Sheets of sound

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sheets of sound foi um termo cunhado em 1958 pelo crítico Ira Gitler da revista especializada em jazz Down Beat, para descrever o novo e único estilo de improvisação do saxofonista John Coltrane.[1][2] Gitler usou esta expressão nas notas do álbum Soultrane de 1958.[3]

Referências

  1. Hentoff, Nat (1960). «Liner notes for John Coltrane: Giant Steps (Deluxe Edition)». Rhino Entertainment. Consultado em 15 de fevereiro de 2008. While he was with Miles, Coltrane was tagged with the phrase "sheets of sound." Jazz critic Ira Gitler had first used it. These "sheets of sound" were multinote hailstorms of dense textures that sound like a simultaneous series of waterfalls. "His continuous flow of ideas without stopping really hit me," Gitler said. "It was almost superhuman. The amount of energy he was using could have powered a spaceship." 
  2. Gitler, Ira (16 de outubro de 1958). «'Trane On The Track». Down Beat. Consultado em 15 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007 
  3. Porter 1999, p. 319.
Ícone de esboço Este artigo sobre Jazz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.