Urbanização no Paquistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A urbanização no Paquistão tem aumentado desde a época da independência e tem várias causas diferentes. A maioria da população do sul do Paquistão vive ao longo do rio Indo. Karachi é a sua cidade mais populosa.[1] Na metade norte do país, a maior parte da população vive em um arco formado pelas cidades de Lahore, Faisalabad, Rawalpindi, Islamabad, Gujranwala, Sialkot, Gujrat, Jhelum, Sargodha, Shekhupura, Nowshera, Mardan e Peshawar. Entre 1990 e 2008, os habitantes de áreas urbanas constituíram 36% da população do Paquistão, tornando-a a nação mais urbanizada no sul da Ásia. Além disso, 50% dos paquistaneses vivem em cidades com pelo menos 5.000 pessoas.[2]

Causas e consequências[editar | editar código-fonte]

A imigração, tanto dentro como fora do país, é considerada como um dos principais fatores que contribuíram para a urbanização no Paquistão. Uma análise do Censo do Paquistão de 1998 destacou a importância da independência do Paquistão em 1947 no contexto da compreensão da mudança urbana no Paquistão.[3] Durante o período da independência, Muçulmanos Muhajirs da Índia migraram em grande número e mudaram para o Paquistão, especialmente para a cidade portuária de Karachi, que é hoje a maior metrópole do Paquistão.[3]

A migração de outros países, principalmente os vizinhos, catalisou ainda mais o processo de urbanização das cidades paquistanesas. De particular interesse é a migração que ocorreu na sequência da guerra de independência de Bangladesh, em 1971,[3] sob a forma de Biharis encalhados que foram transferidos para o Paquistão. Um número menor de imigrantes bengalis e birmaneses seguiu o exemplo muito mais tarde. A guerra soviética no Afeganistão nos anos 80 forçou milhões de refugiados afegãos a migrarem para o Paquistão, particularmente para as regiões do noroeste, próximo à fronteira entre o Afeganistão e Paquistão. Inevitavelmente, a rápida urbanização causada por esses grandes movimentos populacionais também trouxe novas complexidades políticas e socioeconômicas.[3]

Além da imigração, eventos econômicos como a revolução verde e os desenvolvimentos políticos, entre uma série de outros fatores, são também causas importantes da urbanização.[3]

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «The Urban Frontier—Karachi» (em inglês). National Public Radio. 2 de Junho de 2008. Consultado em 16 de novembro de 2016 
  2. Jason Burke (17 de agosto de 2008). «Pakistan looks to life without the general». The Guardian (em inglês). London. Consultado em 16 de novembro de 2016 
  3. a b c d e Clark, David (2006). The Elgar Companion to Development Studies (em inglês). [S.l.]: Edward Elgar Publishing. 668 páginas. ISBN 978-1843764755 
  4. «Pakistan: largest cities and towns and statistics of their population» (em inglês). World Gazetteer. Consultado em 9 de fevereiro de 2010