Trombomodulina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Trombomodulina.

A trombomodulina (TM) ou CD141 ou BDCA-3 é uma proteína integral de membrana que é expressa na superficie das células endoteliais e funciona como cofactor para a trombina. Ela reduz a coagulação do sangue ao converter a enzima pró-coagulante trombina em uma forma anticoagulante.[1] A trombomodulina também é expressada nas células humanas mesoteliais,[2] monócitos e em um subconjunto de células dendríticas.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Nos humanos a trombomodulina é codificada pelo gene THBD,[3] no cromossoma 20.[4] A proteína tem massa molecular de 74kDa, e é composta por5 domínios distintos. Os pontos de contatos fundamentais da união da trombomodulina com a trombina osão interações hidrofóbicas entre as cadeas laterais dos resíduos Ile 414 e Ile 424 da trombomodulina e um bolso hidrofóbico na superficie da trombina.

Função[editar | editar código-fonte]

A trombomodulina é uma glicoproteína da superficie das células endoteliais que funciona como um cofator na ativação induzida por trombina da proteína C na via anticoagulante, formando um complexo de estequiometria 1:1 com a trombina. Isto multiplica a velocidade de activação da proteína C por mil. A proteína C ativada cliva os fatores Va e VIIIa, diminuindo a produção de trombina (resultado da ação desses fatores).[3] Por tanto, o sistema trombina/trombomodulina/proteína C é um sistema de retroalimentação negativa da produção de trombina.

A trombina unida à trombomodulina também tem efeito inibitório sobre a fibrinólise, ativando, por clivagem, o inibidor da fibrinólise ativado por trombina (ou TAFI, também chamado carboxipeptidase B2) .[5]

Além de ligar-se à trombina, a trombomodulina regula a inativação de C3b (do sistema do complemento) pelo fator I. Mutações no gene da trombomodulina (THBD) também foram associados à  síndrome urêmica hemolítica atípica.

Descubriu-se que o antígeno descrito inicialmente como BDCA-3 em células dendríticas[6] é quimicamente idêntico à trombomodulina.[7] Sendo assim, há evidência dessa proteína aparecendo em um subconjunto raro  (0,02%) de células dendríticas humanas chamadas MDC2. A función que exerce nessas células não é conhecida.

Referências

  1. IPR001491 Thrombomodulin Acceso 22 agosto 2013.
  2. Verhagen HJ, Heijnen-Snyder GJ, Pronk A, Vroom TM, van Vroonhoven TJ, Eikelboom BC, Sixma JJ, de Groot PG.
  3. a b OMIM [1]
  4. Wen DZ, Dittman WA, Ye RD, Deaven LL, Majerus PW, Sadler JE (July 1987).
  5. Zhao L, Morser J, Bajzar L, Nesheim M, Nagashima M (December 1998).
  6. Dzionek A, Fuchs A, Schmidt P, Cremer S, Zysk M, Miltenyi S, Buck DW, Schmitz J (December 2000).
  7. Dzionek A, Inagaki Y, Okawa K, Nagafune J, Röck J, Sohma Y, Winkels G, Zysk M, Yamaguchi Y, Schmitz J (December 2002).

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]