Sosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Portugal Soza 
  Freguesia  
Localização
Localização no concelho de Vagos
Localização no concelho de Vagos
Soza está localizado em: Portugal Continental
Soza
Localização de Soza em Portugal
Coordenadas 40° 32' 46" N 8° 39' 40" O
Concelho VGS.png Vagos
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Nelson Cheganças PPD-PSD
Características geográficas
Área total 22,03 km²
População total (2011) 3 069 hab.
Densidade 139,3 hab./km²
Outras informações
Orago São Miguel

Soza é uma vila e freguesia portuguesa do concelho de Vagos, com 22,03 km² de área e 3 069 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 139,3 hab/km².

Foi vila e sede de concelho entre 1514 e 1855. Era constituído apenas por uma freguesia e tinha, em 1801, 3 864 habitantes. Após as reformas administrativas do início do liberalismo, foi-lhe anexada a freguesia de Vila Nova da Palhaça, antes pertencente a Esgueira. Tinha, em 1849, 4 228 habitantes.

Foi novamente elevada a vila em 12 de Junho de 2009.[1]

O antigo concelho de Soza, terminou com a reforma administrativa de 1853. Nesta data passaram para o concelho de Oliveira do Bairro as freguesias de Palhaça e Mamarrosa. Soza ficou enquadrada no concelho de Vagos. Deste velho concelho quase tudo desapareceu. Até os documentos dos arquivos da extinta administração do concelho de Vagos, foram vendidos para embrulhos e para pasta de papel, por um administrador inconsciente e interesseiro.

Data de 1088, o primeiro documento que fala de Soza.

Os Romanos deixaram a sua marca por estas paragens. No lugar onde se encontra o cemitério, teriam feito uma construção de defesa. Este local, ainda hoje, é conhecido por " Crasta ", em sítio altaneiro, está o lugar de " Cubelos " (torreão da antiga fortaleza) e junto ao lugar do Boco existe o lugar de " Ferrarias " onde se faziam ou concertavam os navios. Dos antigos casais, que ficavam a poente da Igreja Matriz, nada existe, tudo desapareceu. Quando se procedeu a escavações para implantar os muros do actual cemitério, descobriram-se sarcófagos de tijolo assentes em barro com uma cobertura de pedra calcárea com caracteres tidos por indecifráveis e vasos cerâmicos junto às ossadas. Segundo alguns especialistas (vg. Dr. David Cristo), estes sarcófagos seriam sepulturas Godas.

Em 1192 D. Sancho I, doou Soza aos frades de Rocamador «. O rei, preocupado com o povoamento desta região e querendo dar uma recompensa aos flamengos que o ajudaram na conquista de Silves, quando iam a caminho da Terra Santa em serviço das Cruzadas, entregou-lhes a orla marítima de Soza , onde abundavam florestas e animais selvagens .

Os frades fundaram uma Igreja e um Hospital junto ao mar (hoje as marinhas do canal do Boco). Segundo rezam as crónicas, estes edifícios foram destruídos por um sismo ou marmoto. Os frades vieram então ocupar a Igreja actual, que se tornou centro de peregrinações. Felizmente que, desta época, se conseguiu encontrar a primitiva Imagem de Nossa Senhora de Rocamador, que se encontra guardada na sala museu da actual Igreja Matriz.

A muita riqueza da ordem de Rocamador que veio a Ter casas em Coimbra, Porto, Lisboa , Torres Vedras e Guarda , todas dependentes de Soza , subverteu o espírito orginal e, por isso , D. Afonso V , embora indirectamente, conseguiu, em Agosto de 1481, a extinção do ordem, por bula do papa Sisto IV.

O foral da Vila de Soza. A carta de foral foi doada a esta Vila por D. Manuel I em 16 de Fevereiro de 1514.


População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes residentes [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3 103 3 256 3 384 3 587 3 707 3 812 4 484 4 660 4 835 4 620 2 661 2 738 2 575 2 939 3 069

Com lugares desta freguesia foi criada a freguesia de Ouca pelo decreto lei nº 47.033, de 30/05/1966

Distribuição da População por Grupos Etários [3]
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 480 396 1 538 525 16,3% 13,5% 52,3% 17,9%
2011 453 366 1 635 615 14,8% 11,9% 53,3% 20,0%

Património[editar | editar código-fonte]

  • Igreja Matriz de São Miguel (com rico património estatuário)
  • Cruzeiro (Charola de Soza)
  • Capelas de São Sebastião (Senhor dos Passos), da Senhora do Encontro, da Senhora da Saúde, de São João, da Senhora do Pilar, de Santo António, de Nossa Senhora da Graça.
  • Ruínas do convento
  • Pelourinho
  • Quinta das Maias
  • Casa do morgado da Pedricosa
  • Vale das Maias
  • Azenhas do rio Boco
  • Vestígios arqueológicos da Castra
  • Sítio das Forcas

Referências

  1. Público. «Portugal tem cinco novas cidades e 22 vilas». Publico.pt. Consultado em 12 de junho de 2009. Arquivado do original em 15 de junho de 2009 
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  3. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.