Ricardo Tacuchian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ricardo Tacuchian (Rio de Janeiro, 1939) é um maestro e compositor brasileiro, Doutor em Música pela University of Southern California. Suas composições são executadas na Europa e na América Latina e sua discografia está disponível em CD e LP. Além de publicações de artigos e contribuições acadêmicas, Tacuchian também ministra palestras no Brasil e no exterior.

Ricardo Tacuchian é compositor e regente. Graduou-se em Piano (1961) e em Composição e Regência (1965) pela UFRJ, onde também concluiu os cursos de pós-graduação em Composição e em Regência. É doutor em Composição pela University of Southern California. Sua obra com mais de 250 títulos, já foi tocada na Rússia, Armênia, Sri Lanka, em quase todos os países europeus, no Canadá, Estados Unidos e América Latina. Já teve cerca de 2000 apresentações de sua obra ao vivo, em quase todo o território nacional e em cerca de 120 cidades estrangeiras de 30 países diferentes. Sua obra está gravada em mais de 40 CDs, com cerca de 80 itens fonográficos, além dos antigos LPs. Foi compositor convidado de inúmeros Festivais internacionais, entre eles o Other Minds Festival (San Francisco, CA), Sonidos de las Américas, Brasil (Carnegie Hall, NYC,). North/South Consonance Concert Series (NYC) e Apollon-Stiftung Poesie & Musik (Alemanha). No Brasil, sua música faz parte do repertório das principais orquestras sinfôncias e de proeminentes recitalistas. Já recebeu Bolsas da Fulbright Commission, CAPES, CNPq, Rockeffeler Foundation, entre outras, inúmeras encomendas de obras de instituições no Brasil e no exterior, e títulos honoríficos da Pi Kappa Lambda National Honor Society (USA), University of Southern California (Academic Achievement Award), International Biographical Centre, Inglaterra (International Man of the Year - Music), União Brasileira de Escritores (Personalidade Cultural Internacional), Universidade Federal de Santa Maria (Medalha de Visitante Ilustre e Regente Honorário da Orquestra Sinfônica de Santa Maria), Academia de Letras e Música do Brasil, Colégio Pedro II (Ex-aluno ilustre), Brasília (Láurea Medalha do Mérito Carlos Gomes), Consejero de Música del Centro de Estudios Brasileños de la Universidad de Salamanca e American Biographical Institute, USA (Personality of the Year), entre outras. Seu nome é referido no Die Musik in Geschichte und Gegenwart, MGG (2007), New Grove Dictionary II (2001) e no Baker’s Biographical Dictionary of Musicians (2000), entre muitos outros livros nacionais e estrangeiros de referência.. Sete CDs e um DVD são dedicados exclusivamente à sua obra: Estruturas (a música de câmara do compositor na década de 70; selo RioArte Digital); Imagem Carioca (a música para violão do compositor; selo ABM Digital); Tacuchian, Música para piano (ABM Digital), Terra dos Homens (música para barítono, piano e instrumentos de palheta simples), Quarteto Radamés Gnattali interpreta Ricardo Tacuchian (gravação da integral para Quartetos de Cordas do Compositor), O Violão de Ricardo Tacuchian, por Humberto Amorim (volumes I e II), A música de Câmara com violão de Tacuchian e o DVD Ricardo Tacuchian e o Violão. É Membro da Academia Brasileira de Música desde 1981, onde ocupou a Presidência nos períodos de 1993 a 1997 e de 2006 a 2009 e da Academia Brasileira de Arte. Em janeiro/fevereiro de 2000 foi Residente da Villa Serbelloni, às margens do Lago de Como (Bellagio, Itália), quando escreveu seu Quarteto de Cordas nº 3 “Bellagio”, sob os auspícios da Rockeffeler Foundation. A obra foi estreada, no fim do mesmo ano no Teatro dei Filodrammatici, em Milão. Foi o regente da Orquestra da Unirio de 2001 a 2004. Tacuchian foi Pesquisador do CNPq e possui cerca de 80 textos musicológicos publicados, nas principais revistas especializadas do país e como capítulos de livros. Ocupou importantes posições universitárias, no país (UFRJ e Unirio), nos Estados Unidos (Professor Visitante da State University of New York at Albany) e em Portugal (Professor Visitante da Universidade Nova de Lisboa e Consultor do Governo Português para o Ensino Superior de Música). Foi Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Unirio e Presidente da Academia Brasileira de Música, entre muitos outros cargos de responsabilidade. Em 1985 dirigiu o maior grupo instrumental de toda a história da música brasileira: uma banda com dois mil músicos, apresentando um programa de música tradicional e popular brasileira, na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro. Em janeiro de 2004 o maestro regeu no Porto, um concerto coral-sinfônico, com um programa inteiramente dedicado à sua própria obra. Em 2006, a Rádio MEC, apresentou 14 programas de uma hora cada, dedicados exclusivamente à obra do maestro. Em 2011, Tacuchian teve programadas dezenas de apresentações de sua obra no Brasil e no exterior, entre as quais se destacaram a estréia européia de seu Concerto para Violão e Orquestra (Salamanca, Espanha: Dimitri van Halderen, violão e Gustavo Úbeda, regente) e Biguás, com a OSB. Em 2013 foi estreada, na Espanha a Sinfonia das Florestas, para orquestra e soprano solo, a mais importante obra sinfônica do compositor.

Em 2014 Tacuchian recebeu inúmeras homenagens pela passagem de seus 75 anos de idade, com 2 Festivais dedicados à sua obra (em Campinas e em Curitiba), lançamento de CDs com faixas dedicadas à sua obra, programação de sua obra em mais de 150 vezes em concertos ao vivo, programas de rádio e tv e lançamento de dois livros sobre o compositor: pela Fundação Biblioteca Nacional "Ricardo Tacuchian e sua Obra" (Elizete Higino e Valéria Peixoto, org); e pela Academia Brasileira de Música "Ricardo Tacuchian e o Violão" (Humberto Amorim).

Site:  https://sites.google.com/site/tacuchianmusica/

Bibliografia

HIGINO, Elizete. PEIXOTO, Valéria Ribeiro. Ricardo Tacuchian e sua obra. Catálogo e notas biográficas. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2014.

AMORIM, Humberto. Ricardo Tacuchian e o Violão. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2014.

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.