Vale do Paraíso (Azambuja)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Portugal Portugal Vale do Paraíso 
  Freguesia  
Símbolos
Brasão de armas de Vale do Paraíso
Brasão de armas
Gentílico Valeparaisense
Localização
Vale do Paraíso está localizado em: Portugal Continental
Vale do Paraíso
Localização de Vale do Paraíso em Portugal
Coordenadas 39° 06' 56" N 8° 53' 09" O
Município AZB.png Azambuja
História
Fundação 1916
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Armando Jorge Adrião Calixto (PS)
Características geográficas
Área total 4,66 [1] km²
População total (2011) 880 hab.
Código postal 2050
Outras informações
Orago Nossa Senhora do Paraíso

Vale do Paraíso é uma freguesia portuguesa do município da Azambuja, com 4,66 km² [1] de área e 880 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 198,2 hab/km².

A freguesia foi criada em 1916, por desanexação de Aveiras de Cima.

Historia[editar | editar código-fonte]

Entre os anos de 1480 e 1500, foi encontrada, por um pastor que ali guardava o seu rebanho, uma pequena imagem de Nossa Senhora, no tronco de um sobreiro. O pastor cheio de alegria, mas também com algum receio, visto que a imagem estava cercada de luz, o pastor não conseguiu pegar-lhe, então apressou-se para ir contar o sucedido ao Pároco de Aveiras. Dada a notícia ao Pároco, o mesmo convocou a população de Aveiras para que, em conjunto com ele, em procissão, fossem buscar a Imagem que se revelara ao pastor. Assim com muita Fé e Devoção partiram de Aveiras até ao dito local onde se encontrava a tal Imagem, chegando ao local o pároco, com toda a delicadeza, retirou a Imagem e levou-a para a Igreja de Nossa Senhora da Purificação em Aveiras de Cima, onde foi colocada no altar-mor.

No dia seguinte, o povo dirigiu-se para a igreja para venerar a Imagem, mas ao chegarem verificaram que a Santa Imagem já não se encontrava no local. Indo a procura da Imagem sagrada, descobriram-na no sobreiro onde tinha sido encontrada. Levaram-na de volta para a igreja pela segunda vez mas o sucedido voltou-se a repetir apela terceira vez, logo perceberam que era ali que a Sagrada Imagem queria estar, por tal acontecimento o povo mandou-lhe ali edificar um pequena ermida. Por todo o lado a Imagem da Virgem ia ganhando fama de milagrosa.

D. Ana de Lencastre, refugiando-se da peste que assolava Lisboa, dirigiu-se para comenda em Aveiras, pelas notícias que já tinha ouvido da Milagrosa Imagem de Senhora do Paraíso e com fé de que só na sua companhia poderia escapar ao contágio da peste, ai ficou e acabou por escapar á peste e então decidiu, por isso, aumentar a ermida. Com o decorrer dos anos a devoção a Nossa Senhora do Paraíso era cada vez maior, espalhando-se a fama de seus milagres. A 24 de Fevereiro de 1562 foi fundada a Confraria de Nossa Senhora do Paraíso que tinha estatutos próprios e cumpria com os princípios das irmandades do Reino, e que ainda hoje acontecem. A Imagem, que sustenta o Menino Jesus nos braços, era muito pequenina, não passava de um palmo de altura e há que lhe atribuíram o nome de Nossa Senhora do Ó, cuja devoção se realiza a 18 de Dezembro. Ainda hoje a tradição de prestar devoção á Imagem continua até aos dias de hoje…


População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Vale do Paraíso [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
947 1 038 1 061 1 146 1 143 1 091 1 146 1 113 1 040 880

Criada pela Lei nº 522, de 03/05/1916, com lugares desanexados da freguesia de Aveiras de Cima


Igreja de Nossa Senhora do Paraíso[editar | editar código-fonte]

Igreja de Nossa Senhora do Paraíso
Nossa Senhora do Paraíso

A igreja de Nossa Senhora do Paraíso, deve a sua origem ao aparecimento de uma imagem da Virgem Maria, no tronco de um sobreiro, por um pastor, a igreja foi concluída em 1555 pela Comendadeira do Mosteiro de Santos da Ordem de Santiago da Espada, donatárias da Vila de Aveiras de Cima a que também pertencia Vale do Paraíso, em 1562 a Igreja passou a ser gerida pela Confraria de Nossa Senhora do Paraíso, que tinha estatutos próprios e cumpria com os princípios das irmandades do Reino, e que ainda hoje acontece.

Ao longo dos anos a igreja de Nossa Senhora do Paraíso tem evoluindo, tem presente vários estilos arquitectónicos, entre eles o neoclássico,a igreja possui uma grande quantidade de azulejos do século XVII, sendo toda a igreja revestida desses azulejos, em 1671 a abóbada foi pintada com a temática de "O Paraíso".

Em 1755, com o Terramoto de Lisboa, Vale do Paraíso foi afectado e a igreja sofreu vários danos, alguns ainda visíveis hoje em dia, com a recuperação do portal principal da igreja em 2015 descobriu-se que provavelmente o Terramoto de Lisboa causou mais danos na igreja do que se previa, pois o portal estava muito danificado, pois na altura do terremoto os danos foram tapados com argamassas e um agrafo metálico, que até ao restauro não eram visíveis.

No ano de 1957 foi acrescentado à igreja uma torre sineira, neste mesmo ano Vale do Paraíso recebeu a imagem de Nossa Senhora de Fátima Peregrina, hoje em dia a Igreja de Nossa Senhora do Paraíso esta preservada graças à Confraria de Nossa Senhora do Paraíso, que a tem gerido por mais de 450 anos.

Política[editar | editar código-fonte]

A freguesia do Vale do Paraíso é administrada por uma junta de freguesia, liderada por Armando Adrião Calixto, eleito nas eleições autárquicas de 2013 pelo Partido Socialista. Existe uma assembleia de freguesia, que é o órgão deliberativo, constituída por 7 membros.

O partido mais representado na Assembleia de Freguesia é o PS com 4 membros (maioria absoluta), seguido da CDU com 2. Esta assembleia elegeu os 2 vogais da Junta de Freguesia, ambos do PS. O presidente da Assembleia de Freguesia é António Batista Marques do PS.

Eleições de 2013
Órgão PS PCP-PEV
Assembleia de Freguesia 5 2
Junta de Freguesia 3 0

Referências

  1. a b «Freguesia de Vale do Paraíso». Consultado em 22 de dezembro de 2014 
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.