Partamona littoralis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Como ler uma infocaixa de taxonomiaPartamona littoralis
Partamona littoralis
Partamona littoralis
Estado de conservação
Espécie em perigo
Em perigo [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Hymenoptera
Subordem: Apocrita
Superfamília: Apoidea
Família: Apidae
Subfamília: Apinae
Tribo: Meliponini
Gênero: Partamona
Nome binomial
P. littoralis
(J. M. F. Camargo & S. R. M. Pedro, 2013)[2].)
Distribuição geográfica
[[Imagem:
Partamona littoralis.png
|240px|Mapa de distribuição]]
Mapa de distribuição
Sinónimos[3]

Partamona littoralis é uma abelha (Apidae) pertencente a tribo Meliponini conhecidas como "abelhas sem ferrão" (ferrão atrofiado) e gênero Partamona, nativa da fauna brasileira.[2]

Estado de Conservação[editar | editar código-fonte]

Conforme atualização em 2018 da Lista Vermelha Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada volume IV, as espécies deste inseto encontra-se Em Perigo (EN).[1]

Distribuição Geográfica[editar | editar código-fonte]

Partamona littoralis é endêmica do Brasil, conhecida de poucas localidades na Mata Atlântica do nordeste, com registros no Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. Sua extensão de ocorrência, calculada pelo método do mínimo polígono convexo, é estimada em 258 km2.[1] Há registros nas seguintes localidades: Mamanguape, REBIO Guaribas, Rio Tinto (PB), Iguarassu, Usina São José, Macacos e Pezinho (PE) e Natal (RN).[1]

Lista de plantas que são visitadas por Partamona littoralis[editar | editar código-fonte]

Plantas que são visitadas por Partamona littoralis.[4]

Gênero Espécie Nome comum
Anacardiaceae Anacardium occidentale L. acajaiba,caju,caju-anão,cajueiro
Convolvulaceae Jacquemontia glaucescens Choisy
Dilleniaceae Tetracera breyniana Schltdl.
Fabaceae Andira fraxinifolia Benth.
Malpighiaceae Byrsonima sericea DC.
Myrtaceae Myrcia rotundifolia (O. Berg) Kiaersk.
Myrtaceae Psidium guineense Sw. Araçá-da-praia, Araçá-mirim,Goiabinha
Myrtaceae Psidium oligospermum DC.
Polygonaceae Coccoloba alnifolia Casar. pau-de-estalo, cabuçu,
Polygonaceae Coccoloba ramosissima Wedd.
Rubiaceae Tocoyena sellowiana (Cham. & Schltdl.) K. Schum. Jenipaparana

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d ICMBIO, MMA (2018). «Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção» (PDF) 1 ed. Brasília, DF, Brasil: Ministério do Meio Ambiente. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. VII. Consultado em 22 de Maio de 2019 – via ICMBIO Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
  2. a b Camargo, João M. F.; Pedro, Silvia R. M. (setembro 2003). «Meliponini neotropicais: o gênero Partamona Schwarz, 1939 (Hymenoptera, Apidae)». Revista Brasileira de Entomologia. 47: 1–117. ISSN 0085-5626. doi:10.1590/S0085-56262003000500001 
  3. Abelhas indígenas do Brasil, NETO, Paulo Nogueira, 1970. [S.l.: s.n.] 
  4. Interações Abelhas-Plantas - Lista de plantas que são visitadas por Partamona littoralis. [S.l.]: Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA 
Ícone de esboço Este artigo sobre abelhas, integrado ao Projeto Apiologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.