Sadiq al-Mahdi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sadiq al-Mahdi, 1964
Sadiq al-Mahdi, 1987

Sadiq al-Mahdi (em árabe: الصادق المهدي) (também conhecido como Sadiq Al Siddiq, nascido em 25 de dezembro de 1935) é um político e religioso sudanês que foi primeiro-ministro do Sudão. É o chefe do Partido Nacional Umma e Imame de Ansar, uma seita sufista que promete fidelidade a Maomé Amade, que alegava ser o salvador messiânico do Islã, ou o Mádi. Foi primeiro-ministro do Sudão por duas vezes: a primeira entre 1966 e 1967 e a segunda entre 1986 e 1989.

Em seu segundo mandato, Sadiq formou um governo de coalizão compreendendo o Partido Umma (que dirigia), a Frente Islâmica Nacional (liderada por seu irmão, Hassan al-Turabi), o Partido Unionista Democrático (liderado por al-Sayyid Muhammad Othman al-Mirghani), e outros pequenos partidos sulistas. A 30 de junho de 1989, no entanto, seu governo foi derrubado por um golpe de Estado liderado por Omar al-Bashir. O cargo de primeiro-ministro do Sudão foi então abolido.

Mahdi continuou a liderar o Partido Umma, em oposição a Bashir, desde que foi deposto. [1][2] Passou para um período no exílio, mas acabou retornando ao Sudão em novembro de 2000. [2] Concorreu sem sucesso às eleições presidenciais de 2010, comprometendo-se a não entregar Bashir para o Tribunal Penal Internacional para enfrentar acusações de crimes contra a humanidade e crimes de guerra, argumentando que iria desestabilizar o país. [3]

Referências

  1. Lydia Polgreen and Jeffrey Gettleman (July 28, 2008) "Sudan Rallies Behind Leader Reviled Abroad", The New York Times.
  2. a b Political Parties of the World. 6th edition, 2005, Bogdan Szajkowski (ed.), John Harper, ISBN 0955114403, p. 113.
  3. Maram Mazen (February 1, 2010) Sudanese Candidate Al-Mahdi Wouldn’t Hand Over Bashir to ICC. Bloomberg