Peste & Sida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
PESTE & SIDA

BIOGRAFIA

O grupo Peste & Sida formou-se no Verão de 1986, em Lisboa. A sua formação era constituída por João San Payo (baixo), Luís Varatojo (guitarra) e Raposo (bateria).

João Pedro Almendra junta-se ao grupo para se encarregar das vocalizações, em Setembro do mesmo ano.

Participam no 4º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vous, mas entretanto conseguem contrato de gravação com a independente Transmédia e editam o LP "Veneno" (1). Este disco revela uns Peste & Sida próximos da estética Punk em temas como "Veneno", "Furo na Cabeça", "Gingão" ou "Carraspana".

A capa do disco é uma cópia de "London Calling" dos Clash.

O som do grupo começa a ultrapassar as fronteiras do Punk e alarga-se a outros géneros como o reggae, o rock e o rap. Esta evolução nota-se no segundo disco "Portem-se Bem", um LP que tem no tema "Sol da Caparica", uma versão de um tema americano dos anos 60, o seu maior sucesso. Outros temas são "Chuta Cavalo...E Morrerás", a versão do tema popular alentejano "Vamos Lá Saindo" e "Paulinha".(2)

A banda começa a dar muitos espectáculos e faz as primeiras partes dos ingleses P.I.L. (grupo liderado por John Lydon, aliás Johnny Rotten vocalista dos Sex Pistols).

O Máxi-single "Homem da Sorte/Reggaesida", editado em 1989, foi gravado pelo quarteto San Payo, Varatojo, Almendra e Raposo.

Entra, como segundo guitarrista, (vindo dos Vómito), Nuno Rafael, ao mesmo tempo que João Pedro Almendra abandona. (3)

A banda prepara o seu novo trabalho discográfico, que sai em Abril de 1990, com o título "Peste & Sida é Que é...". Este disco inclui uma versão do tema "A Morte Saiu à Rua" de José Afonso e outros temas como o apelativo "Vamos Ao Trabalho!" e "Maldição".

Raposo abandona a bateria e para o seu lugar entra Marco, ainda a tempo de participar nas gravações do próximo álbum do grupo: "Eles Andam Aí". Nele se encontram temas como "No Meu Tempo Não Era Assim" e "RFM (Rock Faz Mal)", uma crítica à estação de rádio RFM que se recusava a passar os temas do grupo.

Em 1993 é editado o disco "O melhor dos Peste & Sida", que é um somatório dos dois discos gravados para a editora Polygram.

Para o grupo entram João Cardoso (teclas) e Sérgio Nascimento (bateria), este último a substituir Marco. O grupo, com esta nova formação toca no Terreiro do Paço, em Lisboa, nas comemorações do 25 de Abril e apresenta uma versão de "Bully Bully", clássico do rhythm'n'blues que intitulam "Bule Bule".

Em 1994 participam no disco e no concerto de homenagem a José Afonso com a sua versão de "O Homem da Gaita".

O grupo começa a ter uma actividade paralela sob o nome de Despe & Siga (4), interpretando versões em português de clássicos do rock. Durante algum tempo existiriam os Peste e os Despe, até que a saída de San Payo (que queria manter os dois grupos) leva à extinção dos Peste & Sida.

No dia 21 de Outubro de 2002, a Universal lançou a compilação "A Verdadeira História" dos Peste & Sida".(5)

Os Peste & Sida regressaram em força na Primavera de 2004. Um novo disco foi editado com o sugestivo título de "Tóxico". A formação da banda é, agora, para além de João Sampayo (voz e baixo), Orlando Cohen (guitarra, voz), João Alves (guitarra, voz) e Marte Ciro (bateria e voz). Orlando Cohen tinha sido, já, membro da banda numa das suas formações anteriores.

ARISTIDES DUARTE / NOVA GUARDA

(1) Entretanto Orlando Cohen entrara para o lugar de segundo guitarrista. O álbum "Veneno" foi reeditado em 1990 pela Polygram

(2) Orlando Cohen sai do grupo em 1989.

(3) Depois da saída de João Pedro Almendra, as vocalizações passaram a ser repartidas por João San Payo e Luís Varatojo. Nuno Rafael entra em 1990. O seu colega nos Vómito, Zé Vilão, chega a colaborar com os Peste & Sida (uma das suas últimas aparições foi na versão de "O Homem da Gaita".).

(4) O início oficial dos Despe & Siga é em 1994 mas os espectáculos de versões começaram no verão de 1992. Em 1994 os Peste & Sida tocaram no Estádio de Alvalade por ocasião do espectáculo "Filhos da Madrugada" mas depois os concertos começaram a rarear. O grupo só acabaria (nesta primeira fase) em 1996.

(5) O título da compilação tem a ver com a faixa "A Verdadeira História de Alcides Pinto". A edição deste disco foi bastante polémica. João San Payo, Nuno Rafael, Sérgio Nascimento e Marco Franco enviaram um comunicado para o jornal Blitz a contestar o facto de não terem sido consultados  pois a editora apenas falou com Luís Varatojo.

DISCOGRAFIA

Veneno (LP, Transmédia, 1987)

Portem-se Bem (LP, Polygram, 1989)

Peste & Sida é Que é! (LP, Polygram, 1990)

Eles Andam Aí! (CD, BMG, 1992)

O Melhor dos Peste & Sida (Compilação, Polygram, 1993)

A Verdadeira História (Compilação, Universal, 2002)

Tóxico (CD, DAS, 2004)

SINGLES

Maxi [Homem de Sorte/Reggaesida] (Máxi, Polygram, 1989).

Eles Andam Aí/Tu Queres Ecus (Máxi, BMG, 1992)

Bule! Bule!/A Vida São Dois Dias (FF Remix) (Single, Promo/BMG, 1993).

Funky Riot/Ter Alguém (Single, Promo/Ed. Autor, 2003)

COMPILAÇÕES SE

O Melhor de 2 - Xutos & Pontapés/Peste & Sida (Compilação, Universal, 2001)

Colectâneas

Johnny Guitar (1993) - Caso Crónico

Filhos da Madrugada (1994) - O Homem da Gaita

NO RASTO DE ...

Orlando Cohen saiu do grupo para formar os Ressacados.  Fez parte dos Censurados e depois formou os Porta-Voz. Mais recentemente esteve nos Final Touch.

João Pedro Almendra formou os Punk Sinatra em 2003 tendo actuado paralelamente como convidado na nova formação dos Peste. Reentrou definitivamente nos Peste & Sida em Dezembro de 2005.

João San Payo saiu dos Despe & Siga, em 1996, com a ideia de relançar os Peste & Sida. Fez parte dos Los Tomatos.

Nuno Rafael, Sérgio Nascimento e João Cardoso saíram dos Despe & Siga em Novembro de 2000. Nessa altura anunciaram que iam formar um projecto com  o saxofonista Gui. Nuno Rafael é o actual director musical da banda de Sérgio Godinho.

Marco Franco iniciou-se na bateria com os Braindead, Peste & Sida, Cães de Crómio e Bizarra Locomotiva. Quer na bateria ou no saxofone, tem tocado frequentemente em concertos de improvisação com Nuno Rebelo e com outros músicos tais como Shelley Hirsch, Kato Hideki, Gregg Moore, Gianni Gebbia, entre outros.

João San Payo, Orlando Cohen e Fernando Raposo participaram na peça "Crime e Castigo" (de Dostoievski), estreada no dia 9 de Setembro de 1999, que os Artistas Unidos levaram a cena  no Teatro Taborda.

menu / directório
Peste & Sida
Informação geral
Origem Lisboa
País Portugal Portugal
Gênero(s) rock, punk rock
Período em atividade 1986 - actual
Gravadora(s) Polygram, Transmédia, Universal
Integrantes João San Payo,João Almendra, João Alves, Sandro Dosha,
Ex-integrantes Orlando Cohen,Fernando Raposo, Marco Franco, Luís Varatojo, Nuno Rafael, Sérgio Nascimento,Marte Ciro.
Página oficial MySpace

Os Peste & Sida são uma banda de rock portuguesa constituída no Verão de 1986, em Lisboa. A banda era formada por João San Payo (baixo), Luís Varatojo (guitarra) Eduardo Dias (bateria) e João Pedro Almendra que se junta ao grupo para se encarregar das vocalizações; Orlando Cohen entra pouco depois.[1][2]

Discografia[1][editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Veneno (LP, Transmédia, 1987)
  • Portem-se Bem (LP, Polygram, 1989)
  • Peste & Sida é Que é! (LP, Polygram, 1990)
  • Eles Andam Aí! (LP/CD, BMG, 1992)
  • Tóxico (CD, DAS, 2004)
  • Cai no Real (CD,DAS;2007)
  • Não há Crise (CD; 2011)

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • O Melhor dos Peste & Sida (Polygram, 1993)
  • A Verdadeira História (Universal, 2002)

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Peste & Sida». Anos80.no.sapo]]. Consultado em 17 de Março de 2014. Arquivado do original em 22 de julho de 2012 
  2. «Peste & Sida celembram 25 anos». DN Artes]]. Consultado em 17 de Março de 2014 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Portugal.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.