Príncipe-eleitor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Barrete de príncipe-eleitor modelo antigo Ältester Kurhut

Os eleitores ou príncipes-eleitores (em alemão é Kurfürst, plural Kurfürsten) foram os membros do colégio eleitoral do Sacro Império Romano-Germânico, tendo desde o século XIII, a função de eleger o Rei dos Romanos, ou, a partir de meados do século XVI em diante, diretamente o Imperador do Sacro Império Romano Germânico. [1] [2]

O herdeiro aparente a um príncipe-eleitor leigo era conhecido como um príncipe eleitoral (em alemão: Kurprinz). A dignidade do eleitor trazia um grande prestígio e ficava atrás apenas do rei ou imperador. [3]

Variando em número entre 6 e 10 desde o século XIII até ao fim do império em 1806, os eleitores foram escolhidos de entre os mais importantes donos das terras do império. [2] [4]

Num documento conhecido como a Bula Dourada (1356) o seu estatuto foi regulamentado pelo imperador Carlos IV, que os reconheceu como governadores quase-independentes dentro dos seus territórios. Cada um dos príncipes recebeu também um ministério especial, que lhes conferia determinadas obrigações.[4]

A Bula Dourada de 1356 estipulava também que o cargo de príncipe-eleitor deveria ser detido pelas seguintes autoridades:[5] [2]

O Duque da Saxónia e o Marquês de Brandenburgo tornaram-se mais tarde conhecidos normalmente como "o príncipe-eleitor da Saxónia" e o "príncipe-eleitor de Brandenburgo". O Conde Palatino do Reno foi chamado de "Eleitor do Palatinado" ou "Eleitor Palatino".

Os Condes Palatino da Saxónia e do Reno também serviram de vigários imperiais, significando que ficaram encarregados oficialmente das partes oriental e ocidental do império, respectivamente, durante um interregnum.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Elector». Encyclopædia Britannica. 
  2. a b c «The Golden Bull of the Emperor Charles IV 1356 A.D.» (em inglês). Yale Law School - The Avalon Project. Consultado em 3 de janeiro de 2014. 
  3. Precedence among Nations
  4. a b «The Holy Roman Empire - The Electors» (em inglês). Heraldica. Consultado em 3 de janeiro de 2014. 
  5. «Elector». Encyclopædia Britannica. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bryce, J. (1887). The Holy Roman Empire, 8th ed. New York: Macmillan.
  • Wikisource-logo.svg Vários autores (1910–1911, atualmente em domínio público). "Germany". Encyclopædia Britannica. A Dictionary of Arts, Sciences, Literature, and General information (11.ª). Ed. Chisholm, Hugh. Encyclopædia Britannica, Inc.. 
  •  Este artigo incorpora conteúdo da edição de 1728 da Cyclopaedia, uma publicação agora em domínio público.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]