claramente pela luta armada e pela guerra de guerrilhas como mecanismo para estender a revolução à toda América Latina. Todavia, a morte de Che Guevara na Bolívia poucas semanas depois da realização da conferência frustrou o projeto da organização de coordenar dos países andinos aos distintos movimentos guerrilheiros existentes e criar novos, ficando assim impossibilitado o objetivo marcado da OLAS. Na década de 1970 a OLAS havia se transformado em um centro de divulgação das lutas sem capacidade real de coordenação.[2][1]

Referências

  1. a b SALGUEIRO, Graça (2017). O Foro de São Paulo. [S.l.]: Observatório Latino. 210 páginas. ISBN 9780692803882 
  2. Sader, Emir (2009). «OLAS». Latinoamérica: Enciclopedia Contemporánea de América Latina y el Caribe. Madrid: AKAL Ediciones. pp. 909-910. ISBN 978-84-460-3060-7.