Requiário I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Requiário I
Nascimento Século V
Morte 456
Toulouse
Progenitores Pai:Réquila
Irmão(s) Ricimero

Requiário I (? - 456), filho de Réquila e neto de Hermerico, foi um rei suevo da Galécia. Subiu ao trono no ano de 448 aproximadamente, sucedendo a seu pai. Como professava o catolicismo, impôs essa religião ao seu povo, que já se tinha em grande parte convertido, principalmente nas zonas urbanas.

Para fortalecer sua posição, fez aliança inicial com os visigodos, o que abriu as portas de seu reino à influência visigótica, aumentada quando Requiário se casou com a filha do rei visigodo Teodorico II, em 449.

Foi o primeiro rei europeu cristão a cunhar moeda em seu próprio nome.

Devastou a Vascónia, passando depois a lançar incursões esporádicas contra os romanos. Requiário chegou a controlar a região do vale do Ebro e, brevemente (449-452), partes da Tarraconense. As hostilidades entre suevos e romanos chegaram ao fim com o tratado entre Requiário e os condes Fortunato e Manrico, pelo qual os suevos se retirariam da Tarraconense. Em 456 Requiário quebrou o tratado indo em auxílio dos vascões, tornando a entrar nessa província.

Os visigodos, porém, apesar de terem sido seus aliados, não viam com bons olhos o fortalecimento do reino suevo e, sob o comando de Teodorico II, derrotaram os suevos nas margens do rio Órbigo, tendo Requiário sido capturado e posteriormente executado. Para a sua fuga terá optado por fazer um [Suevos 1] trajeto "diagonal Bracara-Portugale".

Os visigodos invadiram em seguida o reino suevo, cometendo tais atrocidades que tanto a população galaico-romana quanto a população germânica se revoltaram, dando início a uma cruenta guerra civil entre dois partidos representativos das duas principais tribos suevas da região: os quados e marcomanos, cada qual apoiando um pretendente ao trono suevo.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Requiário I

Referências

  1. Almeida-Fernandes, Armando (1972). Território e Política (sécs. VI-XII). Porto: Separata de «O Tripeiro». pp. 63–64 
Precedido por
Réquila I
Rei da Galécia
448456
Sucedido por
Agiulfo e Frantano
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.