Siemens Mobille

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Siemens Mobille foi uma fabricante de telefones celulares para o público doméstico[1] e também para o meio industrial, era uma divisão do conglomerado Siemens AG.[2]

A empresa produziu e vendeu seus últimos aparelhos em 2005, quando foi vendida para a BenQ que passou a utilizar o nome BenQ-Siemens, após finalizar um acordo com a antiga proprietária da divisão.[3]

História no Brasil[editar | editar código-fonte]

A Siemens investiu fortemente suas produções no Brasil entre as décadas de 90 e 2000, onde mantinham vários produtos de telefone celular. O modelo Siemens A50 se destacou muito e vendeu milhões de unidades, era um aparelho robusto e tecnológico para a época, sendo um clássico da marca no Brasil. O Siemens A55, derivado do mesmo modelo, também vendeu muitas unidades, mas perdeu espaço no mercado por aparelhos mais avançados de outras marcas como Nokia e Samsung.[carece de fontes?]

Mesmo assim, a empresa investiu muito dinheiro em sua exportadora e fábrica de celulares que se localizava no município de Manaus, no estado do Amazonas[4][5]

Prejuízos e venda para a BenQ[editar | editar código-fonte]

A empresa em 2004 queria deter 30% da fatia do mercado brasileiro de celular, sendo assim, lançou o primeiro celular com tecnologia GSM, mas focou a sua produção em celulares mais antigos como o modelo Siemens C65.[6]

No entanto, essa divisão de celulares da Siemens trazia inúmeros prejuízos para o conglomerado, foi revelado que a marca havia deixado R$ 281 milhões de reais em prejuízos entre os anos de 2004 a 2005.[7][8]


Referências

  1. «O que a Siemens fazia enquanto o Brasil conquistava seus cinco títulos? - Sobre a Siemens - Siemens». w3.siemens.com.br. Consultado em 29 de maio de 2019 
  2. «BenQ muda de nome para evitar danos com a imagem da operação móvel». Computerworld. 25 de abril de 2007. Consultado em 29 de maio de 2019 
  3. «Siemens quer duplicar as exportações em 2004». Computerworld. 1 de dezembro de 2003. Consultado em 29 de maio de 2019 
  4. «Alemanha: falência de um ex-setor da Siemens ameaça 3.000 empregos». www.wsws.org. Consultado em 29 de maio de 2019 
  5. «Siemens pede para produzir celulares em Manaus». Computerworld. 29 de janeiro de 2001. Consultado em 29 de maio de 2019 
  6. «Siemens vende área de celulares e ainda paga por isso - 07/06/2005 - UOL Últimas Notícias». noticias.uol.com.br. Consultado em 29 de maio de 2019 
  7. Welle (www.dw.com), Deutsche. «Siemens se despede do setor de celulares | DW | 07.06.2005». DW.COM. Consultado em 29 de maio de 2019 
  8. «Folha de S.Paulo - Tecnologia: Siemens vai deixar de fabricar celulares - 08/06/2005». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 29 de maio de 2019