Um Homem de Moral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Um Homem de Moral
 Brasil
2009 •  cor •  84 min 
Direção Ricardo Dias
Roteiro Ricardo Dias
Elenco Paulo Vanzolini
Chico Buarque
Paulinho da Viola
Gênero Documentário
Musical
Idioma Português

Um Homem de Moral é um documentário musical brasileiro de 2009 dirigido por Ricardo Dias.

História[editar | editar código-fonte]

O enredo é centrado na obra musical do compositor Paulo Vanzolini (o título vem de um verso da canção "Volta por cima") que concedera duas entrevistas informais para o documentário, além de filmagens dos ensaios e das gravações de estúdio para o conjunto de quatro CDs, chamado "Acerto de Contas", em 2002, e do show nas dependências do SESC na Vila Mariana, bairro de São Paulo.

Para as gravações, foi convidado um grande número de intérpretes e músicos, alguns ligados históricamente à carreira musical do compositor como Márcia e Inezita Barroso, famosas cantoras da canção "Ronda", Virgínia Rosa e Bando de Macambira [1]. Também aparecem Miucha e Chico Buarque de Hollanda, a quem o compositor conhecia desde quando eram crianças graças a amizade com a mãe deles e depois com o pai, Sérgio Buarque de Hollanda. Alguns sambistas de destaque apareceram como convidados e interpretam canções, como Martinho da Vila e Paulinho da Viola.

Na parte final, dois "clips": um composto de uma sequência de fotos de pessoas comuns de São Paulo, terra natal do compositor, ao som da canção "Boca da noite"; e várias pessoas cantando versos da célebre "Volta por cima". Foram incluídas ainda algumas imagens de arquivo, como as de um programa para a TV de Adoniram Barbosa; e cenas de documentário anterior gravadas pelo mesmo diretor, Ricardo Dias, que mostrara o trabalho de zoólogo de Vanzolini. A direção musical é de Italo Perón (que aparece nas cenas de estúdio).

Canções interpretadas no filme[editar | editar código-fonte]

  • Ronda
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Márcia
    • Editora: MUSIBRAS (ARLEQUIM)

O documentário abre com a canção e com Paulo Vanzolini falando de como é grato ao povo de São Paulo pelo sucesso da mesma. Conta em tom bem-humorado que as mulheres da colônia japonesa da cidade pedem muito a música em shows, escrevendo o título da canção em guardanapos substituindo o "R" pelo "H" (fazendo um trocadilho com a marca japonesa Honda). Nos letreiros finais, uma intérprete japonesa (Suely Klkuchi), aparentemente amadora, canta a canção num bar de karaokê.

  • Cuitelinho (nome sertanejo para Beija-flor)
    • Autores: Paulo Vanzolini, Wagner Tiso, Milton Nascimento, Antonio Xandó
    • Intérprete: Maria Marta
    • Editoras: TREM MINEIRO / NASCIMENTO / PEERMUSIC

Vanzolini conta que seu amigo Antonio Xandó fora quem chamara a atenção para a música cantada por um barqueiro na fronteira do Brasil com o Paraguai e que ao ouvi-la, o inspirara a compor a letra completa (o primeiro verso não é dele, apenas os dois seguintes).

  • Praça Clóvis
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Ana Bernardo
    • Editora: MUSIBRAS (ARLEQUIM)

Vanzolini conta que a inspiração viera quando, nos anos de 1940, vira batedores de carteiras agindo naquela praça de São Paulo. Adoniram Barbosa cita a música do amigo, dizendo que em contrapartida ele compusera "Praça da Sé".

  • Chorava no meio da rua
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Vírgínia Rosa
    • Editora: MUSIBRAS (ARLEQUIM)
  • O rato roeu a roupa do rei de roma
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Paulo Vanzolini
    • Editora: MUSICLAVE

O próprio Vanzolini recita os versos da canção, usando a mesma estrutura da frase original com a letra "r", mudando para outras letras como "s", "t" e "v" e depois alternando as palavras mantendo a sonoridade da frase inicial.

  • Raiz
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Miúcha
    • Editora: MUSICLAVE (ARLEQUIM)

Vanzolini fala da amizade com a família de Miúcha, que ele conhecera ainda criança

  • Quando eu for, eu vou sem pena
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Chico Buarque
    • Editora: ARLEQUIM

Aparecem as imagens dos ensaios e da gravação de Chico feita para o CD.

  • Alberto
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Paulo Vanzolini
    • Editora: MUSICLAVE

Vanzolini novamente recita os versos cômicos da canção, sobre um homem bom que era amante de várias mulheres. Segundo ele, a inspiração veio de um paciente que conhecera quando trabalhava no Hospital das Clínicas, que fora baleado por sua amante quando esta descobrira que ele também tinha um caso com a filha dela.

  • Leilão
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Chico Aguiar
    • Editora: MUSIBRAS (ARLEQUIM)
  • Seu Barbosa
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Ana Bernardo
    • Editora: ARLEQUIM

Vanzolini fez a composição sob encomenda para ser cantada em uma homenagem a Adoniram Barbosa, a qual acabou não se realizando.

  • Trato de homem
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Edu Maia
    • Editora: ARLEQUIM

A inspiração seria uma reposta a uma vereadora que fazia um discurso feminista.

  • Mulher, toma juízo
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Chico Agular
    • Editora: ARLEQUIM
  • Maria que ninguém queria
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: João Macacão
    • Editora: ARLEQUIM
  • A onça
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Paulo Vanzolini
    • Editora: DIREITOS RESERVADOS
  • Valsa das três da manhã
    • Autor: Paulo Vanzolini / Paulinho Nogueira
    • Intérprete: Paulinho Nogueira
    • Editora: ARLEQUIM
  • Valsa sem fim
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Virgínia Rosa
    • Editora: ARLEQUIM
  • José
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Inezita Barroso
    • Editora: ARLEQUIM
  • Bandeira de guerra
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Paulinho da Viola
    • Editora: MUSICLAVE (ARLEQUIM)
  • Dançando na chuva
    • Autor: Paulo Vanzolini / Elton Medeiros
    • Intérprete: Elton Medeiros
    • Editora: ROB FILMES
  • Juizo Final
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Martinho da Vila
    • Editora: ARLEQUIM
  • Pedacinho do céu
    • Autor: Paulo Vanzolini/ Waldir Azevedo
    • Intérprete: Ana Bernardo
    • Editora: DIRETO

Vanzolini conta que levou 25 anos para terminar a composição, pois criar um "choro" o tornava "escravo da palheta", obrigado a colocar as acentuações das palavras em determinados lugares e não outros.

  • Capoeira de Arnaldo
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Bando de Macambira
    • Editora: ARLEQUIM
  • Boca da Noite
    • Autor: Paulo Vanzolini / Toquinho
    • Intérprete: Márcia
    • Editora: MUSIBRAS (ARLEQUIM)
  • Volta por cima
    • Autor: Paulo Vanzolini
    • Intérprete: Ventura Ramires
    • Editora: PEERMUSIC

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.