Paulo Cavalcante (artista visual)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Paulo Cavalcante
Nome completo Paulo Henrique Ribeiro Cavalcante
Pseudónimo(s) Cavalcante
Nascimento 31 de dezembro de 1961 (59 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Prémios
  • 1999 - vencedor do “Award of Excellence”, da Society of Newspaper Design (SND)
  • 2001 - vencedor do "The Best of Newspaper Desing 2000", da Society od Newspaper Design (SND), na categoria "Individual Portfólio"
  • 2011 - vencedor na categoria caricatura, do 3º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro
  • 2016 - vencedor do 1º Salão Latino-americano de Humor, com caricatura de Vinícius de Moraes
Área artista visual
Página oficial
cavalcante-arte.blogspot.com

Paulo Henrique Ribeiro Cavalcante, conhecido como Cavalcante ou Cavalca, (Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 1961), é caricaturista, ilustrador e artista plástico brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Autodidata, estreou no Pasquim em 1984. Logo depois, passou a contribuir com a revista Mad e, nos anos seguintes, teve suas caricaturas e ilustrações publicadas em alguns dos mais importantes jornais do Brasil nos últimos 30 anos.[2]

Em 2001, foi premiado pela Society of Newspaper Design (SND), com o “The Best of Newspaper Design 2000”, na categoria “Individual Portfolio”, por seus trabalhos em “O Globo”.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em passagem por São Paulo, colaborou com o jornal “O Estado de S.Paulo”. Pouco tempo depois, nos anos 90, passou a trabalhar no jornal carioca “O Globo”, onde publicou suas caricaturas em capas de diversos cadernos, como o suplemento literário “Prosa & Verso” e “Segundo Caderno”. Também ficou conhecido por suas ilustrações nas páginas de Opinião do jornal. Cavalcante também realizou exposições no Brasil e no exterior.

Em 1999, recebe o “Award of Excellence”, da Society of Newspaper Design (SND), por retrato de página inteira do filósofo Michael Foucault, publicado no caderno de cultura de “O Globo”.

Nos anos 2000, numa iniciativa pioneira, lançou a revista “Papel Brasil”, especializada em arte gráfica, pela editora Garamond, em companhia dos artistas Lula Palomanes, Glauco Cruz e Walter Vasconcelos.

Também nos anos 2000, participou da exposição “As novas estéticas da caricatura ibero-americana”, no 11º Festival Internacional da Banda Desenhada, na cidade de Amadora, em Portugal.

Em 2011, no 3º Festival Internacional de Humor do Rio de Janeiro,[3] voltado para profissionais que já atuavam há anos na grande imprensa, conquistou o primeiro lugar na categoria Caricatura, com um desenho da cantora Amy Winehouse.

Em 2012, teve indicação ao prêmio de melhor caricaturista no Troféu HQ Mix, da cidade de São Paulo.

Em 2013/2014, fez no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) uma retrospectiva de sua carreira intitulada "A Arte de Cavalcante", na 1ª Bienal Internacional da Caricatura. A mostra mescla trabalhos gráficos e pinturas em telas.[4] A exposição foi recomendada pela crítica especializada da revista “Veja Rio” como uma das melhores mostras do Rio de Janeiro no período.[5]

Em 2016, foi o vencedor do 1º Salão Latino-americano de Humor, no Memorial da América Latina, em São Paulo, com uma caricatura de Vinícius de Moraes.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Vinícius Machado (26 de novembro de 2015). «Cavalcante». O Globo. Consultado em 15 de novembro de 2020 
  2. «No Rio, Bienal da caricatura expõe obras de Cavalcante». Jornal Mundo Lusíada. 5 de dezembro de 2013. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  3. «MNBA sedia 3º Festival Internacional de Humor». Instituto Brasileiro de Museus. 8 de agosto de 2011. Consultado em 20 de novembro de 2020 
  4. Nani Rubin (5 de dezembro de 2013). «O traço afiado de Cavalcante na Bienal Internacional de Caricatura». O Globo. Consultado em 15 de novembro de 2020 
  5. Carolina Barbosa (5 de janeiro de 2014). «Trabalho do ilustrador Paulo Cavalcante fazem parte da 1ª Bienal Internacional da Caricatura». Veja Rio. Consultado em 15 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]