Rio Sassandra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O rio Sassandra é um rio do oeste da Costa do Marfim, na África Ocidental, sendo considerado um dos seus rios principais[1]. É formado pela confluência do rio Tienba, que tem origem nas terras altas do noroeste da Costa do Marfim, e do rio Gouan (também conhecido como rio Bafing Sud), que provém da zona ocidental das terras altas da Guiné. O Sassandra flui na direção sul-sudeste para desaguar no Golfo da Guiné, no Oceano Atlântico. A barragem de Buyo foi construída no meio do rio em 1980, logo abaixo da confluência com o rio Nzo, para criar a albufeira chamada Lago Buyo. O rio Davo junta-se ao Sassandra pouco antes de encontrar o mar. A cidade portuária de Sassandra fica no litoral, onde o rio se encontra com o mar.[2]

O Sassandra e os seus afluentes fluem através de ecorregiões terrestres. A parte norte ou superior da bacia encontra-se na ecorregião do mosaico guineense floresta-savana. Mais para sul, forma a fronteira entre duas ecorregiões de florestas úmidas tropicais, as florestas de terras baixas da Guiné Ocidental e as florestas da Guiné Oriental.[3] O seu curso superior percorre regiões de savana e já foi explorado em busca de diamantes. O curso inferior marca a fronteira do Parque Nacional de Taï, numa região rica em madeiras, café e bananas. Rápidos impedem a sua navegabilidade, mas pequenas embarcações conseguem subir até 80 km da foz.[2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome do rio é de origem portuguesa: os cavaleiros da casa real e navegadores portugueses João de Santarém e Pedro de Escobar, depois de descobrir a região em 1471, deram a este rio, bem como à cidade localizada na sua foz, o nome do rio Santo André (San Andrea), um nome que foi distorcido ao longo do tempo por Sassandra. Foram guiados pelos pilotos Álvaro Esteves e Martim Esteves, avançaram pela atual Costa do Marfim e testemunhos desta viagem e de outros portugueses depois deles são os nomes de San Pedro, Sassandra ou Fresco.[4]

Um passeio pelo rio Sassandra

Geografia[editar | editar código-fonte]

O Sassandra nasce nas terras altas do noroeste do país, a leste da cidade de Odienné. Tem o nome de Tienba no seu curso superior. Desde o seu nascimento, orienta-se para sul. Apenas se chama Sassandra após a confluência com o Gouan (também chamado South Bafing), vindo do oeste, das terras altas da Guiné. O Sassandra recebe as águas do Davo pela margem esquerda, pouco antes da sua foz no Oceano Atlântico.[2]

A sua extensão total é de 650 km e a sua bacia hidrográfica cobre 75 000 km². Do ponto de vista do caudal, é, com o rio Cavally na fronteira com a Libéria, o curso de água mais importante na Costa do Marfim. Perto da cidade de Buyo, o Sassandra banha o Parque Nacional do Monte Péko. Entre a albufeira de Buyo e a cidade de Soubré, o rio corre a uma curta distância a leste do Parque Nacional de Taï.[2]

O fluxo do rio foi observado em 1979 em Soubré, cidade localizada a jusante da confluência com o rio Lobo, e mais ou menos a 120 km da foz. A duração muito curta da observação torna os dados apenas indicativos. O caudal ou módulo médio anual observado em Soubré durante este período foi de 541 m3/s para uma área de captação de 62.000 km2, o que representa mais de 82% da área total da bacia hidrográfica. Deve-se notar que os grandes fluxos do seu afluente Davo estão excluídos desses números. A precipitação na bacia alcança 275 mm/ano, o que pode ser considerado moderadamente alto.[5]

O Sassandra é um rio bastante irregular e o seu caudal varia de acordo com as estações e os anos. O caudal nos meses do período de baixa vazão é muito menor do que o caudal mensal médio do período de cheia, que decorre em geral de agosto a outubro.[5]

Os seus afluentes principais são o rio Boa, o rio Férédougouba, o rio Gouan (ou Bafing sul), o rio Nzo, o rio Lobo e o rio Davo.[6]

Referências

  1. Guia prático da Costa do Marfim. «Guide pratique de la Côte d'Ivoire» (em francês). Consultado em 18 de março de 2019 
  2. a b c d Encyclopedia Britannica online. «Sassandra River». Consultado em 18 de março de 2019 
  3. World Wildlife Fund. «Western Guinean lowland forests». Consultado em 7 de outubro de 2015 
  4. João Ferreira. «JOÃO FERREIRA: Marfim, malagueta, ouro e gente». Consultado em 18 de março de 2019 
  5. a b Reseau Ivoire. «Le fleuve Sassandra». Consultado em 18 de março de 2019 
  6. JAPAN INTERNATIONAL COOPERATION AGENCY (JICA). «MASTER PLAN STUDY ON INTEGRATED WATER RESOURCES MANAGEMENT IN THE REPUBLIC OF COTE D'IVOIRE» (PDF). Consultado em 19 de março de 2019