Os Vagabundos do Dharma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Dharma Bums
Os Vagabundos do Dharma (2000) ou Os Vagabundos da verdade (1965) (PT)
Os Vagabundos Iluminados (BR)
Autor(es) Jack Kerouac
Idioma Língua inglesa
País  Estados Unidos
Editora The Viking Press
Lançamento 1958
Páginas 187
Edição portuguesa
Editora Minerva
Lançamento 1965
Páginas 302
Cronologia
The Subterraneans
Doctor Sax

The Dharma Bums (Os Vagabundos Iluminados BRA ou Os Vagabundos do Dharma (2000) ou Os Vagabundos da verdade (1965) POR é um romance de 1958 do escritor da Geração Beat Jack Kerouac. Os aspectos semi-ficcionais do romance são baseados em eventos que ocorreram anos após os eventos de Pé na estrada BRA ou Pela Estrada Fora POR. As personagens principais são o narrador Ray Smith, baseado em Kerouac, e Japhy Ryder, baseado no poeta e ensaísta Gary Snyder, que foi fundamental na iniciação de Kerouac no budismo em meados de 1950. O livro trata grandemente da dualidade na vida e nos ideais de Kerouac, examinando a relação que a vida ao ar livre, o montanhismo, as caminhadas e a escalada no Oeste têm na sua vida citadina em clubes de jazz, recitais de poesia e festas de bebedeira. A procura do protagonista por um contexto "budista" para as suas experiências (e para as das pessoas com que se cruza) é um tema recorrente ao longo de toda a história.

Personagens chave[editar | editar código-fonte]

Kerouac baseada muitas vezes as suas personagens fictícias em amigos e familiares.[1][2]

Pessoa na vida real Nome da personagem Importância
Jack Kerouac Ray Smith
Gary Snyder Japhy Ryder Jack Kerouac tornou-se íntimo do poeta Gary Snyder (1930), admirando-o pelo seu forte espiritualismo, sentido de comunhão com a natureza e testemunho das tradições nativas do seu país, bem como pela sua erudição em literatura oriental.[3]
Allen Ginsberg Alvah Goldbook Allen Ginsberg (1926-1997)
Neal Cassady Cody Pomeray Kerouac manteve uma amizade de muitos anos com Neal Cassady, retratada na sua obra mais célebre On the Road e, posteriormente, em Visions of Cody (1971). O estilo de escrita das longas cartas de Cassady a Kerouac terá sido uma marcante influência no desenvolvimento da "prosa espontânea" de Kerouac.[4]
Philip Whalen Warren Coughlin Philip Whalen (1926-2002)
Locke McCorkle Sean Monahan
John Montgomery Henry Morley
Philip Lamantia Francis DaPavia Philip Lamantia (1927-2005)
Michael McClure Ike O'Shay Michael McClure (1932)
Peter Orlovsky George
Kenneth Rexroth Rheinhold Cacoethes Kenneth Rexroth (1905-1982)
Alan Watts Arthur Whane
Caroline Kerouac Nin
Carolyn Cassady Evelyn
Claude Dalenberg Bud Diefendorf
Nathalie Jackson Rosie Buchanan Nathalie Jackson foi uma das amantes de Neal Cassady, sendo o seu desfecho trágico romantizado nesta obra.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sandison, Daivd.
  2. Who’s Who: A Guide to Kerouac’s Characters
  3. Kerouac, Jack. Os vagabundos do Dharma, Nota da Tradução, pág. 32.
  4. Kerouac, Jack. Os vagabundos do Dharma, Nota da Tradução, pág. 40.
  5. Kerouac, Jack. Os vagabundos do Dharma, Nota da Tradução, pág. 40.