The Yes Album

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Yes Album
Álbum de estúdio de Yes
Lançamento 19 de Março de 1971
Gravação Outubro - Novembro de 1970
Gênero(s) rock progressivo
rock sinfônico
Duração 41:36
Gravadora(s) Atlantic Records
Produção Yes e Eddie Offord
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Yes
Último
Time and a Word
(1970)
Fragile
(1972)
Próximo

The Yes Album é o terceiro álbum da banda britânica de rock progressivo Yes. O primeiro a contar com a participação do guitarrista Steve Howe, foi lançado pela Atlantic Records em março de 1971. Este foi o álbum que finalmente alavancou a carreira do Yes, tendo alcançado #4 no Reino Unido e #40 nos Estados Unidos, onde chegou a álbum de platina. Além de ser o primeiro disco com Steve Howe, também foi o último, por um período de doze anos, a contar com Tony Kaye, que só retornaria ao Yes em 1983.

Muitas das características mais marcantes da banda aparecem pela primeira vez neste álbum:

  • O balanço "democrático" da banda — em que cada virtuoso dava sua própria contribuição significativa — é visto aqui pela primeira vez;
  • Steve Howe já estréia desempenhando papel bastante proeminente. Sua música com um solo de violão acústico, Clap (eternamente rebatizada como The Clap, devido à apresentação errônea de Anderson, quando a música era gravada ao vivo), sempre foi uma das preferidas da banda e de seus fãs. O título surgiu por causa do filho pequeno de Howe, Dylan, que aplaudiu (to clap, em inglês) o pai quando ele tocou a música em casa.
  • A banda começa a explorar canções maiores com Yours Is No Disgrace, Starship Trooper, e Perpetual Change, que foram precursoras das músicas longas integrantes dos álbuns posteriores Close to the Edge, Tales from Topographic Oceans e Relayer.

The Yes Album é geralmente considerado um álbum clássico de rock dos anos 1970, e um dos melhores da longa carreira da banda. Em 2000, a revista Q Magazine o classificou na 86ª posição em sua lista dos 100 Melhores Álbuns Britânicos de Todos os Tempos.[carece de fontes?]

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Yours Is No Disgrace" (Jon Anderson/Chris Squire/Steve Howe/Tony Kaye/Bill Bruford) — 9:41
  2. "The Clap" (Steve Howe) — 3:17
    • Gravada ao vivo no The Lyceum, Londres, no dia 17 de julho de 1970
  3. "Starship Trooper" — 9:28
    1. "Life Seeker" (Jon Anderson)
    2. "Disillusion" (Chris Squire)
    3. "Würm" (Steve Howe)
  4. "I've Seen All Good People" — 6:55
    1. "Your Move" (Jon Anderson)
    2. "All Good People" (Chris Squire)
  5. "A Venture" (Jon Anderson) — 3:18
  6. "Perpetual Change" (Jon Anderson/Chris Squire) — 8:52

Relançamento[editar | editar código-fonte]

The Yes Album foi remasterizado e relançado em 2003 pela Rhino Records com algumas faixas bônus, incluindo uma versão em estúdio de "Clap". Na versão original do disco, esta música é intitulada "The Clap", pois Anderson se confundiu e a apresentou desta maneira, ao vivo. Na nova versão, a Rhino esclarece esta questão e se refere à música como "Clap", tal como era a intenção de Steve Howe.

Músicos[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]