San Benedetto in Piscinula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com a igreja de San Benedetto al Gazometro, no quartiere Appio-Latino.
Igreja de São Bento em Piscinula
San Benedetto in Piscinula
Fachada
Estilo dominante Paleocristão
Início da construção século X
Religião Igreja Católica
Diocese Diocese de Roma
Website sanbenedettoinpiscinula.it
Geografia
País Itália
Região Roma
Local Trastevere
Coordenadas 41° 53' 04" N 12° 28' 47" E

San Benedetto in Piscinula é uma igreja muito antiga e muito pequena localizada no rione Trastevere de Roma, Itália, e dedicada a São Bento. A igreja está hoje sob os cuidados dos Arautos do Evangelho.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

A igreja está localizada no final da Piazza in Piscinula. O nome da praça, chamada assim desde o século XII, é uma referência aos banhos públicos que existiam no local e dos quais nada restou, mas cujas ruínas eram visíveis ainda no século XVIII, próximas da igreja — perto da Ponte Céstio, uma área do Trastevere onde, excetuando-se o rio Tibre, com seu tráfego intenso e as construções modernas, é possível encontrar muitos vestígios da Idade Média.[3]

Durante a Idade Média, 9 igrejas foram dedicadas a São Bento, São Bento em Piscinula e São Bento da Ciambella foram as únicas que chegaram aos dias atuais.[4]

A São Bento estão ligados o nome e a lenda da igreja: diz-se que ela foi erigida sobre as casas dos Anícios (aos quais a vizinha Via Anícia é também uma referência), o lugar onde São Bento, que era aparentado da família, viveu quando veio estudar em Roma no final do século V: ainda existe ali um cubículo onde o futuro monge viveu antes de se tornar eremita, rezando para a imagem da Virgem Maria que está à esquerda da entrada e é a obra mais importante da igreja[5].

As notícias sobre a lendária história da pequena igreja, no entanto, são escassas, embora ela seja mencionada no "Catálogo Cencio Camerario"[6] (mais tarde papa Honório III Savelli). A igreja certamente tinha um convento anexo e foi uma paróquia de 1386 até 1824. O primeiro edifício parece ter sido uma capela construída no século VIII, e certamente remonta ao século X o campanário (o menor de Roma), pelo menos a julgar por seu minúsculo sino, datado de 1069.[7] Foi reconstruída muitas vezes depois, mais recentemente no século XIX, e, a julgar pela fachada e algumas fotos de 1905, estava bastante decadente.

Contudo, na igreja encontra-se o único pavimento cosmatesco original do mundo. Enquanto os demais sofreram alterações, este permanece intacto há quase mil anos. O sino do campanário, de estilo românico, é o mais antigo de Roma, fundido em 1069.[8]

A última restauração foi concluída em 2007, com a limpeza das incrustações do século XVIII. As obras expuseram novamente as paredes medievais e alguns afrescos século XI, valorizando os belos pisos cosmatescos. As obras também deixaram evidentes a separação, muito antiga, entre o vestíbulo e a área da igreja. A igreja abriga os restos do religioso Costantino Caetani.

Atualmente a Igreja está sob os cuidados da Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli, dos Arautos do Evangelho.[9]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «São Bento em Piscinula». Arautos.org 
  2. La Diocesi di Roma affida la Chiesa di San Benedetto in Piscinula agli Araldi del Vangelo Arquivado em 8 de setembro de 2017, no Wayback Machine.. Página oficial (em italiano).
  3. S. Benedetto in Piscinula. Portal Rome in the Footsteps of an XVIIIth Century Traveller (em inglês).
  4. Gasquet, Francis A. (1 de Julho de 1895). «San Benedetto in Piscinula». The Downside Review. 14 (2): 165-167. ISSN 0012-5806. doi:10.1177/001258069501400205 
  5. Le foto della chiesa scattate da Peter Paul Mackey nel 1905 sono visibili a [1]
  6. Liber censuum Romanae ecclesiae
  7. Notizie sulla campana
  8. Toniolo, Victor (Julho de 2003). «San Benedetto in Piscinula – Roma». Revista Arautos do Evangelho. 19 (0). 18 páginas 
  9. Chiesa Rettoria San Benedetto in Piscinula. Diocese de Roma (em italiano).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]