The Men Who Built America

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
The Men Who Built America
Gigantes da Indústria (BR)
Informação geral
Formato
Gênero Biografia
Docudrama
Duração 42 - 45 minutos
País de origem  Estados Unidos
Idioma original inglês
Produção
Diretor(es) Patrick Reams
Ruán Magan
Editor(es) Tim W. Kelly, Jonathan Soule, Beatrice Sisul, Tina Pacheco, John Kilgour, Sheri Bylander
Cinematografia Richard V. Lopez
Brian O'Carroll
Narrador(es) Campbell Scott
Composto por "Save My Soul" da Blues Saraceno
Exibição
Emissora original History Channel
Temporadas 1
Episódios 4
Cronologia
The Men Who Built America: Frontiersman

The Men Who Built America (Gigantes da Indústria no Brasil) é uma minissérie docudrama originalmente transmitida no History Channel no outono setentrional de 2012. A série foca as vidas de Cornelius Vanderbilt, John D. Rockefeller, Andrew Carnegie, JP Morgan, Thomas Edison e Henry Ford. O documentário conta como suas inovações industriais e impérios de negócios revolucionaram a sociedade moderna. A série é dirigida por Patrick Reams e Ruan Magan e é narrada por Campbell Scott. A média foi de 2,6 milhões de espectadores totais (1,2 milhão de adultos entre 25 e 54 anos e 1 milhão de adultos entre 18 e 49 anos) em 4 noites.

Elenco[editar | editar código-fonte]


Episódios[editar | editar código-fonte]

Nota: a série consiste em oito episódios de uma hora; para a TV, eles foram combinados em quatro episódios de duas horas. Para a versão brasileira, o History Channel dividiu a série em 8 episódio de 43 a 45 minutos cada.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Neil Genzlinger, do The New York Times, observou que a série não continha revelações surpreendentes sobre seus principais temas, embora certamente lhes desse uma relevância moderna.[1]

Linda Holmes, escrevendo para a NPR, ridicularizou a série em busca de uma apresentação monótona, reencenações bregas e narração ineficaz. Ela criticou a produção por se sentir "muito parecida com uma versão enganosa de uma tira de filme da escola primária" e sugeriu que a série poderia ser popular entre aqueles que aceitaram Donald Trump como um dos especialistas.[2]

Geoff Berkshire da Variety criticou a série por "recriações exageradas apoiadas por música bombástica, combinadas com performances mornas dos reencenadores e escrita rudimentar". Mencionando o estilo ostentoso da série que começa a ranger nos primeiros 30 minutos, ele desprezou as cabeças falantes que simplesmente parecem ser preenchedoras e o estilo particular de preencher o tempo de execução quando "os telespectadores estão sujeitos a recapitulação habitual do segmento anterior após cada intervalo de anúncio. " Ele concluiu que a série não conseguiu deixar sua marca.[3]

Verne Gay, da Newsday, deu a nota "C" distribuídas pelos convidados e pela falta de sutileza e contexto histórico. Por outro lado, ele elogiou as recriações bem produzidas, embora muitas vezes estáticas.[4]

Em Metacritic a série tem uma pontuação de 60 em 100, baseada em 4 críticos, indicando "revisões mistas ou médias".[5]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

A minissérie foi lançada pelo The History Channel em 22 de janeiro de 2013, em um conjunto de três discos nos formatos DVD e Blu-ray Disc .[6]

Referências[editar | editar código-fonte]