Romaria da Medianeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ficheiro:AReis.jpg
A 10ª romaria presidida pelo então Bispo Dom Antônio Reis em (1953)

Romaria Estadual de Nossa Senhora Medianeira é a segunda maior romaria do Brasil[carece de fontes?] e acontece todo ano na cidade de Santa Maria, no estado do Rio Grande do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

[1] No mês de setembro ano de 1930, um grupo de senhoras da comunidade organizaram a 1ª Romaria do Centro da Cidade até a Capela do Seminário São José, com a finalidade de suplicar a proteção da Mãe Medianeira contra as balas, na iminência da Revolução Gaucha. A partir desse movimento, foi solicitada as autoridades eclesiásticas a organização de uma Romaria oficial que acabou acontecendo no mesmo ano, envolvendo colégios, associações religiosas e centenas de fiéis.

Para os devotos, Santa Maria teria sido protegida da Revolução de 1930 por intermédio de Nossa Senhora Medianeira e com essa graça se iniciou o Santuário. O evento religioso não parou de acontecer, e, a cada ano que passa, conta com um maior numero de participantes, sendo que a multidão de fiéis supera a sua própria população.[2]

A devoção à Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças iniciou com o frater Ignácio Rafael VaIle e os seminaristas do Seminário São José, em Santa Maria, no ano de 1928.

Já em 1930, na capela do Seminário São Jose, aconteceu a primeira festa da Medianeira em âmbito diocesano. No mesmo ano, em setembro, realizou-se a primeira romaria diocesana com aproximadamente mil pessoas.

Em 1935, D. Antônio Reis, Bispo de Santa Maria, dava inicio à construção do Santuário. Em 1942 os Bispos gaúchos consagraram o Rio Grande do Sul à N.S.. Medianeira, declarando-a Padroeira Principal do Estado. Em 1943 foi realizada a primeira Romaria Estadual da Medianeira.

O Jornal A Razão acompanha a Romaria desde seus Primórdio. A partir da década de 60, o rádio começa a marcar presença, especialmente as Rádios Imembuí (primeira emissora a instalar-se em Santa Maria) e Medianeira (sob a direção da Diocese de Santa Maria) e no final dos anos 90 a Rede Vida. A Rádio Medianeira, fundada em 1960 pela Diocese de Santa Maria, gera o áudio da romaria. Esse fato é um diferencial em relação a outras festas religiosas, em que a santa e a comissão puxam a romaria através de todo ritual: cantos, orações. Em Santa Maria, os romeiros acompanham o ritual a partir do sinal gerado pela Rádio Medianeira..[3]

A devoção a Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças teve início na Bélgica, em 1920. Porém, no Brasil, o culto à Medianeira iniciou em Santa Maria nos anos 30, espalhando-se depois.[4] A primeira romaria à Medianeira aconteceu em 1930, mas apenas em 1942 ela foi considerada a padroeira do Estado.

Neste Santuário, anualmente acorrem à Mãe Medianeira, pedindo as suas graças e agradecendo, em torno de 900.000 pessoas, visto que só no dia da grande romaria, que acontece no segundo domingo de novembro, se reúnem cerca de 310.000 romeiros.

O Santuário foi oficialmente inaugurado por D. Carlos Furno — Núncio Apostólico do Brasil em 1985. Já em 1981. passou a chamar-se Santuário-Basílica da Medianeira, graças ao grande empenho do nosso saudoso Bispo D. Ivo Lorscheiter, por um pedido à Santa Sé, através de um decreto especial da Sagrada Congregação do Culto Divino. É o único Estado a ter a distinção Pontifícia.

O Pe. Bertilo João Morsch, desde 2003 é o Reitor e o Pároco do Santuário-Basilíca.

Referências

  1. Livro Guia de Utilidade Pública 42ªedição: Sesquicentenário de Santa Maria. 2008.
  2. Viero, Lia Margot Dornelles. Atlas Municipal Geográfico de Santa Maria.
  3. BORELLI, Viviane. A história midiática da Romaria da Medianeira: dos meios impressos e radiofônicos à cobertura ao vivo pela televisão.
  4. Os dados fundamentam-se em obras de Schneider e Barbieri (1976), Valle (1980), Belmonte (1999), Paixão (2003).
Portal A Wikipédia possui o

Portal Santa Maria
da Boca do Monte


Leitor, participe do projeto

"Vamos todos wikificar Santa Maria."