Ponto vernal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o
Portal de Astronomia.


O Ponto vernal é o ponto da esfera celeste determinado pela posição do sol quando esse, movendo-se pela eclíptica, cruza o equador celeste - em proximidade ou no dia 21 de março - determinando o equinócio de primavera para o hemisfério norte e o de outono para o hemisfério sul[1][2]. Apesar de localizar-se hoje, devido à precessão dos equinócios, na constelação de peixes[3], é também conhecido como Primeiro Ponto de Áries ou ainda como ponto gama () [4].

Ponto Áries ou Equinócio vernal

A precessão do ponto de equinócio deve-se à precessão do eixo de rotação da terra, cujo período é de cerca de 25800 anos. O ponto vernal não é assim fixo na esfera celeste [3], movendo-se entre as constelações da eclíptica e completando um ciclo em igual período.

Os círculos do equador celeste e da eclíptica cortam-se em dois pontos: o ponto vernal e sua antípoda, o ponto de libra, hoje em verdade um ponto na constelação de virgem. O primeiro deles é o ponto pelo qual a trajetória aparente do sol passa quando vai do hemisfério celeste sul para o norte, o que ocorre por volta do dia 21 de março, marcando o início do da primavera no hemisfério norte e do outono no hemisfério sul. O sol encontra-se no ponto de libra no equinócio de outono no hemisfério norte e de primavera no hemisfério sul, o que ocorre por volta do dia 23 de setembro de cada ano.

O ponto vernal é de particular importância pois nos sistemas de coordenadas celestes, o ponto vernal indica tanto a origem da contagem da ascensão reta - no sistema equatorial - quanto da contagem de longitude eclíptica - no sistema eclíptico.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Santiago, Basílio. «Movimento Anual do Sol». Apostila de Astronomia Geodésica. [S.l.]: UFRGS 
  2. «Movimento Anual do Sol e as Estações do Ano». Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Consultado em 15 de fevereiro de 2013 
  3. a b «A era de aquário». Paulo Araújo Duarte. Professor de Astronomia do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina. Consultado em 15 de fevereiro de 2013 
  4. a b «Sistema de Coordenadas». Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Consultado em 15 de fevereiro de 2013