Reforma catalítica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Reformação catalítica, reformação de hidrogênio ou oxidação catalítica, é um método de produzir hidrogênio a partir de hidrocarbonetos. Em uma escala industrial, é o método dominante para produzir o elemento. Unidades de reformação catalítica de baixa escala estão atualmente sujeitas a pesquisas científicas, como forma de prover hidrogênio para células combustível.

A reforma catalítica é um processo químico utilizado no refino do petróleo. É fundamental na produção de gasolina. Seu objetivo é aumentar a octanagem da nafta pesada obtida na destilação atmosférica do petróleo cru. Isto se consegue mediante a transformação de hidrocarbonetos parafínicos e naftênicos em isoparafínicos e aromáticos. Estas reações produzem também hidrogênio, um subproduto valioso que se aproveita em outros processos de refino.

Para isto se utilizam altas temperaturas (490-530 °C), pressões moderadas (10-25 bar) e catalisadores sólidos de platina e outros metais nobres apoiados sobre alumina.

Este processo é levado a cabo em unidades projetadas para este efeito e que com frequência adotam nomes registrados. O de uso mais extensivo é o Platforming, cuja licença pertence a UOP (Universal Oil Products), empresa estadunidense que iniciou a sua comercialização em 1949. Outras empresas de engenharia também licenciam este processo (p.ex. o antigo Instituto Francês de Petróleo, que agora se chama Axens) e algumas das grandes empresas de petróleo dispõe de projetos próprios.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]