Paul Chambers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paul Chambers
Informação geral
Nome completo Paul Laurence Dunbar Chambers, Jr.
Nascimento 22 de abril de 1935
País  Estados Unidos
Data de morte 4 de janeiro de 1969 (33 anos)

Paul Laurence Dunbar Chambers, Jr. (Pittsburgh, 22 de Abril de 19354 de Janeiro de 1969) foi um dos mais influentes contrabaixistas de jazz da história.[1] Era também conhecido como Mr. P.C.. Foi figura notável em grande parte das "cozinhas" dos grupos dos das décadas de 1950 e 1960.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Chambers nasceu em Pittsburgh em 22 de abril de 1935 e nas suas primeiras experiências musicais, tocou sax barítono e tuba na banda da escola e aos 14 anos iniciou no aprendizado do contrabaixo.

Já em Detroit, começou a tocar com os músicos locais e entre eles estavam Kenny Burrell e Thad Jones e se graduou na Cass University, onde fazia parte da banda. Em 1955, já com uma bagagem respeitável, Chambers foi convidado a integrar o combo de Paul Quinichette em New York. Após ser aceito pela elite do jazz, atuou ao lado Joe Roland, Sonny Stitt e J.J. Johnson. Nesse mesmo ano, Chambers passou a integrar o famoso quinteto de Miles Davis, que incluía Coltrane, Red Garland (piano) e Jo Jones (bateria). Essa seção rítmica ficou muito reconhecida pelo estilo suingado e pelo pulso leve de ampla sustentação de Chambers que dava uma sólida base para o conjunto. Do seu trabalho com Miles destacam-se as suas performances em “Four” no álbum Workin, "Billy Boy” em Milestones, “So What” em Kind of Blue e em Sketches of Spain. [2]

Com Coltrane, participou das gravações de Blue Train (57), Soultrane (58) e Giant Steps (59); com Rollins gravou “Tenor Madness”; com J.J Johnson, “The Eminent J J Johnson”; com Lee Morgan, “The Cooker” e com Benny Golson, “Groovin”. Ele realiza um solo de dez chorus na música “The Stroller”. [2]

Com performances como essas, Chambers abriu o caminho para que mais instrumentistas pudessem utilizar o baixo como solista. Mas na segunda metade dos anos 60, sua saúde já precária pelo uso de drogas o afastou das gravações e da criatividade como artista. Chambers faleceu vitimado pela tuberculose, em New York no dia 4 de janeiro de 1969. [2]

Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.


Discografia[editar | editar código-fonte]

Como leader[editar | editar código-fonte]

 

Como co-leader[editar | editar código-fonte]

Acompanhando outros músicos[editar | editar código-fonte]

Julian "Cannonball" Adderley

Nat Adderley

  • Introducing Nat Adderley (Wing Records, 1955); relançado como Them Adderleys (Limelight, 1966)
  • Naturally! (Jazzland Records, 1961)

Toshiko Akiyoshi

  • The Toshiko Trio (Storyville, 1956)
  • Toshiko Mariano and her Big Band (Vee-Jay Records, 1964)

Lorez Alexandria

  • Alexandria The Great (Impulse!, 1964)

Chet Baker

Kenny Burrell

Sonny Clark

Jimmy Cleveland

John Coltrane

Miles Davis

 

Kenny Dorham

Kenny Drew

Curtis Fuller

Red Garland

Herbie Hancock

Barry Harris

Dexter Gordon

Benny Golson

Joe Henderson

Andrew Hill

Freddie Hubbard

Milt "Bags" Jackson

Referências

  1. allmusic
  2. a b c >"Paul Chambers - Clube de Jazz". 30 de janeiro de 2016. Consult. 30 de janeiro de 2016.