O Homem Que Ri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de The Man Who Laughs)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
The Man Who Laughs
O Homem Que Ri (PT/BR)
 Estados Unidos
1928 •  p&b •  110 min 
Direção Paul Leni
Roteiro Novela:
Victor Hugo
Roteiro:
J. Grubb Alexander
Walter Anthony
Mary McLean
Charles E. Whittaker
Elenco Conrad Veidt
Mary Philbin
Olga Baclanova
Josephine Crowell
George Siegmann
Género drama
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

O Homem Que Ri[1][2] (em inglês: The Man Who Laughs) é um filme mudo norte-americano de 1928 dirigido pelo cineasta expressionista alemão Paul Leni. O roteiro adapta o romance de Victor Hugo com o mesmo nome e são apresentados os atores Conrad Veidt como Gwynplaine e Mary Philbin como Dea. O filme é conhecido pela assustadora caracterização do personagem principal, que apresenta na face uma desfiguração que o faz parecer com um sorriso perene e que muitas vezes leva o filme a ser classificado como do gênero terror quando na verdade é um melodrama. A rica iluminação expressionista também contribui para isso.

O Homem que Ri é um melodrama romântico, semelhante a filmes como O Corcunda de Notre Dame (1923). O filme foi um dos primeiras produções da Universal Pictures que fizeram a transição de cinema mudo para sonoro, usando o sistema de som Movietone introduzido por William Fox. Foi concluído em abril de 1927, mas distribuido em abril de 1928, com efeitos sonoros e trilha sonora que incluiu a canção "When Love Comes Stealing", de Walter Hirsch, Pollack Lew, e Rapee Erno.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Tendo lugar na Inglaterra no ano de 1690, O Homem que Ri mostra a história de Gwynplaine, o filho de um nobre Inglês que teria traído o Rei James II da Inglaterra. As sentenças do monarca foram a execução do pai de Gwynplaine na Dama de ferro e a solicitação a um cirurgião, Dr. Hardquannone, que desfigurasse o rosto do menino, condenado a "rir" para sempre.

Gwynplaine é visto vagando por uma tempestade de neve e conhece uma menina cega abandonada,Dea. As duas crianças são eventualmente acolhidas por um homem chamado Ursus. Os anos passam e Gwynplaine se apaixona por Dea, mas se recusa a casar com ela porque sente indigno por causa de sua desfiguração . Os três ganham a vida através de peças que destacam o fascínio do público com a desfiguração do Gwynplaine.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Influências[editar | editar código-fonte]

  • O personagem Gwynplaine de Conrad Veidt foi listada[onde?] como uma das inspirações para a criação do arqui-inimigo de Batman, o Coringa.
  • Em 2006, Brian De Palma no filme A Dália Negra mostrou cenas de O Homem que Ri e incorporou alguns pontos da trama relacionados.
  • O álbum de 2010 de Rob Zombie Hellbilly Deluxe 2 tem uma canção intitulada "O Homem que Ri". A página de letras no encarte do CD apresenta imagens do filme de 1928.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:

Referências

  1. O Homem Que Ri no (Brasil)
  2. O Homem Que Ri (em português) no CineCartaz (Portugal)
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme mudo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.