Udacity

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Udacity é uma organização educacional com fins lucrativos fundada por Sebastian Thrun, David Stavens, e Mike Sokolsky.[1][2] Nasceu de um experimento da Universidade de Stanford, em que Sebastian Thrun e Peter Norvig ofereceram o curso on-line de "Introdução à Inteligência Artificial" para qualquer pessoa, gratuitamente. Mais de 160 mil alunos em mais de 190 países realizaram a inscrição. Começou a operar no ano de 2011.[3][4][5][6][7][8] Segundo a empresa, seu objetivo é tornar a educação de ponta acessível para todos[9].

História[editar | editar código-fonte]

Conhecida no Brasil como a Universidade do Vale do Silício[10][11], a Udacity surgiu neste ecossistema inovador dos Estados Unidos em 2011, após o experimento que o professor da Universidade Stanford Sebastian Thrun desenvolveu ao lado do diretor de pesquisa do Google Peter Norvig.

Ambos decidiram ofereceram um curso online e gratuito sobre “Introdução à Inteligência Artificial”. Mais de 160 mil alunos de 190 países fizeram a inscrição. Após esse episódio, Thrun percebeu que havia a necessidade de uma universidade voltada para tecnologia que fosse prática, barata, acessível e altamente eficaz para o mundo.

A Udacity é, portanto, uma plataforma online e global que conecta educação e mercado de trabalho, oferecendo aos estudantes as habilidades que eles precisam para se preparar para as profissões do futuro, hoje. Isso é feito por meio de cursos online, chamados de Nanodegree, em áreas como ciência de dados, inteligência artificial, negócios e programação.

Os conteúdos dos cursos são criados em parceria com as principais empresas de tecnologia e negócios do mundo, como Google, Facebook, Amazon, IBM, Nvidia e Mercedes-Benz, entre outras. Além disso, a Udacity oferece aos alunos o aprendizado por projetos: todo estudante realiza diversos projetos durante o Nanodegree, aplicando os conceitos aprendidos, e recebendo uma revisão, linha por linha, de especialistas na área.

1.1. Sobre a empresa[editar | editar código-fonte]

Fundada por Sebastian Thrun — professor de pesquisa na Universidade Stanford, ex-membro do Google, bem como o inventor do carro autônomo e líder do projeto Google Glass —, a Udacity hoje é dirigida pelo CEO Vishal Makhijani.

Com cerca de 500 funcionários ao redor do mundo, a Udacity está sediada nos Estados Unidos e possui escritórios em países como Alemanha, Arábia Saudita, Brasil, China, Egito, Emirados Árabes Unidos e Índia.

Há atualmente mais de 7 mil alunos ativos nos cursos da Udacity só no Brasil, chegando a 50 mil em todo o mundo.

Além disso, em 2017, a Udacity fechou o ano com uma receita global no valor de US$ 70 milhões e 8 milhões de estudantes (entre os matriculados em cursos gratuitos e pagos) em mais de 160 países no mundo todo, segundo Clarissa Shen, COO da empresa[12].

1.2. Missão[editar | editar código-fonte]

De acordo com Sebastian Thrun, “we are in the hospitality business”[13], ou seja, o foco de negócios da Udacity é baseado na hospitalidade. Segundo a empresa[14], seu objetivo é entregar aos alunos a melhor experiência, desde o momento do primeiro contato pré-compra até o pós-curso.

Com isso, a Udacity quer se consolidar como o melhor produto de educação focado em carreira do planeta — atuando de forma escalável.

Sua missão é democratizar a educação e trazer para o mundo um ensino superior acessível, envolvente e altamente eficaz. Acreditando que a educação superior é um direito humano básico, a Udacity busca capacitar seus alunos para que eles possam evoluir em seus estudos e carreiras.

Para isso, defende o lifelong learning — ou aprendizado contínuo — como uma mentalidade necessária para as carreiras do futuro. "Aprender novas habilidades não é mais um diferencial, assim como não é mais algo que você faz apenas quando está em busca de uma grande guinada profissional. Para se manter relevante, competitivo e em alta no mundo de hoje, é preciso firmar um compromisso com o aprendizado contínuo — e não importa qual é seu cargo ou plano de carreira", conforme o blog da empresa.

1.3. Surgimento dos MOOCs[editar | editar código-fonte]

O termo MOOC (do inglês Massive Open Online Course) é utilizado para designar qualquer curso online, aberto e massivo, isto é, que atinja um número indefinido de pessoas.

Não existe um consenso sobre qual foi o primeiro MOOC disponibilizado na internet[15], mas de acordo Cathy Davidson[16], co-fundadora da HASTAC — empresa que oferece ferramentas e metodologias para a sala de aula —, sua companhia ofereceu o primeiro curso online entre os anos de 2006 e 2007[17], atingindo cerca de 100 mil pessoas.

Outros analisam que esse feito ocorreu em 2008[18], quando Stephen Downes e George Siemens montaram um curso online com o objetivo de provar que era possível promover um aprendizado aberto e "conectivista" através de uma plataforma digital.

Nessa discussão[19], também é mencionada a possibilidade de que Sebastian Thrun e Peter Norvig tenham sido os primeiros a desenvolverem um MOOC em 2011, quando ministraram seu curso de introdução à inteligência artificial em Stanford.

2. Formato dos cursos Nanodegree[editar | editar código-fonte]

O objetivo da Udacity é capacitar seus alunos para as profissões do futuro[20] e, para isso, oferece cursos Nanodegree. Cada um deles ensina as habilidades mais demandadas pelas empresas, uma vez que o conteúdo dos cursos é criado em parceria com as maiores empresas de tecnologia e negócios do mundo, como Google, Facebook, Amazon, IBM e Nvidia e Mercedes-Benz.

Com duração de 1 a 6 meses por período no Brasil, os cursos oferecem ao final uma certificação reconhecida no mercado de trabalho para os alunos formados. Segundo a empresa, um de seus diferenciais são os preços competitivos[21][22].

Além disso, o Nanodegree da Udacity conta com ferramentas que o diferenciam dos MOOCs tradicionais, como o aprendizado por projeto e revisão personalizada das entregas, além de acesso à uma comunidade online para interagir com os alunos e mentores.

Especialmente quanto ao aprendizado por projetos, os alunos realizam uma série de projetos práticos para colocar em prática os conceitos aprendidos em aula. Após cada entrega, esse projeto é revisado, linha por linha, para que os estudantes recebem feedbacks únicos para acelerar a curva de aprendizado. Ao final, todos saem com um portfólio completo de projetos para apresentar ao mercado.

3. Lista de cursos Nanodegree disponíveis[editar | editar código-fonte]

Os cursos Nanodegree da Udacity disponíveis no Brasil são divididos em cinco principais categorias ou escolas: Ciência de Dados, Inteligência Artificial, Negócios, Desenvolvimento e Sistemas Autônomos. Até o fim de setembro de 2018, foram contabilizados 38 opções de cursos.

4. Formato dos cursos livres[editar | editar código-fonte]

Oferecidos de forma online e completamente gratuita[23], os cursos livres da Udacity estão disponíveis nas mais variadas temáticas dentro do âmbito de tecnologia e negócios. Há opções de nível iniciante, intermediário e avançado, embora não exista nenhum tipo de restrição para realizar o acesso ao curso.

Diferentemente dos cursos Nanodegree, os cursos livres da Udacity não oferecem metodologia de aprendizado por projetos, feedbacks personalizados, interação e mentoria, nem certificação após a conclusão.

4.1. Udacity Experience[editar | editar código-fonte]

Em 2018, a Udacity passou a oferecer no Brasil um novo modelo de cursos em sua plataforma no Brasil. Chamada de Udacity Experience, a iniciativa tem como objetivo oferecer aos alunos o aprendizado por projeto com feedback personalizado de especialistas dentro de cursos livres — os valores investidos nessa modalidade podem ser recuperados na forma de desconto ao comprar um Nanodegree.

Existem quatro opções de cursos disponíveis neste novo formato até setembro de 2018: Introdução à Estatística Descritiva, Teste A/B, Fundamentos de JavaScript e Análise de Dados com R.

Neste modelo, o aluno realiza um projeto para colocar em prática os conhecimentos adquiridos, recebe revisão personalizada com sugestões de melhoria na sua entrega e dá início à construção de um portfólio profissional, comprovando que possui habilidades exigidas pelo mercado de trabalho. O estudante recebe também um certificado ao final da Udacity Experience.

5. Lista de cursos livres disponíveis[editar | editar código-fonte]

Até novembro de 2018, foram contabilizadas 184 opções de cursos livres disponíveis no site da Udacity, divididos em quatro principais temáticas: Negócios, Ciência de Dados & Inteligência de Dados, Desenvolvimento e Outros temas.

6. Importância da certificação para o mercado[editar | editar código-fonte]

Ao longo do curso Nanodegree da Udacity[24], os alunos realizam diversos projetos para colocar em prática os conteúdos aprendidos e, com isso, constroem um portfólio real para apresentar aos recrutadores em processos seletivos no mercado de trabalho.

Os estudantes recebem ainda uma certificação ao final do curso, que é reconhecida pela indústria em âmbito internacional[25], uma vez que a Udacity atua em mais de 160 países e utiliza esse mesmo documento para evidenciar a conclusão de um Nanodegree com sucesso.

Além disso, existem hoje mais de 60 empresas parceiras de contratação da Udacity só no Brasil[26]. Isso significa que essas companhias já demonstraram interesse em recrutar e selecionar ex-alunos que concluíram um curso Nanodegree. Dentre elas, destacam-se nomes como Itaú, Globo.com, 99, IBM, Accenture, Cielo, TOTVS e Telefônica.

7. Premiações[editar | editar código-fonte]

Em 26 de novembro de 2012, Sebastian Thrun recebeu a premiação da "Inaugural Smithsonian Ingenuity Award in Education" devido ao seu trabalho com a plataforma Udacity, cujo artigo premiado foi o "How Artificial Intelligence Can Change Higher Education". [27]

A Udacity recebeu três reconhecimentos de instituições relevantes para o seu mercado em 2017:

Em maio, foi reconhecida como uma das 50 empresas mais disruptivas de 2017 pela CNBC[28];

Em junho, entrou para a lista das 50 empresas mais inteligentes do relatório de tecnologia de 2017 do MIT[29] — sendo a única do segmento de educação mencionada;

Já em novembro, o LinkedIn nomeou a Udacity uma das 50 "LinkedIn Top Companies | Startups" de 2017[30].

Em 2018, a Udacity foi considerada a oitava empresa mais disruptiva do mundo, segundo ranking da CNBC no mês de maio[31].

8. Líderes[editar | editar código-fonte]

O quadro de líderes da Udacity[32] atualmente é composto por:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Stanford Takes Online Schooling To The Next Academic Level». All Things Considered, National Public Radio. 23 de janeiro de 2012 
  2. http://www.udacity.com/courses
  3. «Professor leaving Stanford for online education startup». MSNBC. 25 de janeiro de 2012. Consultado em 25 de janeiro de 2012 
  4. Introduction to Artificial Intelligence
  5. DeSantis, Nick (23 de janeiro de 2012). «Professor Departs Stanford U., Hoping to Teach 500,000 Students at Online Start-Up». Chronicle of Higher Education. Consultado em 25 de janeiro de 2012 
  6. Lewin, Tamar (4 de março de 2012). «MOOCs, Large Courses Open to All, Topple Campus Walls». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  7. Shen, Clarissa (26 de novembro de 2012). «Sebastian Thrun wins Smithsonian American Ingenuity Award in Education for Udacity work!». Udacity blog. Consultado em 7 de dezembro de 2012 
  8. Vanderbilt, Tom (dezembro de 2012). «How Artificial Intelligence Can Change Higher Education». Smithsonian Magazine. Consultado em 7 de dezembro de 2012 
  9. Udacity, Inc. «Missao da Udacity». Consultado em 5 de julho de 2015 
  10. TecMundo (8 de julho de 2016). «Udacity, a 'universidade do Vale do Silício', chega ao Brasil». TecMundo - Descubra e aprenda tudo sobre tecnologia 
  11. «"Universidade do Vale do Silício" lança curso online para MEIs | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 21 de novembro de 2018 
  12. «"Quem quiser se manter no mercado de trabalho não pode parar de estudar"». epocanegocios.globo.com 
  13. «Sebastian Thrun: Lifelong Learning and Trustworthy Credentials | Udacity». Udacity (em inglês). 10 de junho de 2014 
  14. «Aprendizado contínuo: uma mentalidade necessária para a carreira do futuro». br.udacity.com. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  15. «What Was the First MOOC?». HASTAC (em inglês) 
  16. «Cathy Davidson». HASTAC (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  17. «What Was the First MOOC?». HASTAC (em inglês) 
  18. «A Brief History of MOOCs». MAUT (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  19. «What Was the First MOOC?». HASTAC (em inglês) 
  20. «Sobre Nós». br.udacity.com. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  21. MIT Technology Review. «Sebastian Thrun sobre o Futuro da Aprendizagem». Consultado em 5 de julho de 2015 
  22. TecMundo (8 de julho de 2016). «Udacity, a 'universidade do Vale do Silício', chega ao Brasil». TecMundo - Descubra e aprenda tudo sobre tecnologia 
  23. «10 cursos online grátis mais populares». br.udacity.com. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  24. «Udacity Legal Information». br.udacity.com. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  25. «Nanodegree: O que é, como funciona e para que serve». Estudar Fora. 4 de abril de 2018 
  26. «Prepare-se para o mercado». br.udacity.com. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  27. SmithSoniamag. «acessos». Consultado em 30 de julho de 2015 
  28. CNBC (16 de maio de 2017). «Meet the 2017 CNBC Disruptor 50 companies». CNBC 
  29. «The 50 Smartest Companies of 2017 might not be what you think». MIT Technology Review (em inglês) 
  30. «LinkedIn Top Companies | Startups: The 50 industry disruptors you need to know now». www.linkedin.com (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  31. staff, CNBC.com (22 de maio de 2018). «Meet the 2018 CNBC Disruptor 50 companies». CNBC 
  32. «Sobre Nós». br.udacity.com. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  33. «Sebastian Thrun, Author at Udacity». Udacity (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  34. «Vish Makhijani, Author at Udacity». Udacity (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  35. «Clarissa Shen, Author at Udacity». Udacity (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  36. «Markus Spiering, Author at Udacity». Udacity (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.