Sociedade Brasileira de Computação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sociedade Brasileira de Computação
upright=!Artigos sem imagens
Logo SBC Transparente.jpeg
História
Fundação
Quadro profissional
Tipo
Domínio de atividade
País
Organização
Afiliação
International Federation for Information Processing (en)
Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência
Website

A Sociedade Brasileira de Computação ou SBC é uma sociedade científica sem fins lucrativos fundada em 1978, que reúne estudantes, professores, profissionais, pesquisadores e entusiastas da área de Computação e Informática de todo o Brasil. A SBC tem como função fomentar o acesso à informação e cultura por meio da informática, promover a inclusão digital, incentivar a pesquisa e o ensino em computação no Brasil, e contribuir para a formação do profissional da computação com responsabilidade social.

Faz parte da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e da Federação Internacional para o Processamento da Informação. Além disso, é associada ao Centro Latino-americano de Estudios en Informatica (CLEI) e afiliada à IEEE Computer Society.

História[editar | editar código-fonte]

A SBC foi fundada em julho de 1978, na cidade de Porto Alegre, RS. Seus congressos surgiram a partir da integração de dois seminários associados, chamados Seminário Integrado de Software e Hardware (SEMISH) e Seminário Sobre Computação na Universidade (SECOMU).

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Visando cumprir sua missão, a SBC tem como finalidades principais:

  • Incentivar atividades de ensino, pesquisa e desenvolvimento em computação no Brasil;
  • Zelar pela preservação e aprimoramento do espírito crítico, responsabilidade profissional e personalidade nacional da comunidade técnico-científica que atua no setor de computação no país;
  • Manter-se permanentemente atenta à política governamental que afeta as atividades de computação no Brasil, no sentido de assegurar a emancipação tecnológica do país;
  • Promover por todos os meio academicamente legítimos, através de reuniões, congressos, conferências e publicações, o conhecimento, informações e opiniões que tenham por objetivo a divulgação da ciência e os interesses da comunidade de computação.

Desde 2016 a SBC divulga projetos que considera inovadores e que tenham um propósito educativo, social ou tecnológico. Tem como um dos seus objetivos levar a computação às pessoas que não tem acesso à educação formal.[1]

O projeto dos Gibis,[2] por exemplo, expõe através de pequenas histórias em quadrinhos sobre temas ligados à computação de cunho geral, social e técnico [3]. Há uma publicação que incentiva mulheres a entrar na área[4] onde os homens ainda predominam[5]; há outra desmitificando o verdadeiro significado de “Hacker[6]. Os Gibis são divididos em seis séries: Informática Ética e Sociedade, Inteligência Artificial, Propriedade intelectual, Computação afetiva, Estrutura de dados e Metodologia científica e tecnológica. O projeto, também conhecido como os "Almanaques para Popularização de Ciência da Computação",[7] é apoiado pelo CNPq e outras instituições.

Administração[editar | editar código-fonte]

A instituição é regida por um estatuto e administrada por uma diretoria. A Sociedade também possui um Conselho com funções deliberativas e normativas.

O atual presidente da SBC é o professor Lisandro Zambenedetti Granville, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A vice-presidente é a professora Thais Vasconcelos Batista da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

CSBC[editar | editar código-fonte]

Desde 1980 o Congresso da Sociedade Brasileira de Computação, ou CSBC, ocorre de forma anual promovendo o compartilhamento de experiências na área de computação.

Em 2022, o CSBC ocorrerá do dia 31 de Julho a 05 de Agosto e terá seu tema: Empoderamento Digital: O Papel da Computação na Construção de uma Sociedade Inclusiva e Democrática. O evento será locado nas dependências da Universidade Federal Fluminense, UFF, em Niterói, RJ. [8]

Tadao Takahashi[editar | editar código-fonte]

Foi um dos pioneiros para a internet ser implementada no Brasil. Sendo o fundador da Rede Nacional de Pesquisa do Brasil (RNP), que se juntou com outras intuições , deu-se o inicio a implementação da internet.

Sempre teve interesse em afirmar a importância em prover internet para as pessoas que não tinham condição e transmiti-la para fora das grandes cidades. Em 1999, criou e coordenou A SOCINFO(Programa Nacional para a Sociedade da Informação do Brasil), foi conselheiro da Aliança Global sobre Tecnologia da informação na ONU.

Em 2017 entrou para o Hall da Fama da Internet, que o homenageou pelos seus feitos. Falecido em 8 de abril de 2022, a SBC lamente o falecimento, e afirma que ele deixou um legado de planejamento imensurável.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O que é Chancela SBC». 8 de fevereiro de 2018. Consultado em 3 de março de 2018 
  2. Kettermann, Franciele. «Gibis com Chancela da SBC». sbc.org.br. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  3. «Gibis» (PDF). 13 de junho de 2017. Consultado em 3 de março de 2018 
  4. Nunes, Maria Augusta Silveira Netto; Louzada, Carolina Santana; Salgueiro, Edilayne Meneses; Costa, Márcia Sandrine Nascimento; Santana, Marlone Santos (2017). «Almanaque para Popularização de Ciência da Computação: Mulheres na computação» (PDF). Consultado em 3 de março de 2018 
  5. «Unesco: mulheres são minoria nas áreas de engenharia e ciências da computação». 9 de fevereiro de 2017. Consultado em 3 de março de 2018 
  6. Silva, Ismael dos Santos; Barbosa, Albert Santos; Nunes, Maria Augusta Silveira Netto (2017). «Almanaque para Popularização de Ciência da Computação: O que é um Hacker?» (PDF). Consultado em 3 de março de 2018 
  7. «Almanaques para Computação». almanaquesdacomputacao.com.br. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  8. https://www.sbc.org.br/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre computação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.