Pensador Profundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Maio de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde Maio de 2011).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Pensador Profundo (em inglês, Deep Thought) foi mencionado primeiramente no livro O Guia do Mochileiro das Galáxias e foi o gerador de toda a confusão que envolveu os cinco livros da "trilogia".[carece de fontes?]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O Que É?[editar | editar código-fonte]

O Pensador Profundo é um computador projetado para calcular a resposta para vida, o universo e tudo mais. E essa resposta é quarenta e dois.[1]

Confusão[editar | editar código-fonte]

Após 7,5 milhões de anos, o pensador profundo calcula a resposta da vida, do universo e tudo mais: 42.

Indignados, os seres hiperinteligentes dizem que essa não era a resposta da pergunta. O computador retruca que eles próprios não sabiam qual era pergunta, afirmando em seguida que a resposta em si (42), só poderia ser entendida quando soubessem a pergunta.

Sucessor[editar | editar código-fonte]

O Pensador Profundo dá aos seres hiperinteligentes cálculos de como fazer o único computador capaz de encontrar a Pergunta para a resposta 42. Esse computador seria tão grande e fenomenal que seria até confundido como um planeta. E a esse computador chamariam de Terra, a qual levaria 10 milhões de anos para completar seus objetivos.

O Falso Apocalipse[editar | editar código-fonte]

A Terra é destruída cinco minutos antes de completar o programa de computador projetado pelo Pensador Profundo, pelos vogons, supostamente para a construção de uma via intergaláctica. Os únicos sobreviventes são Arthur Dent, Ford Prefect (que não era natural da Terra) e Tricia Macmillian, que havia saído antes do planeta. No entanto, a destruição da terra foi encomendada por um conselho de psicólogos e filósofos dispostos a proteger o universo da descoberta da pergunta fundamental, mantendo assim seu emprego.

Dados Gerais sobre o Pensador Profundo[editar | editar código-fonte]

  • Localização: o planeta fica em uma dimensão que pode ser acessada pelo planeta Magrathea;[P 1]
  • Construção: Nativos do planeta(que seu nome não é mencionado no livro) que fica na outra dimensão que pode ser acessado pelo planeta Magrathea, seres pandimensionais hiperinteligentes, posteriormente transformados em ratos para operar o computador que calcularia a pergunta fundamental;
  • Resposta da Vida, o Universo e Tudo Mais: 42;

O Que O Guia diz Sobre Ele[editar | editar código-fonte]

Impacto cultural[editar | editar código-fonte]

  • O computador para jogar xadrez desenvolvido pela IBM em 1985, chamado inicialmente Chip Test, foi redenominado Deep Thought em homenagem ao computador fictíceo. Deep Thought perdeu duas partidas para Gary Kasparov em 1989, mas o computador foi aperfeiçoado, dando origem em 1993 ao Deep Blue (que combinava os nomes do Deep Thought com Big Blue, um apelido para a IBM). Kasparov derrotou Deep Blue por 4-2 em 1996, porém em um segundo match, em 1997, foi derrotado por 2,5 x 3,5.[2]
  • O programa de computador Eureqa, projetado para interpretar dados matemáticos brutos, foi colocado para resolver o problema do pêndulo, e perguntado pelos pesquisadores Hod Lipston e Michael Schmidt sobre quantos eram os invariantes do sistema. A resposta foi 42.[1]


Referências[editar | editar código-fonte]

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

  1. Douglas Adams, The Hitchhikers Guide to the Galaxy, Capítulo 18

Fontes secundárias e terciárias[editar | editar código-fonte]

  1. a b Rachel Ehrenberg, Software Scientist, With a little data, Eureqa generates fundamental laws of nature [em linha]
  2. The Historyu Channel, This Day in History, 17 de fevereiro de 1996, Kasparov derrota computador que joga xadrez [em linha]