Ori (documentário)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Orí
Brasil
1989 •  91 min 
Direção Raquel Gerber
História Maria Beatriz Nascimento
Narração Maria Beatriz Nascimento
Música Naná Vasconcelos
Lançamento 4 de março de 1989 (Burkina Faso)
5 de outubro de 1989 (Brasil)
Idioma português

Ôrí é um documentário brasileiro de 1989 dirigido por Raquel Gerber. Através da pesquisa e narração da historiadora Maria Beatriz Nascimento, o longa-metragem acompanha entre 1977 e 1988 as atividades do movimento negro nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Alagoas, conectando as pautas políticas e culturais com as tradições de países como Senegal, Mali e Costa do Marfim, localizados na África Ocidental.

Teve sua estréia internacional em 4 de março de 1989, no Festival Panafricano de Cinema e Televisão de Ouagadougou em Burkina Faso, onde recebeu o prêmio Paul Robeson para filmes produzidos fora do continente africano.[1] No Brasil, estreou em 5 de outubro de 1989, no Cine Groff, em Curitiba.[2]

Referências

  1. Millarch, Aramis (9 de abril de 1989). «"Orí", um filme-tese sobre a cultura negra». Millarch. Consultado em 30 de outubro de 2019 
  2. Millarch, Aramis (29 de setembro de 1989). «Semana de muitas opções com o Festival». Millarch. Consultado em 30 de outubro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.