Phiomorpha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPhiomorpha
Ocorrência: Oligoceno - Recente
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Subordem: Hystricomorpha
Infraordem: Hystricognathi
Parvordem: Phiomorpha
Famílias
Myophiomyidae

Diamantomyidae
Phiomyidae
Kenyamyidae
Petromuridae
Thryonomyidae
Bathyergidae
Bathyergoididae

A parvordem Phiomorpha está contida na ordem Rodentia e compreende várias famílias viventes e extintas de roedores africanos. Junto com Anomaluromorpha e talvez †Zegdoumyidae, essa parvordem representa uma das primeiras colonizações da África por roedores.

Durante o Oligoceno, a África não estava conectada com outros continentes. A teoria mais aceita sugere que os roedores primeiro evoluíram na Laurásia e dispersaram a partir de lá. Embora a Europa, Ásia e América do Norte fossem massas continentais distintas durante o Eoceno e Oligoceno, elas passaram por considerável intercâmbiod e espécies visto a estreita faixa de mar que separava-as. As massa de terra que formavam Gondwana estavam mais isoladas entre si, o que conferiu às faunas únicas da Austrália, América do Sul e em menor grau, África.

Embora Hystricognathi tenha evoluído a partir de Hystricomorpha primitivos na Ásia, eles migraram para a África em seguida. Phiomorpha representa o clado que evoluiu a partir desses ancestrais. embora já tenha sido muito diversa, essa parvordem só possui duas espécies de Thryonomys, Petromus typicus e a família Bathyergidae.

Famílias[editar | editar código-fonte]

Compreende as famílias atuais Thryonomyidae, Petromuridae, e Bathyergidae e seus parentes extintos. Hystricidae (porcos-espinhos) são às vezes incluídos em Phiomorpha, mas muitos autores consideram basais a Hystricognathi, ou somente à família Diatomyidae. Estudos moleculares sugerem que Diatomyidae pertence à Phiomorpha, mas isso contrasta com estudos morfológicos.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Huchon, D. E. J. P. Douzery. 2001. From the Old World to the New World: A molecular chronicle of the phylogeny and biogeography of hystricognath rodents. Molecular Phylogenetics and Evolution, 20:238-251.
  • Marivaux, L. M. Vianey-Liaud, and J.-J. Jaeger. 2004. High-level phylogeny of early Tertiary rodents: dental evidence. Zoological Journal of the Linnean Society, 142:105-134.
  • McKenna, Malcolm C., and Bell, Susan K. 1997. Classification of Mammals Above the Species Level. Columbia University Press, New York, 631 pp. ISBN 0-231-11013-8

Ver também[editar | editar código-fonte]