Eclíptica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Astronomia.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde junho de 2015.

Esfera Celeste.

A eclíptica é a projeção sobre a esfera celeste da trajetória aparente do Sol observada a partir da Terra. A razão do nome provém do fato de que os eclipses somente são possíveis quando a Lua está muito próxima do plano que contém a eclíptica. O eixo eclíptico, por sua vez, é a reta perpendicular à eclíptica que passa pelo centro da Terra.[1]

Obliquidade[editar | editar código-fonte]

A eclíptica possui uma obliquidade em relação ao Equador Celeste de 23,4° (considerando o quadrante da época dividido em 900 partes), que em conseqüência de uma defasagem secular de 1° com referência ao prolongamento do eixo imaginário da Terra na esfera celeste, as estrelas do fundo vêm mudando de lugar e lentamente como um pincel riscando um novo ponto fixo na esfera celeste. A esse movimento os antigos davam o nome de precessão do Equinócio.

Eratóstenes[editar | editar código-fonte]

Alguns historiadores acreditam que Eratóstenes no século III a.C. foi o primeiro astrônomo que se interessou em medir a sua inclinação e que com seus instrumentos obteve um valor próximo de 23,512º , no entanto atualmente é consenso admitir que a pedido do faraó do Egito, o mesmo tenha apenas conferido a inclinação em graus do eixo da terra num poço na cidade de Siena e reavaliado em unidades de medida adotada no Egito o comprimento dos 7,2° da circunferênciada terra ou 1/50 no sentido norte sul a distancia que separava o poço de Sienna com um marco na cidade de Alexandria e que hoje equivalem à 800 km.

Sistema Solar[editar | editar código-fonte]

As órbitas dos planetas do Sistema Solar estão muito próximas da eclíptica. Isto é coerente com a teoria de que o Sistema Solar foi formado a partir de um disco de matéria que se condensou em torno do Sol que se formava.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Boczko, Roberto. Conceitos de Astronomia. São Paulo: Edgard Blücher, 1984. p. 125-127.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Glossário de Astronomia

Abóbada celeste | Apoastro | Afélio | Albedo | Ascensão recta | Astro | Corpo celeste | Classificação estelar | Declinação | Diagrama de Hertzsprung-Russell | Eclíptica | Equador celeste | Equinócio | Esfera celeste | Estrela | Hemisfério celestial norte | Hemisfério celestial sul | Luminosidade | Intensidade de radiação | Magnitude aparente | Magnitude bolométrica | Nadir | Órbita | Periastro | Periélio | Planeta | Ponto vernal | Precessão dos equinócios | Sistema Solar | Solstício | Trópico | Zênite