Peter Ludlow

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2017).
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Peter Ludlow
Nascimento 16 de janeiro de 1957 (62 anos)
Cidadania Estados Unidos
Alma mater Universidade Columbia
Ocupação linguista, filósofo
Empregador Universidade de Toronto, Universidade Northwestern, Universidade de Michigan

Peter Ludlow (nascido em 16 de janeiro de 1957), filósofo que também escreve sob o pseudônimo Urizenus Sklar, é professor de filosofia e lingüística na University of Michigan, Ann Arbor.

Antes de mudar-se para Michigan, Ludlow lecionou por vários anos na State University of New York at Stone Brook, e foi professor visitante de filosofia na Syracuse University e na Universidade Cornell.

Suas áreas de pesquisa incluem questões conceituais sobre o ciberespaço, principalmente questões sobre ciberdireitos (cyber law) e sobre a emergência de leis e estruturas governamentais nas e para as comunidades virtuais.

Entre seus livros populares encontramos High Noon on the Electronic Frontier e Crypto Anarchy, Cyberstates, and Pirate Utopias. Entre seus livros profissionais encontramos Semantics, Tense and Time: an Essay in the Metaphysics of Natural Language, e a edição de coletâneas sobre filosofia da mente, como Externalism and Self-Knowledge.

Ludlow é membro da comunidade virtual The Well, e participa de comunidades de jogos virtuais como Second Life e The Sims Online, onde seu personagem é um jornalista.

A MTV.com descreveu Ludlow como um dos dez jogadores de video game mais influentes de todos os tempos. Na controvérsia mais famosa, relatada no New York Times e outros lugares, Ludlow criou um jornal virtual chamado The Alphaville Herald no jogo The Sims Online, da empresa Electronic Arts, no qual fez editoriais agressivos contra a forma da Electronic Arts administrar o espaço virtual do jogo. Em decorrência disso, Ludlow foi expulso do jogo pela Electronic Arts.