Sofia da Hungria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sofia
Marquesa consorte da Ístria e Carníola
Duquesa consorte da Saxônia
Cônjuge Ulrico I de Carníola
Magno I da Saxónia
Casa Árpád (por nascimento)
Weimar (por casamento)
Bilungo (por casamento)
Nascimento 1045/50
Morte 18 de junho de 1095 (45 anos) ou 18 de junho de 1095 (50 anos)
Enterro Igreja de São Miguel de Luneburgo, Baixa Saxônia, Alemanha
Pai Bela I da Hungria
Mãe Riquilda da Polônia

Sofia da Hungria (em húngaro: Zsófia; em alemão: Sophia von Ungarn; 1045/5018 de junho de 1095) [1] [2]foi princesa da Hungria por nascimento, e marquesa consorte da Ístria e Carníola através de seu primeiro casamento com Ulrico I de Carníola, e duquesa consorte da Saxônia através de seu segundo casamento com Magno I da Saxónia.

Família[editar | editar código-fonte]

Sofia era filha do futuro rei Bela I da Hungria e de Riquilda da Polônia. Seu avô paterno era Basílio da Hungria. Seus avós maternos eram Miecislau II da Polónia, chamado "o Indolente", e Ricarda da Lotaríngia.

Sofia foi a segunda filha e terceira criança de seus pais. Seus irmãos eram: o rei Géza I da Hungria; Ana Lanca, esposa de Rostislav Vladimirovich, príncipe de Rostov; o rei Ladislau I da Hungria, marido de Adelaide de Rheinfelden, e pai de Piroska da Hungria, imperatriz bizantina como esposa de João II Comneno; Eufêmia, esposa do príncipe Otão I de Olomouc, na Morávia; Maria, casada com Andrônico Ducas, filho do imperador Constantino X Ducas; Lamberto, e Helena da Hungria, rainha consorte da Croácia como esposa de Demétrio Zvonimir.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sofia casou-se com o marquês Ulrico, em 1062 ou 1063. Ele era filho do marquês Popo I da Carníola e de Hadamuta da Ístria. O casal teve cinco filhos.

Ela ficou viúva em 1070. Mais tarde, ela casou-se com o duque Magno I da Saxônia, filho de Ordulfo da Saxônia e da princesa Vulfilda da Noruega, filha do rei Olavo II da Noruega.

Sofia morreu em 18 de junho de 1095, e foi enterrada na Igreja de São Miguel de Luneburgo, na atual Baixa Saxônia.[3]

Magno morreu em 23 de agosto de 1106, e foi enterrado na mesma Igreja que a esposa.

Descendência[editar | editar código-fonte]

De seu primeiro casamento:

  • Popo II de Carníola (m. 1098), foi marquês de Ístria e Carníola, e marido de Ricarda de Sponheim, com quem teve seis filhos;
  • Ulrico II de Carníola (m. 13 de maio de 1112), foi marquês de Ístria e Carníola, marido de Adelaide da Turíngia. Sem filhos;
  • Filha de nome desconhecido, possivelmente casada com Udalrico, duque da Morávia;
  • Ricarda, esposa de Ecardo I, conde de Scheyern. Teve descendência;
  • Adelaide, primeiro foi casada com Frederico de Ratisbona, com quem teve quatro filhos, e depois com Udalscalco, conde de Lurngau, com quem teve três filhos.

De seu segundo casamento:

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências