The Statesman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Statesman
Statesman cover 03-30-10.jpg
Primeira pagina da edição de 30 de março de 2010
The Statesman
Formato Broadsheet em inglês
Sede Kolkata
Índia
Preço Rs.2 e Rs.3 no domingo
Fundação 15 de janeiro de 1875
Fundador(es) Alexander MacDonald
Prasit Lulitanond
Proprietário Nachiketa Publications Limited
Circulação 180.000 e
230.000 no domingo
OCLC OCLC 1772961
Página oficial www.worldpress.org

The Statesman é um jornal indiano de circulação diária em língua inglesa, fundado em 1875 e publicado simultaneamente em Kolkata, Nova Delhi, Siliguri e Bhubaneswar. The Statesman é propriedade da empresa The Statesman Ltd. Sua sede está localizada na Statesman House, em Chowringhee Square, Kolkata, e seu escritório editorial nacional é em Connaught Place, New Delhi. Ele é um membro da Asia News Network uma rede de jornais diários asiáticos que compartilham o conteúdo editorial uns com os outros.[1]

The Statesman tem uma circulação média da semana de cerca de 180 mil exemplares e a edição de domingo tem uma circulação de 230.000. Isso classifica o Statesman como um dos principais jornais ingleses em Bengala Ocidental, na Índia.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Statesman House, em Kolkata

O The Statesman é descendente direto de dois jornais, o The Englishman e o The Friend of India , ambos publicados em Calcutá (agora Kolkata). O The Englishman foi fundado em 1811 por Robert Knight, que anteriormente era o principal fundador e editor do jornal The Times of India. Knight fundadu o The Statesman and New Friend of India em 15 de janeiro 1875, que mais tarde adotou o seu nome atual. The Statesman foi gerido por um grupo empresarial britânico até que transferiu a propriedade a uma empresa indiana, em meados da década de 1960.

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2009, o editor Ravindra Kumar e ex-editor Anand Sinha do The Statesman foram presos por acusações de ferir os sentimentos religiosos dos muçulmanos.[3] A BBC informou que o muçulmanos ficaram indignados com a reprodução pelo The Statesman do artigo de Johann Hari artigo Por que eu deveria respeitar essas religiões opressivas? do copiado do jornal The Independent do Reino Unido é na sua edição de fevereiro.[4]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.