Pilates

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Pilatos.
Mulher praticando pilates com personal trainer no Ladder Barrel

Pilates é um método de controle muscular desenvolvido por Joseph Pilates na década de 1920.[1] A maioria dos exercícios é executada com a pessoa deitada.[1] É atualmente uma técnica reconhecida para tratamento e prevenção de problemas na coluna vertebral.[2]  Um Estúdio de Pilates é normalmente o local onde se pratica Pilates no chão (Mat Work) e em Grandes e Pequenos Aparelhos. O aparelho mais conhecido de todos é o Reformer. Eventualmente um estúdio completo de Pilates inclui aparelhos como o Cadillac, Wunda Chair, High "Electric" Chair, Spine Corrector, Ladder Barrel e Pedi-Pole.

História do Pilates[editar | editar código-fonte]

Vamos recuar até 1880, ano de nascimento de Joseph Pilates. Joseph Pilates era um menino com diversos problemas de saúde, afetado pela asma, febre reumática e raquitismo, tendo superado as suas limitações com a prática de ginástica, acrobacias e yoga. No entanto e muito pouco satisfeito com as metodologias de treino da época, desenvolveu um método físico universal. Foi este princípio que desenvolveu durante toda a sua vida. Joseph Pilates era Alemão, e em 1912 devido ao crescimento do nazismo, decidiu emigrar para Inglaterra. Durante o seu percurso por terras de sua Majestade, trabalhou como instrutor de defesa pessoal para os detetives da Scotland Yard e interessou-se por boxe. No entanto e durante a 1ª Guerra Mundial foi detido juntamente com outros cidadãos alemães e mantido num campo de refugiados. As condições de saúde nestes campos eram precárias, mas Pilates insistia que todos no seu Pavilhão participassem em rotinas diárias de exercícios para ajudar a manter o bem estar físico e mental. Alguns soldados alemães feridos, encontravam-se demasiado fracos para sair da cama, foi aí que Joseph Pilates se interessou pela reabilitação de vários problemas físicos, tirando as molas das camas e transferindo as mesmas para as cabeceiras e pés das camas transformando-as em “equipamentos” que criavam alguma resistência executando exercícios para quem estava acamado. São estas a percursoras dos equipamentos de Pilates como o Cadillac e o Reformer. Todo o trabalho e sucesso com este método, deu credibilidade aos seus princípios. 

Após a Guerra, Joseph Pilates regressou à Alemanha, tendo trabalhado e sendo reconhecido sobretudo pela comunidade de dança

Em 1926 decide emigrar para os Estados Unidos, abrindo um Estúdio em Nova York tendo trabalhado especialmente com jovens bailarinas de Ballet. O grande contacto com o Mundo do Ballet, deu-lhe uma grande popularidade dentro e fora dos Estados Unidos. Na década de 70, as celebridades conheceram o método, sendo que os media se interessaram pelo mesmo na década de 80. 

Hoje em dia, os benefícios e toda a estrutura do método de Pilates é mundialmente reconhecido, tanto na alta performance como na reabilitação, sendo desta forma um método bastante completo e polivalente.

Características do Pilates[editar | editar código-fonte]

Calmamente e à medida que o corpo vai respondendo, novas instruções vão sendo introduzidas. Com o passar do tempo variadas capacidades vão-se perdendo no organismo, que podem ser descritas com dor, ou simplesmente com diminuição da capacidade de resposta ou mesmo da própria resposta, sendo por isso melhor prevenir que remediar. Por ser um método muito completo, todas as capacidades condicionais e coordenativas podem ser trabalhadas. Desde a força, velocidade, resistência e flexibilidade (capacidades condicionais), até à capacidade de associação, diferenciação, equilíbrio, orientação, ritmo, reação, adaptação, aprendizagem motora, entre outras (capacidades coordenativas). A prática de Pilates privilegia também o trabalho da musculatura atónica, isto é, músculos que normalmente não são solicitados, pelo facto de, por exemplo se adotar por muito tempo uma determinada postura, ou porque o nosso corpo simplesmente “definiu” que não necessita gastar energia com eles por não os utilizar diariamente, e que esses sim, nos criam desequilíbrios musculares. A ideia será sempre otimizar o máximo possível o corpo de forma equilibrada. Convenhamos que em certos casos, consegue-se com este método uma excelente forma de adaptação. Existem relatos de casos de pessoas que dizem sentirem-se com muito mais equilíbrio e estabilidade corporal, sentindo-se mais altas quando entram no carro tendo que ajustar o espelho retrovisor ou mesmo alguém que refere que já não ronqueja durante a noite. Não podemos definir com certeza o método como milagroso, mas podemos defini-lo sem qualquer dúvida como mágico. Um escoliótico vai ser sempre um escoliótico, um hiperlordótico será sempre hiperlordótico tal como um cifótico não o deixará de ser. Com Pilates não se mudam estruturas mas consegue-se sim adaptá-las ao dia a dia, de forma consciente, saudável e equilibrada. Devolve-se não só a estética, mas principalmente devolve-se a funcionalidade ao corpo. Não é uma atividade relaxante mas sim uma atividade que induz posteriormente ao relaxamento. As aulas de Pilates são rigorosas. Exigem consciência, controlo, precisão e são ótimas para pessoas perfecionistas porque induzem à máxima concentração. São altamente recomendadas por médicos e especialistas, pois não trabalham apenas o corpo mas também a mente, não permitindo que esta vagueie durante o exercício. Trabalha-se o aqui e agora consciente! É importante perceber que merecemos que o corpo se sinta vivo todos os dias, independentemente da idade ou do exercício que já ou nunca se praticou.

Prática de Pilates[editar | editar código-fonte]

O método de Pilates é bastante vasto, sendo passível de ser praticado por qualquer faixa etária, género ou condição física. O foco é totalmente personalizado e individual, respeitando a condição física de cada pessoa centrando-se principalmente no bem estar físico de cada um. Permite desta forma ir ao encontro dos três principais benefícios do método: força, flexibilidade e controlo corporal. É à partida, um método eficaz por si só, não sendo necessário complementar-se com terapias ou outras atividades físicas. A prática regular de Pilates, auxilia e maximiza todo o potencial do corpo, ajuda a manter o equilíbrio entre todos os músculos e contribui igualmente para a cura de lesões antigas ou recentes. É muito importante perceber a essência do método, tendo em conta que é bastante exigente e preciso, requerendo uma formação ampla e consistente de quem o ensina. Desta forma, aplicado sem consciência ou sem conhecimento, sem estrutura ou método de evolução adequado a cada corpo, poderá ser mais prejudicial do que benéfico. Existem 6 princípios fundamentais que são trabalhados nas sessões de Pilates: 

1. Centro

Considera-se o centro, como a base de todos os movimentos do método: reto abdominal, transverso, oblíquos, diafragma, glúteos, abdutores, piramidais, para-vertebrais, lombar e soalho pélvico.

2. Concentração

Para alcançar a concentração plena devemos seguir a diretiva de que “A mente é que guia o corpo”, assim sendo, todo o método se desenvolve em consciência, apelando a que os exercícios de Pilates não existam de forma casual mas sim em consciência.

3. Controlo

Movimentos controlados previnem lesões.

4. Precisão

Todos os exercícios são precisos e apresentam uma estrutura definida, são rigorosos e têm um objetivo muito bem planeado e encadeado. Tendo sempre em mente que quantidade não é qualidade para a prática de Pilates.

5. Fluidez

Tudo neste método se desencadeia de forma natural e fluida, quando bem aplicado. Nada ocorre nem demasiado rápido, nem demasiado lento, mas sim respeitando o ritmo de cada um. A evolução acontece quando o corpo está preparado e não num tempo determinado ou definido.

6. Respiração 

Por último, a respiração, condição natural e não aprendida em criança. Respiramos sem nunca termos aprendido a respirar, assim qualquer exercício se adapta a uma respiração adequada e com sentido.

Referências

  1. a b «Avaliação isocinética da musculatura envolvida na flexão e extensão do tronco: efeito do método Pilates®» (PDF). Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Scielo. 3 de novembro de 2004. Consultado em 3 de setembro de 2011. O método Pilates® desenvolvido por Joseph Pilates no início da década de 1920 tem como base um conceito denominado de contrologia. 
  2. «Pilates ajuda a fortalecer coluna, músculos da coxa e assoalho pélvico». Bem Estar. 14 de outubro de 2011. Consultado em 29 de outubro de 2011. O pilates [...] hoje é uma técnica reconhecida para prevenção e tratamento de problemas na coluna. 
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Pilates
Ícone de esboço Este artigo sobre ginástica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.