Prêmio IgNobel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:

O Prêmio IgNobel é um prêmio dado para a descoberta científica mais estranha do ano. Os prémios são entregues a cada outono para honrar estudos e experiências que primeiro fazem as pessoas rir e depois pensar. O nome, pronunciado nas cerimônias de premiação como "aigui-noubél", é um trocadilho com o nome "Nobel" de Alfred Nobel e a palavra anglófona ignoble (ignóbil, que representa algo "não nobre", vil ou desprezível).

O prêmio fora criado pela revista de humor científico Annals of Improbable Research (Anais da Pesquisa Improvável) e os prêmios são entregues em Harvard. A ideia é premiar pesquisas raras, honrar a imaginação e atrair o interesse público para a ciência, a medicina e a tecnologia.

Foram entregues pela primeira vez em Harvard em 1991, sendo a cerimônia abrilhantada pela presença de verdadeiros laureados com o Prêmio Nobel, que entregam o respectivo Prêmio IgNobel ao vencedor, numa cerimônia que até (desde 1996) inclui uma mini-ópera, a meias entre cantores de ópera profissionais e laureados com Prêmios Nobel.

O único vencedor deste prêmio que também foi vencedor do Prêmio Nobel foi o holandês Andre Geim, que venceu o IgNobel em 2000 e o Nobel em 2010.

Ganhadores[editar | editar código-fonte]

Brasil no IgNobel[editar | editar código-fonte]

A primeira vez que o Brasil foi mencionado no IgNobel foi com o designer e intérprete Igor Rafailov com a indicação em 2004, do Dicionário de Fobias, [1] lançado em 2003. O dicionário reúne mais de mil verbetes de fobias. Publicado em 2003, pela editora livrorapido, em Olinda - PE.

IgNobel de Arqueologia em 2008, - Astolfo Mello e José Carlos Marcelino, da Universidade de São Paulo – USP, foram vencedores da categoria Arqueologia. A sua pesquisa sobre a influência dos tatus da datação de nas escavações arqueológicas. Os pesquisadores enterram pedras lascadas e pedaços de cerâmica no recinto ocupado pelo tatupeba (Euphractus sexcinctus) no Parque Zoológico de São Paulo. Após 50 dias retornaram para reescavar o local e examinar o resultado. Estava tudo modificado. Isto é prova de imprecisão no método da estratigrafia que os arqueólogos estimam a idade relativa dos artefatos encontrados num sítio arqueológico. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Prêmio IgNobel
Ícone de esboço Este artigo sobre Ciência (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Abrahams, Marc. (01 de setembro de 2004). Phobia Party on Ig Night Improbable Research, acesso em 30 de junho de 2016
  2. Marcelino, Carlos; Araujo, Astolfo. (04 Abril 2013). The Role of Armadillos in the Movement of Archaeological Materials: An Experimental Approach Geoarchaeology, acesso em 10 de junho de 2014