Pão de batata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pão de batata
Categoria Pão
Ingrediente(s)
principal(is)
Batata, farinha, farinha de trigo
Receitas: Pão de batata   Multimédia: Pão de batata

O pão de batata é uma receita de pão em que a farinha de batata ou a batata substitui uma porção da farinha de trigo normal.[1][2] É cozinhado de várias maneiras, incluindo assá-la em uma chapa ou frigideira quente ou no forno. Pode ser fermentado ou não , pode ter uma variedade de outros ingredientes cozidos nele. A proporção de batata para farinha de trigo varia significativamente de receita para receita, com algumas receitas tendo a maioria de batata e outras farinhas , tendo a maioria de farinha de trigo. Algumas receitas pedem puré de batata, outras pedem flocos de batata desidratada. Ele está disponível como um produto comercial em muitos países, com variações semelhantes nos ingredientes, método de cozimento e outras variáveis.

Variedades[editar | editar código-fonte]

Chile[editar | editar código-fonte]

O pão de batata, em diferentes formas, é um elemento comum da culinária chilena no sul do Chile. Os pães mais populares são o milcao e o chapalele, que fazem parte do tradicional curanto.

Alemanha[editar | editar código-fonte]

O Kartoffelbrot é um pão de batata que pode conter farinha de espelta e de centeio.

O Berches é um pão judeu-alemão feito para o Shabat. Como outras chalás Ashkenazi, é tipicamente trançado, mas ao contrário da doce chalá de ovo da cozinha Ashkenazi oriental, o pão berches contém batata fervida, amassada e arrefecida, e não tem ovo e tem muito pouco açúcar na massa. Algumas receitas contêm óleo, outras não. Muitas vezes é coberto com uma lavagem de ovos (mesmo que não haja nenhum ovo incorporado na própria massa) e sementes de papoila. Embora existam poucos judeus alemães vivendo na Alemanha, a tradição de fazer berches foi continuada por padeiros não judeus, que estão cientes da história judaica do pão.[3]

Hungria[editar | editar código-fonte]

O pão de batata faz parte da culinária da Hungria.[4]

Irlanda do Norte e República da Irlanda[editar | editar código-fonte]

Bolos/pão de batata geralmente fazem parte de um pequeno-almoço/café da manhã irlandês
Soda Farl

Na Irlanda, pão de batata ou bolos conhecidos como boxty (em irlandês: bacstaí) eram populares e podem ser resultado dos tipos de batata farinhentos que eram comuns no país.[5]

Os farls de batata são um grande círculo dividido em quatro quadrantes ou fatias quadradas (geralmente em torno de 0,5 a 1 centímetro de espessura) de pão de batata mole, levemente pulverizado com farinha e são comuns em Ulster, especialmente na Irlanda do Norte. Eles são tradicionalmente usados como um dos itens alimentares diferenciados num pequeno-almoço/café da manhã irlandês, onde são fritos em ambos os lados por um curto período de tempo e servidos com soda farls cozinhados da mesma maneira. Eles também podem ser grelhados e amanteigados, ou comidos com uma variedade de coberturas.[6]

Bolo de batata com maçã ou "fadge" era cozido na Irlanda no Outono, quando havia maçãs para cozinhar, e era muito popular no nordeste do país. Batatas cozidas na hora são misturadas com manteiga derretida, sal e farinha.[5] É um pão de batata enrolado, como uma massa, em torno de um recheio doce de maçãs.[6]

Polónia[editar | editar código-fonte]

O Okrągły chleb kartoflany é um pão de batata leve e arejado.[7]

Escócia[editar | editar código-fonte]

O scone tattie escocês, também conhecido como "tottie scone" ou "scone de batata", é semelhante ao farl de batata irlandês. Eles geralmente têm o formato de um grande círculo dividido em quatro quadrantes, de forma semelhante aos bolos de aveia escoceses tradicionais, ou como pequenas rodas.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

O pão de batata está disponível comercialmente nos Estados Unidos como um pão leve e arejado, muito semelhante ao pão branco normal produzido em massa, mas com uma tonalidade amarela, textura mais espessa e um leve sabor de batata.

O pão de batata doce Cherokee é uma variação do pão de batata que usa batata-doce.

Referências

  1. Mu, T.; Sun, H.; Liu, X. (2016). Potato Staple Food Processing Technology. Springer Singapore. Col: SpringerBriefs in Food, Health, and Nutrition. [S.l.: s.n.] ISBN 978-981-10-2833-5 
  2. Hensperger, B. (2000). Bread Lover's Bread Machine Cookbook: A Master Baker's 300 Favorite Recipes for Perfect-Every-Time Bread-From Every Kind of Machine. Harvard Common Press. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-55832-156-4 
  3. Gropman, Sonya. «A Jewish Bread Lives On in Germany». TASTE. Consultado em 9 de Maio de 2020 
  4. Treuille, E.; Ferrigno, U. (2004). Ultimate Bread. DK Pub. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7566-0370-0 
  5. a b Mahon, Bríd (1998). Land of milk and honey : the story of traditional Irish food and drink. Mercier Press. Dublin [Ireland]: [s.n.] 139 páginas. ISBN 1-85635-210-2. OCLC 39935389 
  6. a b Hickey, Margaret (2018). Ireland's green larder : the definitive history of Irish food and drink. Unbound [Paperback edition] ed. London: [s.n.] pp. 65, 248. ISBN 978-1-78352-799-1. OCLC 1085196202 
  7. Dooley, B. (2015). In Winter's Kitchen. Milkweed Editions. [S.l.: s.n.] pp. 60–61. ISBN 978-1-57131-881-7 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]