Tabacaria (poema)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"Tabacaria", poema de Álvaro de Campos na revista Presença n.º 39, julho de 1933.

Tabacaria é um poema escrito em 15 de Janeiro de 1928 por Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa, publicado na Presença, em julho de 1933.

Este poema retrata uma sensação do infinito, cuja presença coloca o ser humano sensível a ideias tanto quanto aos factos. Por ser possível pensar, o ser humano pode deixar de se vincular ao presente imediato para se transportar a problemas de ordem existencial em outros níveis.

Este poema retrata esta característica humana, onde o poeta revela as condições eternas de ser gente - finito em certos aspectos de sua materialidade "como coisa real por fora" e infinito em sua essência "como coisa real por dentro" - uma obra monumental que atinge diretamente esta sensação da eternidade presente dentro de uma tarde em que ficamos "em casa sem camisa" - ou mesmo ouvimos "a voz de Deus num poço tapado".

O crítico italiano Antonio Tabucchi considera-o o poema mais importante do Século XX.[1]

Desde 1996, a Casa Fernando Pessoa publica a revista semestral Tabacaria, em homenagem Fernando Pessoa.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Matos, Albano (9 de julho de 2011). «O escritor italiano que entrou em lisboa pela 'tabacaria'». dn.pt. Consultado em 18 de maio de 2021 
  2. «Revista "Tabacaria"». Consultado em 18 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Tabacaria


Ícone de esboço Este artigo sobre poesia ou um poema é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.