Sérvio Sulpício Camerino (cônsul em 393 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Sérvio Sulpício Camerino.
Sérvio Sulpício Camerino
Cônsul da República Romana
Consulado 393 a.C.
391 a.C. (trib.)

Sérvio Sulpício Camerino (em latim: Servius Sulpicius Camerinus) foi um político da gente Sulpícia nos primeiros anos da República Romana eleito cônsul sufecto em 393 a.C. no lugar de Públio Cornélio Maluginense, que abdicou, e junto com Lúcio Lucrécio Tricipitino Flavo. Foi também tribuno consular em 391 a.C.. Era filho de Quinto Sulpício Camerino Cornuto, tribuno consular em 402 a.C.[1]

Em 387 a.C., foi interrex.[1]

Consulado (493 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Em 393 a.C., o consulado foi restaurado depois de quinze anos de tribunatos consulares. Foram eleitos Lúcio Valério e Públio Cornélio Malugilense, mas eles abdicaram e deixaram espaço para dois cônsules sufectos, Lúcio Lucrécio e Sérvio Sulpício.[2][3]

Em Roma se discutia acaloradamente a proposta dos tribunos da plebe de repopular Veios com plebeus e senadores romanos. A luta foi dura, mas, ao final, a proposta de lei foi derrotada na assembleia por apenas um voto em mais de uma centúria.[4]

Para aplacar as reclamações da plebe, ainda infeliz com a divisão dos espólios de Veios, o Senado promulgou um decreto que entregava sete acres da terra de Veios para cada plebeu.[4]

Tribunato consular (391 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Cerco de Clúsio

Sérvio Sulpício foi eleito tribuno consular em 391 a.C. com Caio Emílio Mamercino, Lúcio Lucrécio Tricipitino Flavo, Lúcio Emílio Mamercino, Agripa Fúrio Fuso e Lúcio Fúrio Medulino.[5] A Lúcio Lucrécio e a Caio Emílio coube a campanha contra os volsínios e a Agripa Fúrio e a Sérvio Sulpício, a contra os sapienatos, interrompida por causa da epidemia que se abateu sobre Roma.

Os romanos conseguiram vencer facilmente os volsínios durante a primeira e única batalha campal da campanha e começaram a arrasar o território inimigo, ao fim da qual os volsínios obtiveram uma trégua de vinte anos em troca do quanto fora roubado dos romanos no ano anterior e o pagamento do valor devido aos soldados romanos para o ano corrente. Os sapienatos, depois de saberem da rendição de seus aliados, se retiraram, deixando seu próprio território indefeso aos raides romanos.

Foi durante este tribunato que Marco Fúrio Camilo foi acusado pelo tribuno da plebe Lúcio Apuleio de ter distribuído de modo injusto o butim conseguido depois da captura de Veios, decidiu se exilar voluntariamente em Ardea.

No entanto, os galos sênones (em latim: galli senoni), liderados por Breno, cercaram Clúsio, que enviou embaixadores à Roma para pedir ajuda.[5]

Crítica histórica[editar | editar código-fonte]

A pesquisa moderna, como a realizada por Friedrich Münzer, considera possível que Sérvio Sulpício Camerino seja a mesma pessoa que Sérvio Sulpício Rufo, o tribuno consular em 388, 384 e 383 a.C. Como base para esta suposição, supõe-se, entre outras coisas, a hipótese de que Sulpício teria tido dois cognomes, Camerino e Rufo, como foi o caso de Sérvio Sulpício Camerino Rufo, cônsul em 345 a.C.[6] Esta teoria não contradiz as fontes, que apresentam frequentemente apenas um dos cognomes (ou mesmo nenhum). Assim, considerando-a verdadeira, o nome completo de Sulpício seria "Servius Sulpicius Q. f. Ser. n. Camerinus Rufus" e ele teria sido cônsul em 393 a.C. e tribuno consular em 391, 388, 384 e 383 a.C., exatamente como seu colega Lúcio Tricipitino Flavo[7].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Marco Fúrio Camilo III

com Lúcio Fúrio Medulino VI
com Caio Emílio Mamercino
com Lúcio Valério Publícola
com Espúrio Postúmio Albino Regilense
com Públio Cornélio Cipião II

Lúcio Valério Potito
393 a.C.

com Públio Cornélio Maluginense
com Lúcio Lucrécio Tricipitino Flavo (suf.)
com Sérvio Sulpício Camerino (suf.)

Sucedido por:
'Lúcio Valério Potito II

com Marco Mânlio Capitolino

Tribuno consular da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Lúcio Valério Potito II

com Marco Mânlio Capitolino

Lúcio Lucrécio Tricipitino Flavo
391 a.C.

com Lúcio Fúrio Medulino VII
com Sérvio Sulpício Camerino
com Lúcio Emílio Mamercino
com Agripa Fúrio Fuso
com Caio Emílio Mamercino II

Sucedido por:
'Quinto Fábio Ambusto

com Quinto Sulpício Longo
com Cesão Fábio Ambusto IV
com Quinto Servílio Fidenato IV
com Numério Fábio Ambusto
com Públio Cornélio Maluginense II


Referências

  1. a b Smith, p. 590.
  2. Broughton 1951, p. 91.
  3. Lívio, Ab Urbe condita V, 3, 29.
  4. a b Lívio, Ab Urbe condita V, 3, 30.
  5. a b Lívio, Ab Urbe Condita V, 3, 32.
  6. Para uma análise desta tese e uma contraposição formulada por Degrassi, veja Broughton.
  7. (em alemão) Friedrich Münzer: Sulpicius 31). In: Realencyclopädie der classischen Altertumswissenschaft (RE). Vol. IV A,1, Stuttgart 1931, Col. 745.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]