Unificação do Kosovo com a Albânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Unificação do Kosovo com a Albânia é uma conceito político, revivido pela independência do Kosovo. [1] Embora não seja politicamente articulada, a unificação poderia tornar-se uma realidade, como resultado da unificação da educação, o que poderia gerar uma demanda por unificação política. [2]

História[editar | editar código-fonte]

Durante os protestos no Kosovo em 1981, a Iugoslávia temia uma potencial unificação do Kosovo com a Albânia. [3] No início dos anos 1990, as declarações dos políticos albaneses eram contraditórias com respeito a isso. [4]

O ativista político Ukshin Hoti, fundador do Partido da União Nacional Albanesa, que acabaria morto pela polícia sérvia em 1999, foi um grande apoiante da unificação do Kosovo com a Albânia. [5]

Em 2001, Arben Imami, um político albanês relevante, declarou que a unificação do Kosovo com a Albânia deveria ser um objetivo do partido, mas foi rapidamente criticado por seu próprio partido. [6]

O Plano Ahtisaari estipulava a independência do Kosovo, adotando um "kosovar" multiétnico, ao invés de uma identidade albanesa. Ainda assim, pesquisas da Gallup revelaram que 75% dos albaneses do Kosovo prefeririam viver unificados com a Albânia no mesmo país. O mesmo apoio foi visto na Albânia, onde 68% dos cidadãos da Albânia preferiam uma unificação da Albânia com o Kosovo. [7]

Apesar das pesquisas apoiando a unificação do Kosovo com a Albânia, o objetivo dos políticos da Albânia tem sido, no entanto, a entrada na OTAN e na UE, em vez de uma unificação nacional. [8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sharon L. Wolchik; Jane Leftwich Curry (2011). Central and East European Politics: From Communism to Democracy. [S.l.]: Rowman & Littlefield. p. 390. ISBN 978-0-7425-6734-4. Undoubtedly, Kosovo's independence has revived the idea of the national unification of Albanians 
  2. Stephanie Schwandner-Sievers; Bernd Jürgen Fischer (2002). Albanian Identities: Myth and History. [S.l.]: Indiana University Press. p. 171. ISBN 978-0-253-21570-3 
  3. Howard Clark (2000). Civil Resistance in Kosovo. [S.l.]: Pluto Press. pp. 44–. ISBN 978-0-7453-1569-0 
  4. Geert-Hinrich Ahrens (6 de março de 2007). Diplomacy on the Edge: Containment of Ethnic Conflict and the Minorities Working Group of the Conferences on Yugoslavia. [S.l.]: Woodrow Wilson Center Press. p. 323. ISBN 978-0-8018-8557-0. CSCE mission of May 1992 judged that “on the question of the relations with Albania and of a possible unification, the answers were unclear, vague, and sometimes contraddictory 
  5. Heike Krieger (12 de julho de 2001). The Kosovo Conflict and International Law: An Analytical Documentation 1974-1999. [S.l.]: Cambridge University Press. p. 75. ISBN 978-0-521-80071-6 
  6. Maria Koinova (1 de julho de 2013). Ethnonationalist Conflict in Postcommunist States: Varieties of Governance in Bulgaria, Macedonia, and Kosovo. [S.l.]: University of Pennsylvania Press. p. 197. ISBN 978-0-8122-0837-5 
  7. Tristan James Mabry; John McGarry; Margaret Moore; Brendan O'Leary (30 de maio de 2013). Divided Nations and European Integration. [S.l.]: University of Pennsylvania Press. p. 182. ISBN 0-8122-4497-4 
  8. Henry H. Perritt (2010). The Road to Independence for Kosovo: A Chronicle of the Ahtisaari Plan. [S.l.]: Cambridge University Press. p. 94. ISBN 978-0-521-11624-4