Temporada de ciclones na região da Austrália de 2009-2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temporada de ciclones na região da Austrália de 2009-2010
2009-2010 Australian region cyclone season summary.png
Primeiro sistema1 formado: Laurence, em 8 de dezembro de 2009
Sistemas ativos1: Ului
Total de tempestades nomeadas: 5
Total de ciclones: 3
Grandes ciclones (Cat. 3+): 2
Tempestade mais forte: Laurence e Ului - 925 mbar, 240 km/h (1 min)
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 2
Danos totais: 0
ECA Total: 0
Fatalidades confirmadas: 0
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de ciclones na região da Austrália de 2009-2010 é um evento no ciclo anual de formação de ciclones tropicais. A temporada começou oficialmente em 1 de novembro de 2009 e terminará em 30 de Abril de 2010. O plano operacional regional de ciclones tropicais define um "ano de ciclones tropicais" separado de uma "temporada de ciclones tropicais". O "ano de ciclones tropicais" começou oficialmente em 1 de Julho de 2009 e terminará em 30 de Junho de 2010. A área de monitoração de ciclones na região da Austrália fica no hemisfério sul, limitada pela linha do Equador e pelos meridianos 90°E e 160ºE. Esta área de monitoramento inclui a Austrália, a Papua-Nova Guiné, o Timor-Leste, parte ocidentais das Ilhas Salomão e partes da Indonésia.

Os ciclones tropicais que se formam nesta área são monitorados por cinco centros de aviso de ciclone tropical (CACTs): O Bureau of Meteorology em Perth, em Darwin e em Brisbane; pelo CACT de Jacarta, Indonésia e pelo CACT de Port Moresby, Papua Nova Guiné[1] O Joint Typhoon Warning Center (JTWC) emite avisos não oficiais para a região, designando sistemas tropicais com o sufixo "S" quando se formam a oeste do meridiano 135°L e com o sufixo "P" quando se formam a leste do meridiano 135°E.

Tempestades[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical severo Laurence[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ciclone Laurence (2009)
Laurence
06S
Categoria 5 (Escala Australiana)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Laurence 2009 track.png
Duração 12 de dezembro de 2009—23 de dezembro de 2009
Intensidade 130 nós (241 km/h, 150 mph) 1 min
110 nós (204 km/h, 127 mph) 10 min, 925 hPa (mbar)

Em 8 de Dezembro, o CACT de Darwin relatou que uma baixa tropical havia se formado perto da costa sul de Papua Nova Guiné.[2] Como o sistema seguiu para o nordeste da região de Top End, extremo norte do Território do Norte, em 10 de dezembro, o CACT de Darwin emitiu um alerta de ciclone tropical para as zonas costeiras de Ilha Croker a Ilha Bathurst, mas excluindo Darwin. No mesmo dia, o CACT de Perth cancelou todos os avisos anteriores e emitiu novo alerta para Kalumburu, para o sul e oeste de Mitchell Plateau. O sistema permaneceu praticamente estacionário, onde começou a se intensificar, e se tornou o primeiro ciclone tropical dotado de nome da temporada no início da madrugada (UTC) de 13 de dezembro.[3] Seguindo para sudoeste, Laurence começou a se intensificar rapidamente, e logo se tornou um ciclone tropical severo, segundo o CACT de Darwin, no início da madrugada (UTC) de 15 de dezembro.[4] A rápida intensificação persistiu, e Laurence atingiu seu pico de intensidade ainda em 15 de dezembro, com ventos máximos sustentados de 215 km/h (1 minuto sustentado), segundo o JTWC.[5]

Na madrugada (UTC) de 16 de dezembro, Laurence começou a se enfraquecer assim que se aproximava na costa da Austrália Ocidental.[6] Laurence fez landfall na costa da Austrália, perto da Ilha Cockatoo, e começou a se enfraquecer logo depois. Com isso, o JTWC emitiu seu aviso final sobre o sistema,[7] enquanto que o CACT de Perth desclassificou Laurence para um simples ciclone tropical.[8]

Em 18 de dezembro, o CACT de Perth desclassificou Laurence para uma baixa tropical,[9] mas naquela tarde, o JTWC voltou a emitir avisos regulares sobre o ciclone assim que Laurence começou a seguir novamente para oeste-noroeste, em direção ao oceano.[10] Entrando novamente em contato com as águas quentes do oceano Índico, Laurence voltou a se organizar. Com isso, o CACT de Perth voltou a classificar Laurence para um ciclone tropical em 19 de dezembro.[11] A partir de então, Laurence voltou a sofrer rápida intensificação e se tornou novamente um ciclone tropical severo, segundo o CACT de Perth.[12] A partir de então, Laurence começou a seguir para sul, e atingiu seu segundo pico de intensidade, com ventos de até 240 km/h (1 minuto sustentado), segundo o JTWC,[5] pouco antes de fazer seu segundo landfall, logo a leste da cidade de Port Hedland, durante seu pico de intensidade. Logo em seguida, Laurence começou a se enfraquecer rapídamente e o JTWC emitiu seu aviso final sobre o sistema.[13] O CACT de Perth também emitiu seu aviso final sobre o sistema na madrugada (UTC) de 23 de dezembro.[14]

Baixa tropical 02U[editar | editar código-fonte]

02U
Baixa tropical (Escala Australiana)
{{{image}}} 02U 2010 track.png
Duração 27 de dezembro de 2009—5 de janeiro de 2010
Intensidade 20 nós (37 km/h, 23 mph) 1 min
25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, 995 hPa (mbar)

Uma área de perturbações meteorológicas localizada sobre a região de Top End, no Território do Norte, Austrália, começou a mostrar sinais de desenvolvimento em 27 de dezembro, quando o CACT de Darwin classificou o sistema para a baixa tropical "02U".[15] Após seguir para o golfo de Joseph Bonaparte, a baixa seguiu para sudeste e fez landfall na divisa entre Austrália Ocidental e o Território do Norte, Austrália, e dissipou-se em 5 de janeiro.[16]

Baixa tropical 03U (Edzani)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ciclone Edzani
03U
Baixa tropical (Escala Australiana)
{{{image}}} Edzani 2010 track.png
Duração 1 de janeiro de 2010—4 de janeiro de 2010
(Deixou a área de responsabilidade do CACT de Perth)
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 10 min, 1000 hPa (mbar)

Uma área de perturbações meteorológicas localizada a sudeste de Sumatra, Indonésia, começou a mostrar sinais de organização em 1 de janeiro, quando o CACT de Jacarta o classificou para a baixa tropical "03U".[17] No entanto, a baixa não foi capaz de se intensificar devido às condições meteorológicas desfavoráveis, como o forte cisalhamento do vento. Seguindo para oeste e oeste-sudoeste, a baixa deixou a área de responsabilidade do CACT de Perth para adentrar na área do Centro Meteorológico Regional Especializado de Reunião, na manhã (UTC) de 4 de janeiro, onde se tornou o intenso ciclone Edzani. Com isso, o último aviso sobre a baixa foi emitido.[18]

Baixa tropical 04U[editar | editar código-fonte]

04U
Baixa tropical (Escala Australiana)
{{{image}}} 04U 2010 track.png
Duração 14 de janeiro de 2010—21 de janeiro de 2010
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 1 min,

Em 14 de janeiro, o Centro de Aviso de Ciclone Tropical (CACT) de Perth classificou um cavado de monção que mostrava sinais de organização ao largo da costa noroeste da Austrália para a baixa tropical "04U".[19] Seguindo para oeste, a baixa não foi capaz de se intensificar e se dissipou em 21 de janeiro.[20]

Ciclone tropical severo Magda[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ciclone Magda (2010)
Magda
08S
Categoria 3 (Escala Australiana)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Magda 2010 track.png
Duração 19 de janeiro de 2010—22 de janeiro de 2010
Intensidade 65 nós (120 km/h, 75 mph) 1 e 10 min, 980 hPa (mbar)

Na manhã de 19 de janeiro, o Centro de Aviso de Ciclone Tropical de Perth relatou a formação de uma baixa tropical a oeste de Darwin.[21] Na tarde de 20 de janeiro, o CACT de Perth classificou o sistema como um ciclone tropical e lhe atribuiu o nome "Magda".[22] Mais tarde, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) também classificou o sistema para um ciclone tropical significativo e lhe atribuiu a designação "08S".[23] Sob condições meteorológicas favoráveis, Magda intensificou-se gradualmente, atingindo seu pico de intensidade no início da noite (UTC) de 21 de janeiro, com ventos máximos sustentados de 120 (1 minuto sstentado), segundo o JTWC,[24] ou 110 km/h (10 minutos sustentados), segundo o CACT de Perth.

Logo em seguida, Magda começou a se enfraquecer assim que sua circulação ciclônica de baixos níveis começou a se interagir com a costa do noroeste da Austrália. Magda fez landfall na costa da região de Kimberley, perto de seu pico de intensidade, no final daquela noite (UTC).[25] Sobre terra, Magda começou a se enfraquecer rapidamente. No início da tarde (UTC) de 22 de janeiro, o CACT de Perth desclassificou Magda para uma baixa tropical e emitiu seu aviso final sobre o sistema.[26] O JTWC fez o mesmo mais tarde naquele dia.[27]

Ciclone tropical Neville[editar | editar código-fonte]

Neville
Categoria 1 (Escala Australiana)
{{{image}}} Neville 2010 track.png
Duração 14 de janeiro de 2010—22 de janeiro de 2010
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min
35 nós (65 km/h, 40 mph) 10 min, 994 hPa (mbar)

No início da madrugada (UTC) de 16 de janeiro, o Centro de Aviso de Ciclone Tropical (CACT) de Darwin classificou uma área de perturbações meteorológicas sobre o golfo de Carpentária como a baixa tropical 05U.[28] Seguindo para leste-sudeste, a baixa cruzou a península do Cabo York e começou a se organizar no mar de Coral. Na noite de 20 de janeiro, o Centro de Aviso de Ciclone Tropical (CACT) de Brisbane classificou o sistema como um ciclone tropical e lhe atribuiu o nome "Neville".[29]

No entanto, devido às condições meteorológicas desfavoráveis, Neville logo se enfraqueceu para uma baixa tropical no início da madrugada (UTC) de 21 de janeiro.[30] O sistema continuou a se desorganizar enquanto permanecia praticamente estacionário ao largo da costa de Queensland, e em 22 de janeiro, o CACT de Brisbane emitiu seu aviso final sobre o sistema.[31]

Ciclone tropical Olga[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ciclone Olga (2010)
Olga
Categoria 2 (Escala Australiana)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Olga 2010 track.png
Duração 20 de janeiro de 2010(Adentrou a AR do CACT de Brisbane)—30 de janeiro de 2010
Intensidade 50 nós (93 km/h, 58 mph) 1 min
55 nós (102 km/h, 63 mph) 10 min, 983 hPa (mbar)

Em 20 de janeiro, a depressão tropical 04 adentrou a área de responsabilidade do Centro de Aviso de Ciclone Tropical (CACT) de Brisbane, Austrália. Inicialmente desorganizado, o sistema começou a mostrar sinais de organização em 22 de janeiro com o enfraquecimento do ciclone tropical Neville, e se tornou o ciclone tropical Olga ainda naquele dia.[32] O Joint Typhoon Warning Center (JTWC0 também classificou o sistema para um ciclone tropical significativo no início da madrugada (UTC) de 23 de janeiro, atribuindo-lhe a designação "09S".[33] Seguindo para oeste, olga atingiu seu pico de intensidade, com ventos máximos sustentados de 85 km/h (1 minuto sustentado), segundo o JTWC, pouco antes de fazer landfall na costa de Queensland, Austrália, em 24 de janeiro.[34]

Pouco antes de alcançar a costa, o CACT de Brisbane desclassificou Olga para uma baixa tropical.[35] Ainda naquele dia, o JTWC chegou a emitir seu aviso final sobre o sistema assim que as previsões favoreciam a dissipação de Olga sobre terra.[36]

No entanto, a área de baixa pressão remanescente de Olga voltou a se intensificar assim que o sistema alcançou o golfo de Carpentária. Com isso, o JTWC voltou a emitir avisos regulares sobre o sistema em 26 de janeiro.[37] No entanto, Olga não foi capaz de voltar a se intensificar devido a um inesperado movimento para sudoeste, o que fez que Olga seguisse sobre terra por mais tempo que se imaginava.[38] Na manhã (UTC) de 28 de janeiro, Olga começou a seguir para sul-sudoeste, distanciando-se do golfo de Carpentária, e forçando o JTWC a emitir mais uma vez o seu aviso final sobre o sistema.[39]

Novamente o sistema seguiu para o golfo de Carpentária, onde mais uma vez voltou a se intensificar. Com isso, o JTWc teve que reiniciar a emissão regular de avisos sobre Olga na tarde de 29 de janeiro.[40] Praticamente ao mesmo tempo, o CACT de Brisbane voltou a classificar o sistema para um ciclone tropical significativo.[41] Olga cruzou o golfo de Carpentária rapidamente, e fez um segundo landfall sobre o estado australiano de Queensland, onde se enfraqueceu definitivamente e se dissipou. Com isso, o JTWC emitiu seu aviso final sobre o sistema.[42] Ao mesmo tempo, o CACT de Brisbane desclassificou Olga mais uma vez para uma baixa tropical e também emitiu seu aviso final sobre o sistema.[43]

Ciclone tropical severo Ului[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ciclone Ului (2010)
Ului
Categoria 4 (Escala Australiana)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Ului 2010 track.png
Duração 09 de março de 2010—Em Atividade
Intensidade 135 nós (250 km/h, 155 mph) 1 min
105 nós (194 km/h, 121 mph) 10 min, 925 hPa (mbar)

Cronologia[editar | editar código-fonte]

O gráfico abaixo mostra de forma clara a duração e a intensidade de cada ciclone tropical:

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Os CACTs de Perth, Darwin e Brisbane usam uma lista compartilhada de nomes de ciclones tropicais. No entanto, os CACTs de Port Moresby e Jacarta usam suas próprias listas para atribuir nomes aos ciclones tropicais de que se formam em suas áreas de responsabilidade.

Indonésia[editar | editar código-fonte]

Ciclones tropicais que se formam entre a linha do Equador e a latitude 10°S e entre os meridianos 90°L e 125°L são monitorados pelo CACT de Jacarta, Indonésia. Abaixo segue-se os três primeiros nomes a serem usados para a temporada de 2009-2010:

  • Anggrek (Sem usar)
  • Bakung (Sem usar)
  • Cempaka (Sem usar)
    [44]

Bureau of Meteorology[editar | editar código-fonte]

Começando no "ano ciclônico" de 2008-2009, haverá somente uma única lista que o Bureau of Meteorology (Agência de Meteorologia da Austrália) irá usar para atribuir nomes aos ciclones tropicais. No entanto, o Bureau of Meteorology ainda vai operar os Centros de Avisos de Ciclone Tropical em Perth, Darwin e Brisbane. Eles monitoram os ciclones tropicais que se formam ao sul da linha do Equador, entre os meridianos 90° e 160°L, emitindo avisos especiais mesmo para aqueles ciclones tropicais que estiverem nas áreas de responsabilidades dos CACTs de Jacarta e de Port Moresby. Os nomes serão usados sequencialmente, não havendo, portanto, uma lista alfabética anual. A seguir, será apresentada a lista alfabética da coluna 1, cujo primeiro nome será atribuído ao primeiro ciclone tropical que se formar na temporada de 2009-2010:

  • Tasha (sem usar)
  • Vince (sem usar)
  • Zelia (sem usar)
  • Anthony (sem usar)
  • Bianca (sem usar)
  • Carlos (sem usar)
  • Dianne (sem usar)
  • Errol (sem usar)
  • Zelia (sem usar)
  • Fina (sem usar)
  • Grant (sem usar)
  • Heidi (sem usar)
  • Iggy (sem usar)
  • Jasmine (sem usar)
    [45]

Papua Nova-Guiné[editar | editar código-fonte]

Ciclones tropicais que se formam ao sul da linha do Equador e entre os meridianos 141°L e 160°L são monitorados pela CACT de Port Moresby, Papua Nova Guiné. A lista de nomes está em ordem alfabética. Porém, a escolha dos nomes é aleatório, ou seja, o nome pode ser escolhido dentre qualquer nome da lista.

  • Alu (sem usar)
  • Buri (sem usar)
  • Dodo (sem usar)
  • Emau (sem usar)
  • Fere (sem usar)
  • Hibu (sem usar)
  • Ila (sem usar)
  • Kama (sem usar)
  • Lobu (sem usar)
  • Maila (sem usar)
    [44]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências

  1. http://www.wmo.ch/pages/prog/www/tcp/documents/TCP-24-OP-PLN-2006-edition-english.pdf
  2. «TROPICAL CYCLONE TECHNICAL BULLETIN: AUSTRALIA - NORTHERN REGION» (em inglês). Bureau of Meteorology. 12/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  3. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 15» (em inglês). Bureau of Meteorology. 13/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  4. «CORRECTED TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 31» (em inglês). Bureau of Meteorology. 15/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  5. a b «Tropical Cyclone 06S (Laurence) Best Track» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 22/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  6. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 41» (em inglês). Bureau of Meteorology. 16/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  7. «TROPICAL CYCLONE 06S (LAURENCE) WARNING NR 008» (em inglês). Bureau of Meteorology. 16/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  8. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 48» (em inglês). Bureau of Meteorology. 17/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  9. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 56» (em inglês). Bureau of Meteorology. 18/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  10. «TROPICAL CYCLONE 06S (LAURENCE) WARNING NR 009» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 18/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  11. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 64» (em inglês). Bureau of Meteorology. 19/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  12. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 73» (em inglês). Bureau of Meteorology. 20/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  13. «TROPICAL CYCLONE 06S (LAURENCE) WARNING NR 015» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 21/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  14. «Ex-Tropical Cyclone Laurence» (em inglês). Bureau of Meteorology. 23/12/2009. Consultado em 17/01/2009. 
  15. «Tropical Cyclone 3 day Outlook for Northern Region, including the Gulf of Carpentaria» (em inglês). Bureau of Meteorology. 27/12/2009. Consultado em 07/02/2010.  line feed character character in |titulo= at position 74 (Ajuda)
  16. «Tropical Cyclone 3 day Outlook for Northern Region, including the Gulf of Carpentaria» (em inglês). Bureau of Meteorology. 05/01/2010. Consultado em 07/02/2010.  line feed character character in |titulo= at position 74 (Ajuda)
  17. «BULETIN INFORMASI SIKLON TROPIS» (em indonésio). CACT de Jacarta. 01/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  18. «BULETIN INFORMASI SIKLON TROPIS» (em indonésio). CACT de Jacarta. 04/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  19. «ropical Cyclone three-day outlook for the Western Region» (em inglês). Bureau of Meteorology. 14/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  20. «Tropical Cyclone three-day outlook for the Western Region» (em inglês). Bureau of Meteorology. 21/10/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  21. «HIGH SEAS WEATHER WARNING FOR METAREA 10 ISSUED BY THE AUSTRALIAN BUREAU OF METEOROLOGY TROPICAL CYCLONE WARNING CENTRE PERTH» (em inglês). Bureau of Meteorology. 19/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  22. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 4» (em inglês). Bureau of Meteorology. 20/10/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  23. «TROPICAL CYCLONE 08S (MAGDA) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 20/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  24. «Tropical Cyclone 08S (Magda) Best Track» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 25/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  25. «ZONE OF DISTURBED WEATHER 10 1006 HPA» (em inglês). TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 14. 22/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  26. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 19» (em inglês). CMRE de Reunião. 22/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  27. «TROPICAL CYCLONE 08S (MAGDA) WARNING NR 005» (em inglês). CMRE de Reunião. 22/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  28. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 1» (em inglês). Bureau of Meteorology. 16/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  29. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 1» (em inglês). Bureau of Meteorology. 20/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  30. «Ex-Tropical Cyclone Neville» (em inglês). Bureau of Meteorology. 21/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  31. «ROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 8» (em inglês). Bureau of Meteorology. 22/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  32. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 1» (em inglês). Bureau of Meteorology. 23/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  33. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 001» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 23/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  34. «Tropical Cyclone 09P (olga) Best Track» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 30/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  35. «TROPICAL CYCLONE ADVICE NUMBER 11» (em inglês). Bureau of Meteorology. 24/01/2010. Consultado em 07/10/2009. 
  36. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 004» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 24/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  37. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 005» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 26/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  38. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 007» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 27/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  39. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 008» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 28/01/2010. Consultado em 07/02/2010. 
  40. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 009» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 29/01/2010. Consultado em 08/02/2010. 
  41. «Tropical Cyclone Olga, Category One» (em inglês). Bureau of Meteorology. 29/01/2010. Consultado em 08/02/2010. 
  42. «TROPICAL CYCLONE 09P (OLGA) WARNING NR 010» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 30/01/2010. Consultado em 08/02/2010. 
  43. «Tropical Low, former Olga» (em inglês). Joint Typhoon Warning Center. 30/01/2010. Consultado em 08/02/2010. 
  44. a b Organização Meteorológica Mundial (OMM). «Tropical Cyclone Naming» (em inglês). Consultado em 26/09/2008. 
  45. Bureau of Meteorology. «Tropical Cyclone Names» (em inglês). Consultado em 26/09/2008. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ciclones tropicais da Temporada de ciclones na região da Austrália de 2009-2010
4
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



# - JTWC