Pay to play

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pay-to-Play)
Ir para: navegação, pesquisa

A expressão inglesa pay to play (às vezes, também pay for play; em português: 'pague para jogar'), abreviadamente P2P, aplica-se a uma série de situações em que se dá dinheiro em troca de serviços ou privilégios para participar de certas atividades. O denominador comum de todas as formas de pay to play é a obrigatoriedade de pagamento para "entrar no jogo", sendo frequente a analogia com os esportes.[1]

Em jogos eletrônicos[editar | editar código-fonte]

A expressão se aplica, por exemplo, a jogos do tipo MMORPGs, nos quais é necessário pagar créditos, mensalidades ou uma assinatura para poder jogar. Um exemplo de pay to play é o jogo World of Warcraft. Alguns jogos pay to play online também combinam elementos do free-to-play (gratuitos). Alguns optam por dois servidores - um pago e outro gratuito; também pode haver um "Item Mall", com lojas que vendem itens especiais para os jogos.

Em política[editar | editar código-fonte]

Em política, pay to play refere-se à prática de pagar uma determinada quantia em dinheiro ("jabá" ou "jabaculê") para se tornar um player, ou seja, um participante do jogo político.

Geralmente, o pagador (indivíduo ou organização) faz doações de campanha a políticos ou a partidos e recebe benefícios de natureza política ou pecuniária, tais como a obtenção de contratos governamentais sem licitação, possibilidade de influenciar a legislação,[2][3] nomeação para cargos públicos,[4][5] acesso privilegiado a pessoas ou informações[6] e outros favores. Mais raramente, as doações podem ser feitas a entidades sem fins lucrativos[7] ou a membros da família de uma autoridade.[8]

Referências

  1. Golway, Terry (26 de agosto de 2001). «Nothing Innocent About Pay-to-Play». The New York Observer 
  2. J. Nesmith, Execs Pay to Play with GOP, CommonDreams.org NewsCenter, 7 de janeiro de 2004 Arquivado em 2008-02-23 no Wayback Machine..
  3. Chicago's Pay-to-Play Zoning
  4. L. Riscalla, Pilot shows way to end pay to play, Home News Tribune, 1º de novembro de 2005; republicado por Common Cause em www.commoncause.org Arquivado em 2008-06-10 no Wayback Machine.
  5. Pay-to-Play, Fletcher-Style, Bluegrassreport.org, 27 de fevereiro de 2007. Arquivado em 2008-06-10 no Wayback Machine.
  6. Governor Giving Carte Blanche, Special Access to Major Donors: Pay-to-Play Abuses Aimed at Derailing Public Employee Unions, 6 de junho de 2005. Arquivado em 2008-12-14 no Wayback Machine..
  7. H. Hausemann, Politicos should return money from casino owner who admits trying to buy their support, nmpolitics.net, 18 de julho de 2006 (contribuições para universidades e escolas).
  8. St. Clair, Stacy (11 de dezembro de 2008). «Criminal Complaint Reveals Extent of Gov. Blagojevich's 'Pay-for-Play' Scheme». Los Angeles Times 

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.